ZTOP+ZUMO

“Ears-on”: fones Bluetooth Jaybird X3

Confesso que eu não conhecia a Jaybird direito. Sabia que era uma das inúmeras marcas da Logitech e que fazia fones esportivos, e só. No dia do lançamento oficial no Brasil, fiquei um tanto surpreso com comentários no Twitter/Instagram sobre “esses fones são incríveis“.

Levei para casa uma amostra de testes do Jaybird X3, primeiro produto da marca à venda no Brasil e, bem, eles são incríveis mesmo (mesmo eu não tendo um perfil “esportivo”), com graves muito bons e um app que complementa (e aprimora) a experiência sonora.

São dois motivos que me levaram a essa conclusão: a qualidade sonora do Jaybird X3 é muito boa e, promessa de campanha para um produto de nicho, eles realmente não caem do ouvido enquanto se faz exercício (no meu caso, caminhadas em dias quentes de inverno neurótico em São Paulo).

À primeira vista, o Jaybird X3 parece um fone Bluetooth comum: um fio único prendendo os dois fones, um controle para ligações/volume/música e… só.

Mas não é apenas isso: nesse espaço do controle (minúsculo)  cabem ainda uma antena Bluetooth e a bateria que promete 8 horas de uso (na prática, dá quase isso).

Os fones propriamente ditos têm um acabamento de plástico emborrachado…

…com o detalhe metálico da marca.

Um fator positivo é que a caixa do Jaybird X3 vem com vários e diferentes acessórios para o fone: ponteiras de silicone e de espuma e esse encaixe auricular (que parece uma asa). Logo, fica fácil encontrar qual a melhor combinação para seu ouvido. No meu, foi usar as espumas (que prendem melhor ao canal auricular), sem optar pelas “asas” – que, ao meu ver, são mais para uso em atividades intensas (corrida, bicicleta, crossfit, por exemplo).

Retirando a espuma: o fone é fácil de limpar e de trocar a ponteira de encaixe. 

O controle remoto (ao carregar ou parear, tem um mini indicador LED no lado esquerdo) com microfone.

Mas como recarrega a bateria? Por esses conectores aqui:

Que se encaixam a um adaptador ligado a um cabo USB: 

As “asinhas” encaixam no fone e na parte interna do ouvido. Eu tentei usar, mas não consegui – gosto de fones in-ear porque não criam nenhuma força/pressão no ouvido.

Usando o Jaybird X3

Os fones Jaybird X3 vêm com um manual em papel, mas o site da fabricante traz diversos tutoriais de como usar/escolher a combinação ideal. Me adaptei usando fones de um modo para mim inédito: com o fio por trás da cabeça e o fone dando a volta no ouvido, se encaixando direitinho. Usei a ponteira de silicone (escorregou um pouco), mas a de espuma ficou perfeita.

Só que o segredo do sucesso do Jaybird X3 se encontra no app para Android e iOS: existem inúmeras opções de equalizadores predefinidos no aplicativo (você pode criar/editar o seu também e compartilhar com a comunidade). Eu usei na maioria das vezes esse “Precision Sound”, que me pareceu a melhor opção com graves fortes tanto para rock quanto para música eletrônica.

Além disso, o aplicativo do Jaybird X3 tem integração com o Spotify (e só com ele) para playlists para esportes em diversas situações.

Finalmente, o aplicativo também permite ajustar configurações básicas do fone:

Em resumo: gostei muito da qualidade sonora do Jaybird X3 (graves! graves! graves!) e do fato que ele se encaixa perfeitamente sem cair.

Caminhei, em alguns dias alternados, em média uma hora com o Jaybird X3: a qualidade sonora foi ótima, os fones com a ponteira de espuma não escorregaram do ouvido (os de silicone escorregam conforme a quantidade de suor) e as equalizações do aplicativo são incríveis – o único porém ao app é o fato de ele só funcionar com os fones da marca – nem abre se você estiver com um fone convencional conectado ao smartphone.

A fabricante cita 8 horas de duração de bateria, e na prática é quase isso, já que cada sessão de 1 hora consumia entre 10-15% da carga. Usei o Jaybird X3 tanto com o Galaxy S7 edge e com o Galaxy S8+ e achei que a qualidade da conexão no S8+ foi melhor: com o smartphone no bolso da bermuda e o transmissor Bluetooth atrás da orelha esquerda, ocasionalmente ocorriam pequenas falhas na transmissão com o S7 edge. Ah sim, atendi ligações sem nenhum problema no Jaybird X3, apesar de sempre achar estranho conversar com os fones estéreo ligados.

O Jaybird X3 já está à venda no mercado brasileiro pelo preço sugerido de R$ 799,90.

[Jaybird]

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin