ZTOP+ZUMO

HP anuncia Thin Client com suporte para telas UHD/4K

Novo sistema é voltado para aplicações que demandam grandes quantidades de informações  visuais

A HP Inc. anunciou  hoje (10/nov) seu novo Thin Client HP t730…
ThinClient_HP t730_frente

cujo principal atrativo é seu suporte nativo para até quatro monitores com resolução UHD/4K, ou até seis com a adição de um acessório opcional:

ThinClient_HP t730_4xLCD

Segundo a empresa, esse sistema é voltado para aplicações onde existe grande demanda por informações visuais e imagens como o setor financeiro, mídia digital, óleo e gás e até aplicações de engenharia que preferem manter seus preciosos projetos bem guardados em salas de servidores do que encostado embaixo da mesa de trabalho.

Segundo a IDC, à medida que as telas aumentam de resolução e tamanho, modelos de computação híbrida criam novas demandas para o aumento da capacidade de processamento local dos Thin Clients. Segundo essa agencia de pesquisa o mercado de Virtual Client Computing tem uma previsão de taxa de crescimento CAGR de 7,7 % nos próximos cinco anos.

O sistema em si é baseado no processador na APU AMD RX-427BB de 2,7~3,6 GHz que também integra uma GPU AMS Radeon HD 9000. 

ThinClient_HP t730_apu

Fora isso o t730 pode vir equipado até 16 GB de memória SDRAM DDR3L-1600, 8~128 GB de memória MLC Flash ou 16~32 GB de memória UMLC Flash, porta de rede Gigabit Ethernet, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac e até conexão de fibra óptica AT-27M2/SC M.2 da Allied Telesis, duas portas PS/2 para mouse e teclado, duas seriais, uma paralela e quatro saídas de vídeo padrão DisplayPort 1.2 com suporte para telas de até 3.840 x 2.160 pixels. Como dissemos antes é possível adicionar mais duas saídas de vídeo com a instalação de uma plaquinha de vídeo AMD FirePro W2100.

ThinClient_HP t730_frente_atras

O sistema ainda conta com seis portas USB 2.0 e três USB 3.0, sendo uma delas montada dentro do gabinete. Existen portas de som na frente e atrás do gabinete, assim como um alto-falante mono embutido para monitorar sons. Ele é alimentado externamente por uma fonte de 85 watts e, de pé, mede aproximadamente 6,7 x 22,1 24,0 cm (LxAxP) e seu peso fica em torno de 1,8 kg.

Seu sistema operacional residente é o Windows 10 IoT Enterprise for Thin Clients, Windows Embedded Standard 7P, HP ThinPro ou HP Smart Zero Core e trabalha com os protocolos Microsoft RFX/RDP, Citrix ICA/HDX; VMware Horizon RDP/PCoIP. Entre os softwares da HP disponíveis estão o HP Device Manager, HP ThinUpdate, HP Easy Tools, HP Smart Zero Client Services, Microsoft SCCM/EDM Agent, HP Velocity, HP Easy Shell e o HP True Graphics.

Segundo Jeff Wood VP de produtos de Workstations e Thin Clients da HP Inc. a medida que as empresas migram para ambientes de computação virtual, nossa reação é de oferecer soluções híbridas que combinam tecnologias de clientes de PC/workstation com a computação na nuvem na forma de uma plataforma única e revolucionária.

A previsão é que o HP t730 esteja disponível para o mercado global a partir de dezembro de 2015, sendo que nos EUA o preço sugerido começa a partir de U$ 599.

Disclaimer: Mario Nagano viajou para a Nova Iorque a convite da HP, mas as opiniões e fotos bacanas são dele.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Thiago Silva 11/11/2015, 23:47

    “Ele é alimentado externamente por uma fonte externa de watts…”, um tanto redundante (externamente, fonte externa) e faltou a quantidade de watts fornecida pela fonte.

    • Mario Nagano 12/11/2015, 08:11

      Deixa me ver… 85 W, worldwide auto-sensing, 100-240 VAC, 50-60 Hz energy-saving automatic power-down, surge-tolerant

      Brigadão pelo toque 🙂

  • dflopes 12/11/2015, 23:53

    Com tanta capacidade gráfica, imagino hackearem pra rodar windows full.
    Pois da forma que está apresentado, serve apenas para monitoramento. Todo o processamento de dados deverá ser externo (voltaremos aos mainframes?)