Gadget do dia: Impressora de Fotos Instantâneas Printoss

G

Brinquedo da Takara Tomy imprime fotos de smartphone diretamente sobre filme Instax sem usar App, scanners, motores e até baterias!

Lançada durante a última edição do International Tokyo Toy Show 2017, o Printoss (プリントス) TPJ-03 da Takara Tomy é um daqueles produtos inusitados que você não espera que venha de um fabricante de brinquedos, apesar que essa indústria como um todo sabe como ninguém enxergar as modinhas e hábitos de consumo do momento e — a partir disso — desenvolver algo atrativo, engenhoso e super bacana por um preço relativamente baixo já que, no fim das contas, estamos falando de um brinquedo né?

No caso do Printoss estamos falando de uma curiosa combinação de scanner e impressora fotográfica capaz de reproduzir fotos tiradas de um smartphone diretamente sobre filme Instax.

Até ai nada demais — já que a própria Fujifilm já tem algo parecido no seu catálogo — se não fosse pelo fato desse produdo fazer o mesmo…

…  sem usar componentes eletrônicos, motores, Apps ou pilhas!

Como assim? Basta abrir o aparelho (1) para revelar uma espécie de câmera analógia que olha diretamente para cima na direção de uma moldura, onde o usuário coloca o seu smartphone com a foto a ser reproduzida e pressiona o botão de disparo localizado na sua lateral para expor o papel fotográfico (2). Depois disso, basta girar o botão “Print” para ejetar a mídia da câmera para ter inicio o processo de revelação.

Simples não?

Segundo a empresa, ela utiliza cartuchos de filme Instax Mini que é inserido num compartimento localizado na sua base, onde também fica o contador de exposições:

Já tinhamos visto algo parecido no passado como o Smat Film Phone Scanner da Lomo, só que neste caso trata-se de um dispositivo para transferir imagens de filme fotográfico para o smartphone, ao contrário do que acontece na Printoss.

Talvez um produto mais parecido no funcionamento é a câmera Polaroid DS-34 Direct Screen Camera um equipamento especialmente criado para aplicações técnicas, ou mais exatamente fotografar inicialmente telas de osciloscópios e depois monitores de computador em filme instantâneo:

O produto mede 13,5 × 15,5 × 5,8 cm (LxAxP) e está disponível nas cores azul (sora) cinza (sumi) e rosa (sakura).

O produto já encontra-se em pré-venda na lojinha da empresa pelo preço sugerido de 3.996 ienes (~R$ 115) —  mais informações aqui.

Ainda em tempo:

Essa não é a primeira entrada da Takara Tomy no mundo da fotografia. Em 2011 no auge da tecnologia 3D a empresa lançou a 3D Shot Cam uma curiosa câmera de brinquedo equipado com dois sensores CMOS de 3 MP que resolveu um dos maiores desafios dessa tecnologia que era de encontrar uma maneira simples e prática de ver fotos em 3D.

 

Como assim? Após bater algumas fotos com a câmera, o usuário retirava o cartão SD  e imprimia as fotos em qualquer impressora fotográfica em casa ou até fora em um minilab digital. O resultado final é um par estereoscópico com as duas imagens dispostas lado a lado já no espaçamento correto.

Feito isso, bastava recortar o excesso de papel da foto restando assim numa tira com um par estereoscópico que devia ser colocada dentro de um simples visor de papel inlcuso, o que permitia visualizá-las com efeito 3Dsem a necessidade de dispositivos modernosos como telas LCD polarizadas, óculos ativos ou TVs 3D.

Fora isso, o par estereoscópico leva vantagem sobre o 3D anáglifo (que exige o uso daqueles óculos bicolores) por gerar imagens mais precisas e cores realistas resultando assim numa experiência de visualização em 3D muito mais simples e agradável.

Outra sacada interessante é que as fotos podiam ser coladas no interior do visor de papel e achatadas, ficando assim com uma cara de cartão de lembranças (com espaço para mensagens ou anotações) que podem ser facilmente guardadas, dadas de presente e até enviadas pelo correio dentro de envelopes.

Neste caso, a empresa também oferecia pacotes com 5 visores avulsos com estampas diversas ao preço sugerido de 980 ienes (~R$ 28).

Legal né?

 

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos