ZTOP+ZUMO

Intel Core iX de terceira geração (finalmente) chega ao mercado

Depois de muita especulação nas últimas semanas a Intel confirmou hoje a chegada do Ivy Bridge, quer dizer, do novo processador Core ix de terceira geração. De fato, esse anúncio não envolve só processadores e sim a plataforma completa, o que também inclui dez novos chipsets série 7 (disponíveis a partir de 8 de abril) e cinco interfaces sem fio “Centrino“:

Uma das grandes novidades desse processador é o fato de ele ser o primeiro chip a casa a utilizar o revolucionário transistor trigate, que introduziu um novo desenho para a porta do transistor, que deixou de ser plano (embaixo à esquerda) para ter a forma de uma aleta (à direita). Isso permitiu aumentar ainda mais a densidade de componentes na pastilha de silício — abrindo assim uma folga pra lei de Moore — ao mesmo tempo que permitiu que eles trabalhem de maneira mais eficiente, com voltagens menores e menor vazamento de corrente.

Falando nisso, Mark Bohr Senior Fellow e diretor do grupo de tecnologia e manufatura, processos de arquitetura e integração da Intel que deu uma de ator no ano passado para explicar como funciona o transistor Trigate repetiu novamente a façanha estrelando uma nova superprodução em vídeo com direito até a um teaser cheio de suspense na web:

Só que  mas desta vez ele contou com a companhia de Brad Heaney gerente do grupo de desenvolvimento de Aquitetura Intel (IA) para apresentar o novo processador Ivy Bridge. Ele continua meio acanhado, mas preciso reconhecer que ele está melhorando a cada atuação. Eu conheço Bohr pessoalmente e garanto que se a atuação dele não é intensa, pelo menos é bem autêntica:

Essa inovação foi tão significativa que até mexeu com o calendário tiquetaqueano da Intel que determina que os anos “Tick” a escala de fabricação é reduzida e nos anos “Tock” introduz-se uma nova microarquitetura. Sob esse ponto de vista, o ano de 2012 seria marcado pela mudança do processo de fabricação de 32 nm para 22 nm, mas com a adoção do transístor Trigate ocorreu — de um certo modo — a introdução de uma nova microarquitetura, criando assim uma singularidade que alguns executivos da empresa descrevem como “Tick Plus!”

Mas voltando ao que interessa, o novo Ivy Bridge é um chip que na sua versão mais avançada espreme mais de 1,14 bilhão de transistores numa pastilha de silício de 160 mm², sendo que quase 1/3 deles são usados pelo circuito da nova aceleradora gráfica Intel HD 4000, uma GPU completamente nova que, segundo a empresa, proporciona o dobro do desempenho gráfico do seu antecessor.

Porém, vale a pena notar que algumas versões do Ivy Bridge poderão vir equipadas com uma segunda opção de aceleradora gráfica Intel HD 2500 menor, mais simples e bem mais em conta que a sua irmã maior.  De qualquer modo —  qualquer uma delas representa um avanço significativo se comparado com seu antecessor:

Já sua nova plataforma — codinome Panther Point — formada pelo processador + chipset  incorporam novas tecnologias de segurança como o Intel Secure Key e Intel OS Guard que protegem os dados pessoais e a identidade do usuário por meio de geradores de números realmente aleatórios e controles de acesso mais sofisticados que impedem que um hacker assuma remotamente o sistema de outra pessoa. De fato, a nova plataforma é capaz de fazer com que partes tela do usuário fique ilegível (tecnologia protected transaction display) impedindo assim que hackers capturem informações de login.

Outra grande novidade dessa plataforma é que o controlador PCI Express 3.0 e o PCH (Platform Controller Hub) está integrado ao núcleo do processador, criando assim maior velocidade no fluxo de dados, reduzindo lags ao mesmo tempo que melhora a experiência de uso do PC.

Inicialmente a Intel irá colocar no mercado apenas a versão quadcore do Ivy Bridge sendo que os primeiro sistemas — como os notebooks ASUS N65 e MSI GT70, desktop HP Bodie 27 All-in-one etc. começam a chegar ao mercado (americano) ainda neste mês, o que também inclui a venda do processador avulso (in-a-box). As versões para servidores e para Ultrabooks devem chegar aos poucos durante o resto deste ano.

Segue abaixo algumas tabelas de referências e descritivos mais detalhados dos processadores anunciados hoje e até de outros que ainda não foram anunciados incluindo modelos corporativos com VPro, Core i3 e até um Pentium Ivy Bridge (uia!):

Estes são processadores Core ix de terceira geração para desktops. Note que o preço divulgado é sempre unitário para lotes de mil peças nos EUA:

Já essa lista é dos processadores Core ix de terceira geração para notebooks:

Curiosamente, os modelos abaixo não tiveram seus preços divulgados:

Mais informações no site da empresa.


Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.