ZTOP+ZUMO 10 anos!

HP renova sua linha de PCs (de novo)

hp_dx2295_desk.JPGJunto com o anúncio da nova fábrica de computadores em Jundiaí­, interior de São Paulo, a HP anunciou a chegada de novos desktops, tanto para o segmento de uso pessoal quanto o de pequenos e médios negócios.

Um dos destaques foi a renovação da linha dx2000, que ganhou um visual mais moderno, se afastando ainda mais da aparência de micro montado de seu antecessor.

Com preços sugeridos a partir de R$ 959 é possí­vel levar para casa o modelo de entrada – o HP Business Desktop dx2295 – equipado com processador Intel Celeron D 340, 512 MB de memória SRAM DDR2, 80 GB de disco, unidade de DVD-ROM, sistema operacional FreeDOS e garantia on-site de 12 meses.

O sistema é montado ao redor de uma placa-mãe Foxconn equipada com chipset Intel 945GZ Express, aceleradora gráfica Intel GMA 950, porta de rede Fast Ethernet, seis portas USB 2.0 e suporte para leitor de CD/DVD e discos rí­gidos SATA.

Um dos grandes atrativos desse novo lançamento é que apesar de os equipamentos sairem de fábrica com o Windows Vista Business pré-instalado, o usuário tem a opção de fazer um downgrade para o Windows XP Pro de maneira simples e direta e, se for o caso, até voltar para o Vista.

Segundo a HP, isso é possí­vel graças a uma negociação realizada junto com a Microsoft, o que permitiu tal flexibilidade. Mas para isso, a HP está até bancando uma licença mais cara, mas a companhia acredita que vale a pena, já que isso vai de encontro aos desejos do seu consumidor.

Quando questionamos se seria válido colocar no mercado PCs com 512 MB de SDRAM com Vista, Augusto Rosa, gerente de produtos da HP para SMB, existe uma estratégia da empresa de oferecer para seus parceiros pacotes promocionais com monitor incluso ou 512 MB de memória adicional por um preço mais camarada.

Desse modo, surge uma maneira interessante de contornar o problema de limitação de memória para o Vista, ainda muito comum em um mercado onde ainda não é difí­cil encontrar ofertas de equipamentos de entrada com apenas 256 MB de SDRAM.

Desmontei um dx2295!

hp_dx2295_front.JPGUm exemplar do novo dx2295 estava em demonstração no lançamento, de modo que pude dar uma olhada mais minuciosa em alguns de seus detalhes, inclusive no seu interior.

Como já disse antes, o visual do dx2295 melhorou em muito se comparado ao seu antecessor, com algumas semelhanças com a atual linha HP Pavilion. Mas ao contrário de seu primo, o painel frontal do dx2295 é apresentado na cor preto fosco, mais resistente a maus tratos do que o chamado acabamento black piano (que risca só de olhar feio para ele).

Dos Pavilion, a HP manteve o botão de liga no topo do gabinete, o que facilita o seu uso quando o computador é montado em locais baixos, como debaixo da mesa dos usuários. Seu teclado também ganhou novas funções, como controle de som, volume e um botão especí­fico para colocar o PC no modo de dormência (stand-by). O mouse também foi renovado, mas as alterações são basicamente estéticas.

hp_dx2295_back.JPGObservando a parte de trás do equipamento, algo que me chamou muito a atenção foi o número de portas reduzido para o essencial, ou seja, duas USB, uma de rede, SVGA, mouse/teclado e som.

A falta da porta paralela poderá até nem ser sentida, mas a ausência da porta serial sim, já que periféricos com essa interface ainda são muito comuns em aplicações de automação comercial.

Com relação ao reduzido número de portas USB, vale a pena observar que o dx2295 dispõe de duas portas USB no painel frontal e mais dois conectores internos que podem ser utlizados com o apoio de um acessório genérico.

hp_dx2295_interior.JPGPara minha surpresa, ao abrir o gabinete, notei que a placa-mãe do dx2295 não segue o padrão BTX e sim o bom e velho mini-ATX. Isso pode ser mais uma confirmação de uma outra história que publicamos anteriormente, sobre rumores de que o padrão BTX poderia estar entrando em decadência, já que sua função básica era de resolver o problema de geração de calor do Pentium 4. Com a introdução do Core 2 Duo, tal solução tornou-se dispensável.

Como era de se esperar, a fonte de alimentação é uma HIPRO de boa procedência, mas a placa mãe – já com a marca Foxconn – oferece recursos limitados de expansão: apenas dois slots PCI, um PCI-E 1x e duas portas IDE livres.

Infelizmente, nenhum slot PCI-E 16x, mas também nada de se estranhar nessa categoria de produto. Desse modo, no geral podemos afirmar que o dx2295 atende bem muito bem a sua proposta de ser um desktop de entrada – voltado para í s aplicações do dia a dia – mas não espere muito mais do que isso, principalmente em termos de expansão.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Parece uma excelente alternativa para dar de presente pros pais. Acho que eles não vão sentir falta da porta serial. Mas sendo um ‘entry level’, confesso que senti falta do modem.

    Obrigado pelo review e pelo excelente blog, que tenho acompanhado desde que o Augusto do BR-Linux citou vocês. Bom trabalho!

  • Ops. É claro que não vai ter modem. É um “Business Desktop”, afinal.