Intel atualiza linha RealSense com nova câmera T265

I

Nova câmera Realsense incorpora recursos que permitem que robôs e drones naveguem dentro de um local mais ou menos conhecido utilizando sensores inerciais e uma câmera 3D.

A Intel anunciou na semana passada a câmera Intel RealSense Tracking Camera T265, que faz parte de uma nova categoria de produto com a proposta de ser uma solução completa tanto de visão quanto para orientação/navegação de dispositivos autônomos.

É uma mudança de direção no projeto das RealSense, que surgiram como câmeras auxiliares em PCs, tablets e smartphones (fazendo parte de diversos produtos comerciais) …

…para funções como reconhecimento de usuário, realidade virtual/aumentada…

… e análise de posicionamento (da mão do consumidor, por exemplo), entre outras.

Agora, a tecnologia RealSense segue para esse mundo de guiar dispositivos autônomos.

Como ela funciona?

Segundo o pessoal de Santa Clara, a grande novidade dessa câmera é a tecnologia V-SLAM (Visual Inertial Odometry Simultaneous Localization and Mapping) que utiliza um sensor IMU (Inertial Measurement Unit) BMI055 da Bosch Sensortech com sensores de movimento com 6 graus de liberdade (ou 6DoF).

Todos esses sensores de movimento, combinados com as informações visuais fornecidas pela câmera de visão estéreo modelo OV9282 com ângulo de visão de 163±5°, permitem que um veículo autônomo equipado com esse dispositivo seja capaz de se movimentar dentro de um local desconhecido e cheio de obstáculos — como por exemplo uma floresta ou depósito cheio de prateleiras — sem depender de sistemas externos como GPS, torres de celular ou até mesmo pontos de acesso Wi-Fi que podem ser usados como para cálculo de posição por meio de triangulação.

Só que no caso da T265, em vez de confiar apenas em sensores de movimento, o que ela faz é visualizar o ambiente ao seu redor com sua câmera estéreo que usar o V-SLAM para criar um mapa virtual na sua memória que é atualizado continuamente e em tempo real à medida que se desloca pelo ambiente.

Todo esse processamento é feito internamente pela sua VPU (Unidade de Processamento Visual) Intel Movidius Myriad 2

…o que faz desse produto uma solução bem interessante para desenvolvedores.

O dispositivo mede aproximadamente 10,8 x 2,45 x 1,25 cm e se comunica com o PC por meio de uma interface USB 3.0 ou 2.0 e consome apenas 1,5 watt de energia.

Disponibilidade e preço:

Segundo a Intel esse produto vem para complementar a atual linha de câmeras e acessórios D400 e já pode ser reservado na lojinha da Intel pelo preço sugerido de US$ 199, com previsão de entrega para o fim de fevereiro de 2019.

A boa notícia é que essa loja pode enviar esse produto para o Brasil mediante o pagamento de todas as taxas e tarifas de postagem é claro.

Mais informações aqui.

Bonus track:

Essa tecnologia de um certo modo lembra vagamente o sistema de navegação inercial usado pela primeira vez por Verner Von Braun no seu míssil V2, mas que ficou realmente famoso durante o projeto Apollo que utilizou essa tecnologia em conjunto com o AGC (Apollo Guidance Computer) desenvolvido pelo Laboratório de Instrumentação do MIT.

Para aqueles que curtem história da computação e da tecnologia em geral, existe uma série documental chamada Moon Machines produzida pelo Science Channel, e que o terceiro episódio é totalmente dedicado ao AGC:

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

Por Mário Nagano

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos