ZTOP+ZUMO

Intel anuncia o Core ix de sétima geração no Brasil

Conhecido pelo codinome Kaby Lake, o novo chip chega ao mercado por mais de 14 empresas locais e estrangeiras.

A Intel Brasil reuniu hoje (23/mar) a imprensa para anunciar a chegada oficial no País do seu processador Intel Core ix de sétima geração — codinome Kaby lake.

Isso pode parecer estranho para alguns já que o chip foi anunciado na IFA do ano passado e vários big players locais também já anunciaram seus produtos no Brasil, mas esse tipo evento não deixa de ser para a Intel uma maneira de mostrar sua relevância no mercado de PCs e sua disposição de chutar traseiros, seja nos novos quanto dos velhos concorrentes.

Quem fez a apresentação foi o presidente da Intel Brasil  e chapa deste Ztop — Maurício Ruiz — que transmitiu uma certa mensagem de otimismo no sentido de que, apesar do ano passado ter sido difícil para o mercado local de PCs, números do IDC indicam uma certa estabilização e até um crescimento de 9% nas vendas de PCs para o varejo e isso sem falar que a Intel praticamente domina o mercado de servidores corporativos e tem tido bons retornos vindo de outros produtos como discos SSD.

Ele disse que só não comemora demais esses resultados promissores porque está ciente de que estamos vivendo dentro de um contexto político e econômico bastante complexo de modo que tudo pode acontecer.

Segundo o executivo, outro fator que pode impulsionar o mercado neste ano seria a necessidade do mercado como um todo de atualizarem seus PCs já que estima-se que existam ~40 milhões de PCs com mais de 5 anos de idade que poderiam ser trocados por um modelo novo de última geração.

Para isso a Intel tem abandonado a idéia do PC “tamanho único” e trabalhado no desenvolvimento de novos padrões de formato capazes de atender sob medida as diversas demandas do mercado seja ele um singelo Compute Stick até um servidor com dezenas de núcleos.

Um bom exemplo foi o recente anúncio do Compute Card um sistema completo na forma de um dispositivo na forma de cartão que abriga um processador (ou mais exatamente um SoC), memória, armazenamento, Wi-Fi e outros recursos de conectividade que mede apenas 5,5 x 9,4 x 0,5 cm (LxAxP) que pode ser usado em aplicações embedded — como um robô ou geladeira inteligente — ou mesmo inserido num slot lateral e ser usado como um tablet ou notebook.

Fora isso, a empresa também promove os novos recursos do seu novo chip, descrito como um chip feito sob medida para a chamada internet imersiva…

… ou seja, um chip capaz de proporcionar experiências visuais e sensoriais cada vez mais ricas e interativas por meio de quatro tendências que estão da moda: a maior oferta de conteúdo em UHD/4K na web, a proliferação de vídeos em 360°, as tecnologias de VR (Realidade Virtual)/MR (Realidade Combinada) e a popularidade do chamado Esporte Eletrônico (ou eSport).

Outro destaque do Kaby Lake é a implementação de um novo circuito dedicado de baixo consumo, capaz de processar/decodificar vídeos em UHD/4K, o que também inclui novos formatos de vídeo como o HEVC/H.265 com profundidade de cores de 10 bits e o VP9 do Google proporcionando assim ao usuário, uma melhor experiência de uso, tanto na hora de criar quanto de consumir conteúdo em 4K.

Já para o mercado corporativo, o pessoal de Santa Clara também anunciou a chegada da 7ª Geração dos processadores Intel Core com tecnologia vPro. Ela vem para atender os anseios do mercado corporativo, que passa por mais transformações com a chegada de uma força de trabalho cada vez mais digital.

Segundo a empresa, para 70%** dos candidatos, fatores como horários mais flexíveis e possibilidade de trabalho remoto são tão ou mais importantes do que a compensação financeira e outros benefícios tradicionais. Dai, torna-se cada vez mais importante para os departamentos de TI atender às demandas dos novos profissionais ao mesmo tempo em que zelam pela integridade e segurança dos dados da empresa.

Assim, a nova família Intel Core vPro atende a estas demandas, permitindo o gerenciamento remoto dos computadores e trazendo recursos de segurança embarcados diretamente no hardware que garantem a segurança das informações. Entre eles a tecnologia Intel Authenticate, que busca aumentar ainda mais a segurança nos computadores corporativos.

Fora isso, a Intel também mencionou o Intel Unite uma solução de videoconferência mais inteligente e conectada que utiliza conexões sem fio para facilitar a configuração e entrada no encontro e a troca de informações de maneria simples e intuitiva.

Finalmente, Ruiz apresentou uma relação de todas os fabricantes e canais de distribuição que já dispõe de produtos baseado no novo Core iX de sétima geração:

Aqui alguns modelos apresentados no evento:

Durante a sessão de perguntas e respostas, questionamos Ruiz o que ele vê de diferente no VR se comparado com outras tecnologias do passado que prometeram tanto mas que, no fim das contas, não aconteceram como as telas 3D e os dispositivos vestíveis.

O executivo reconheceu que os dispositivos vestíveis ainda não fizeram tanto sucesso devido à falta de aplicações, mas acredita que no caso do VR a coisa será bem diferente porque ela oferece uma nova experiência tanto visual quanto sensorial, além de proporcionar um grande nível de interatividade com o usuário, ao contrário das telas 3D onde assumimos um papel mais passivo em relação ao conteúdo apresentado.

Já quando perguntamos o que ele achava do lançamento do AMD Rizen e o recente anúncio da Qualcomm/Microsoft Ruiz disse que, nos dias de hoje, muitas empresas de um certo mercado estão “colocando o pezinho” em outro com a intenção de expandir seu negócio.

Até ai nada demais já que, na sua opinião, toda concorrência é bem vinda (seja ele um velho ou novo rival) de modo que eles podem vir que estamos preparados, concluiu o executivo.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Ícaro Lobo 23/03/2017, 20:50

    Sempre me divide a pertinência de eventos tão distantes da data de facto de lançamento. Por um lado, mostra que a empresa se preocupa em pelo menos “dar satisfação” pros investidores locais e pro consumidor, além de contarem com algo já tangível pro usuário final que sai da conferência e pode comprar a solução apresentada. Por outro, também é uma demonstração de que nosso mercado é um mero coadjuvante global aos olhos da empresa e, como o mercado de chips para PCs tem um ciclo relativamente curto, estar sempre “atrasado” não é algo positivo, especialmente se o seu concorrente direto tem uma logística de distribuição melhor otimizada (vide o Ryzen, que está disponível aqui menos de 15 dias depois de ser anunciado definitivamente).

    Comentaram algo sobre a queda de preços praticados nos EUA? “

    • Mario Nagano 23/03/2017, 22:47

      Nope, eu não perguntei e nenhum dos meus colegas de profissão que estavam presentes também não perguntaram (acho que eles devem ser tímidos).

      O curioso é que ninguém também se animou a perguntar sobre a chegada do Rizen e o anúncio da Qualcomm. Eu perguntei isso para o Ruiz num papo informal com ele depois da coletiva.

  • HENRY ME 24/03/2017, 16:45

    Sobre dispostos vestiveis considero mi band um sucesso

    • Mario Nagano 24/03/2017, 19:29

      Sim, os monitores de atividade física são um sucesso mas não uma unanimidade. em especial entre aqueles que não curtem exercícios.