Leitura didática do dia: Guia Mangá Microprocessadores

L

História em quadrinhos explica como funciona uma Unidade Central de Processamento (CPU) e seus amiguinhos próximos como a GPU, RAM, ULA e outros bichos.

Passados quase 35 anos do histórico lançamento (não do Macintosh!) do livro Introdução ilustrada à computação (com muito Humor) de Larry Gonick no Brasil…

…mais uma editora local volta suas atenções para o desafio de ensinar o público leigo como funciona um computador pessoal — ou mais exatamente um microprocessador — da maneira mais simples, didática e menos cabalística possível (né Larry?)

Sim amiguinhos, estamos falado da editora Novatec e do seu (relativamente) novo livro Guia Mangá Microprocessadores (ISBN: 978-85-7522-697-1 1) com roteiro de Michio Shibuya, ilustrações de Takashi Tonagi e tradução de Cláudio José Adas.

Guia o quê?

Lançado a quase uma década pela Novatec, o “Guia Mangá” é uma curiosa coleção de livros didáticos na forma de mangá (duh!) conhecida no Japão como マンガ で わかる e publicada pela OMSHA, editora especializada em literatura técnica e científica e que cobre os temas diversos (e até bem cabeludos) como equações diferenciais, mecânica quântica, semicondutores, inglês técnico (para japoneses é claro), mecânica dos solos, farmacologia, machine learning, etc…

… e que virou “The manga Guide” nos EUA pelas mãos da editora independente No Starch Press …

… que, por sua vez, deu a origem da edição nacional:

Acompanhamos (e lemos) esta série desde o seu início sendo que a Novatec andou meio que devagar nesses últimos tempos, já que em 2017 ela só lançou um título sobre fisiologia.

Já no segundo semestre do ano passado, a editora dobrou sua produção lançando mais dois títulos — um sobre análise de regressão linear (pqp!) e o outros sobre microprocessadores:

O Enredo

Segundo o resumo da editora, “Ayumi é uma jogadora de Shogi (xadrez japonês) de categoria internacional que não pode ser derrotada – isto é, até ela perder para um potente computador chamado Estrela Cadente.

Ayumi promete descobrir tudo sobre seu novo adversário. Felizmente, Yuu Kano, o genial programador por trás do Estrela Cadente, está disposto a ensinar-lhe tudo sobre o funcionamento interno do microprocessador – o “cérebro” dentro de todos os computadores, telefones e aparelhos eletrônicos.

Acompanhe Ayumi no Guia Mangá Microprocessadores e você aprenderá sobre:

  • Como a CPU processa informações e toma decisões
  • Como os computadores executam operações aritméticas e armazenam informações
  • Portas lógicas e como elas são usadas em circuitos integrados
  • Os principais componentes de modernos computadores, incluindo registradores, GPUs e RAM
  • Linguagem assembly e qual é a diferença entre ela e as linguagens de programação de alto nível

Se comparado com outros títulos desta série, o enredo em si é meio clichê mas é inegável o esforço do autor em explicar conceitos à primeira vista beiram o exoterismo mas que, no fim das contas, não passa de um mundo regido por uma mecanismo que só sabe somar e comparar os números binários (0 e 1).

A complicação mesmo vem do fato de que todo o resto que o computador faz baseia-se essencialmente nisso, o que faz com que técnicos, engenheiros e programadores tirem água de pedra para construir o mundo digital em que vivemos.

Uma palavra vale mais do que mil imagens?

Ao lermos este volume, a impressão que tivemos é que a parte dos quadrinhos serve mais como uma espécie de cola que une os diversos tópicos do livro…

… já que na hora do “conhecimento” é o texto mesmo que assume a protagonismo da narrativa indo até contra aquela idéia que “uma imagem vale mais do que mil palavras”

Isso é bom? Ruim? — Talvez a melhor resposta seria “necessário” já que, neste caso, um texto passa a mensagem exata e correta, ao contrário das imagens que podem levar a interpretações ambíguas até opostas (como naquela metáfora do meio copo d’água):

E como no caso de Gonick, onde boa parte do seu livro é dedicado a explicar conceitos essenciais como sistema de números binários…

… ou lógica booleana…

… que depois evolui para conceitos mais complexos como barramento de dados, ciclo de máquina, flags/switches e terminando com rudimentos de linguagem de máquina e algoritmos, este também é o caso deste guia mangá:

Vale a pena?

No fim das contas, pode até ser que no final do livro o leitor não se torne um especialista em ciência da computação, mas pelo menos vai passar a entender — por exemplo — por que um cartão de memória armazena quantidades estranhas de memória como 128, 256 ou 1.024 KB/GB/TB, que diabos é computação 32 ou 64 bits e de onde Bill Gates tirou aquele número de 640 KB de RAM.

Fora isso, vivemos tempos de mudanças em especial na área de educação, onde uma das palavras da moda é STEM — sendo que títulos como este que no passado só chamariam a atenção de otakus, nerds e outros malucos do pedaço podem se tornar uma ferramenta bem interessante para atrair o interesse do público jovem — incluindo meninas — para as áreas de matemática, ciência e tecnologia.

De fato, me lembro que o próprio livro de Gonick foi recomendado pelo meu professor de computação na época de faculdade e acredito que essa obra poderia até ser uma leitura relevante e obrigatória nas escolas mesmo nos dias de hoje, se não fosse pelo fato dele nunca ter sido atualizado desde os anos 1980 — apesar de que só a parte final que fala sobre rudimentos de programação de alto nível (ou mais exatamente BASIC) está totalmente obsoleto.

Disponibilidade e preço

Guia Mangá Microprocessadores tem 254 páginas, capa mole e seu preço sugerido é de R$ 63.

Ele pode ser encontrado na lojinha da Novatec ou no Amazon.com.br onde está sendo ofertado pela bagatela de R$ 49.

Mais informações aqui.

Ainda em tempo

Para quem não sabe, o lançamento da Introdução ilustrada à computação (com muito Humor) no Brasil foi uma iniciativa da finada Itautec sendo que a tradução do texto é creditada à dois funcionários da empresa Vilmar Pedro Votre e Eduardo Lamounier Barbieri.

Fora isso a empresa também incluiu um prefácio para explicar esta nobre iniciativa para o leitor…

… além de mexer em “algumas coisinhas” da arte, como colocar o seu microcomputador i-7000 em algumas páginas do livro no lugar do IBM PC…

… o que também inclui — é claro — a capa do livro:

Para aqueles interessados em ter um exemplar desse livro, a boa notícia é que aparentemente ele foi impresso em imensas quantidades, de modo que mesmo depois de três décadas e meia ele é relativamente fácil de ser encontrado em sebos físicos e on-line por preços bem módicos, na faixa de R$8 a R$20.

Fora isso, também existe uma edição de capa-dura publicada pelo Círculo do Livro que, apesar dele ser mais “raro” ele não chega a ser mais caro que a versão de capa mole:

Mas também com essa capa??? 🤦‍♀️

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

Por Mário Nagano

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos