ZTOP+ZUMO

Intel anuncia processador Core ix de oitava geração

O (meio que) sucessor do Caby Lake chega hoje na versão de baixo consumo para notebooks leves e finos e 2-em-1

Como alguns já devem saber a  Intel anuciou hoje sua oitava geração de processadores Intel Core ix que vai suceder a atual sétima geração (codinome Caby Lake)…

… sendo que nessa primeira leva, foram anunciados quatro modelos da série U de baixo consumo (a partir de 15 watts) sendo dois Core i5 (8250U e 8350U) e dois Core i7  (855U e 8650U) voltados para notebooks leves e finos e 2 em 1 voltandos tanto para o mercado de varejo quanto corporativo:

Segundo a empresa, apesar de todo o oba-oba em cima dos dispositivos móveis e a queda de vendas do mercado de PCs, a plataforma em si não está morta sendo ainda muito popular em diverssas tarefas de produtividade onde um teclado confortável e uma tela grande ainda fazem muita diferença, como preencher tabelas e elaborar relatórios, editar imagens e vídeos, navegar na rede, armazenar dados pessoais e até jogar!

Baseado nisso, o pessoal de Santa Clara afirma que seu novo processador Core ix de oitava geração proporciona uma melhor exeperiência de uso, oferecendo até 40% de desempenho a mais que o seu antecessor (sendo que 25% disso vem dos dois núcleos adicionais) …

…e praticamente o dobro de desempenho se comparado com sistemas de cinco anos atrás

… uma história por sinal bem parecida com algo que já ouvimos na época do lançamento da sétima geração

… e até mesmo no lançamento da sexta geração!

Nagano comenta: Por que essa fixação da Intel com os sistemas de cinco anos atrás? Para nós o suspeito de sempre é o Windows 10 da Microsoft que, com sua estratégia de upgrade gratuito deu uma bela sobrevida para os sistemas que rodavam Windows 7 e 8 fazendo com que seus usuários não sintam a necessidade de atualizar seus PCs por causa do novo SO, ao contrário do que já aconteceu no passado na época do lançamento do Windows (Argh!) Vista e ainda hoje com aquele computador com nome de fruta.

Valeu Satya! 

No geral, o novo Core i5/i7 de oitava geração incorpora novos recursos como uma nova aceleradora gráfica Intel Graphics UHD que, como o próprio nome sugere, oferece suporte nativo para até três monitores 4K, além de suporte para streaming de vídeo em UHD e sistemas de realidade virtual baseado na tecnologia Windows Mixed Reality.

Curiosamente, nesse novo chip a tecnologia Turbo Boost Max 3.0 é capaz de acelerar não apenas um e sim dois núcleos ao mesmo tempo, proporcionando assim mais um ganho de desempenho.

E como era de se esperar de sistemas leves e finos, a autonomia da bateria é estimada em ~10 horas.

Fora isso, esses novos chips também oferecem suporte para Windows Hello, Cortana e Windows Ink, tecnologia de autenticação Intel Online Connect que pode ser usada para pagamentos on-line (fingerprint touch-to-pay), checkout de hoteis, etc. e maior uso da interface Thunderbold que chegará num número maior de equipamentos.

A empresa anunciou que mais de 145 produtos de diversos tipos marcas e modelos já estão no forno, sendo que anlguns fabricantes já devem anunciar alguns produtos a partir de setembro deste ano.

A previsão é que os primeiros modelos para desktop devem ser anunciados até o fim do ano. O curioso é que na sessão de perguntas ocorrida logo após o pré-anúncio do produto na semana passada, a Intel confirmou que a versão para desktops chega ao mercado no início de 2018 mas não revelaram detalhes adicionais sobre sua plataforma, como por exemplo se os novos chips de oitava geração serão retro-compatíveis com as atuais placas-mãe criados para a sétima.

O curioso é que o pessoal da Intel não chama esse novo chip de Cofee Lake e sim de “Kaby Lake Refresh” (que alguns já apelidaram de “Kaby Lake-R“) indicando que ainda se trata de uma versão aperfeiçoada dessa mesma microarquitetura ainda produzida no processo de 14 nm.

Apesar disso, a Intel já revelou que, com o passar do tempo, alguns modelos da oitava geração também será produzida pelo processo de 10 nm (codinome “Cannonlake“) o que reflete uma certa mudança na sua estratégia Tick-Tock descrita detalhadamente neste documento na página 14, onde a empresa diz que, a partir de agora, ela irá aperfeiçoar/otimizar a sua nova microarquitetura antes de partir para um novo processo de fabricação…

… algo por sinal que já aconteceu esporadicamente no passado no lançamento do Ivy Bridge e do Haswell.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.