ZTOP+ZUMO 10 anos!

Intel anuncia Core ix com GPU Radeon integrada

[Pré-CES 2018] Novos modelos da série “G” tiram proveito da tecnologia EMIB para integrar a CPU Intel, GPU discreta e VRAM em um único componente.

Da série “o inimigo do meu inimigo é meu amigo” a Intel acabou de anunciar em Las Vegas seus primeiros processadores Intel Core ix de oitava geração da série “G” com GPU Radeon RX Vega M integrada, a primeira cooperação tecnológica entre o ex-pessoal de Sunnyvale e o pessoal de Santa Clara desde os anos 1980.

Este anúncio poderia até ser mais bombástico — e não foi por causa de outra bomba que estourou no colo da Intel na semana passada — e sim pelo fato de a Intel ter já ter cantado a bola desse lançamento, primeiro com a publicação de um editorial assinado por Chris Walker no início de novembro de 2017, seguido dias depois do anúncio da contratação de Raja Koduri, que deixou de ser o ex-chefão da área de gráficos dentro da AMD para se tornar o atual chefão da área de gráficos dentro da Intel.

O mais interessante é que — ao contrário do que pode parecer à primeira vista — a Intel não está anunciando uma APU nos moldes do bom e velho AMD Fusion e sim de um novo tipo de System in Package (ou SIP) baseado na sua nova tecnologia EMIB (Embedded Multi-Die Interconnect Bridge)…

… que permite agrupar diversos chips em um único encapsulamento por meio de um sistema de interconexões de alta densidade embutidos  no substrato do componente…

,,,permitindo assim a criação de peças dramaticamente menores…

… e finos …

… que podem ser usadas na construção de equipamentos leves e compactos sem abrir mão do seu desempenho:

No caso do anúncio de hoje, a Intel reuniu um processador Intel Core ix de oitava geração (apesar do seu núcleo ainda ser baseado no Kaby Lake), uma GPU AMD Radeon RX Vega M e 4 GB de memória HMB de 2ª geração (ou HBM2):

Segundo John Webb, diretor de marketing para Client Graphics da Intel, a empresa adquiriu uma versão especial dessa GPU Radeon RX da AMD de modo que ela será de uso exclusivo da Intel e não será vendida para outros fabricantes. De faro, o executivo até explicou que o desenvolvimento/oferta dos drivers para essa GPU ficará sob a responsabilidade da Intel:

Outra sacada muito interessante dessa solução é que a GPU integrada (Intel HD Graphics 630)  do processador Core permanece ativa de modo que ela pode combinar seus recursos do os da GPU discreta da AMD, permitindo assim tirar o máximo proveito de ambos os recursos, como por exemplo habilitar até 9 saídas de vídeo (sendo 6 da Radeon e mais 3 da Intel), codificar/decodificar vídeos em 4K a 60 qps (via Radeon) ou usar apenas a GPU integrada da Intel nas atividades mais leves, estendendo assim a autonomia da bateria.

Segundo o pessoal de Santa Clara, essa  GPU Radeon RX estará disponível em duas versões: A chamada RX VEGA M GL Graphics (GL = Graphics Low) mais indicada para geração de conteúdo e jogos…

… e a RX VEGA M GH Graphics (GH = Graphics Hi) uma versão mais potente indicada para entusiastas, gamers e aplicações de VR e MR (Mixed Reality):

Dito isso, dá para entender melhor a estratégia de posicionamento dos quatro primeiros processadores que foram anunciados hoje: Os Core i5-8305G e Core i7 8705G equipados com a versão  RX Vega M “GL” e os Core i7-8709G e Core i7-8809G equipados com a versão RX Vega M “GH“. Vale a pena destacar que o Core i7-8809G é totalmente destravado ou seja, o usuário pode acelerar tanto a CPU quanto a GPU discreta e a sua memória de vídeo.

Para divulgar essa novidade para o público em geral, a Intel criou um novo selo de identificação que — como no caso do produto — integra seus dois componentes principais dentro de um único encapsulamento: 😉

Entre as empresas que já anunciaram equipamentos baseados neste novo chip estão a HP e Dell — que devem anunciá-los durante a CES 2018 — sendo que a própria Intel que anunciou uma nova versão do seu NUC, o chamado NUC 8 Enthusiast

… que estará disponível em duas versões: O NUC8i7HVK equipado com o processador Core i7-8809G e o NUC8i7NHK equipado com o processador Core i7-8705G:

Mais informações aqui e aqui.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Gabriel P. Alves 08/01/2018, 09:42

    Putz, mas a Intel custa a acertar vez ou outra. Pra quê diabos duas interfaces gigabit? O público entusiasta, exatamente os que mais se interessam pelos Skull Canyon, já está adotando o padrão 10-gigabit há anos…

  • dflopes 08/01/2018, 12:38

    Nagano, desculpe a ignorânciam as a diferença entre APU e SIP seria que na APU, a GPU é montada JUNTO com o processador, enquanto na SIP é encapsulada NO processador?

    • Mario Nagano 08/01/2018, 16:04

      Na verdade o termo APU (Accelerated Processor Unit) foi cunhado pela AMD para descrever os seus processadores com GPU integrada, ao contrário da Intel que nunca fez essa diferenciação.

      No caso da APU, a CPU e GPU formam uma única peça fundida na mesma pastilha de silício, ao contrário do EMIB que pega chips separados (CPU, GPU e VRAM) que são montados lado a lado no mesmo substrato/encapsulamento formando assim um único componente.

      O que quis dizer é que esse novo Core iX com Radeon está mais para um conjunto de chips montados em uma única peça do que uma CPU+GPU fundida na mesma pastilha de silício, o que até explica a rapidez com que ele chegou no mercado.