ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Hands-on: HD Seagate Ultra Thin de 500 GB

Como o próprio nome sugere, o novo rígido ultrafino da Seagate tem apenas 5 mm de espessura e é mais indicado para uso mini-notebooks, modelos leves e finos, Ultrabooks e até tablets.

Apesar do aumento na popularidade dos discos de estado sólido (SSD) entre os fabricantes e usuários de PCs, os tradicionais discos rígidos (de mídia magnética) ainda são imbatíveis quando o assunto é combinar a melhor relação entre custo x benefício x quantidade armazenada.

Presente nas nossas vidas desde a década de 1950, trata-se de uma tecnologia madura que pode até um dia fazer companhia para o disquete de 3,5″, o mouse de bolinha, o modem de linha discada e até o monitor de tubo no céu dos computadores, mas até lá os fabricantes continuam a expandir os limites dessa tecnologia no que se refere a oferecer cada vez mais capacidade, com menos espaço físico, pelo menor custo possível.

Este é o caso do Seagate Laptop Ultra Thin HDD um dispositivo que apesar de ter a mesma largura e a profundidade de um disco rígido padrão de 2,5 polegadas, ele tem apenas 5 mm de espessura o que foi possível graças ao uso de apenas um disco (ou prato) no seu projeto e uma mídia de altíssima densidade capaz de armazenas até 500 GB de dados (modelo ST500LT032) — apesar de também existir uma versão de 320 GB (ST320LT030) e numa versão “protegida” de 500 GB com recurso de auto-encriptação embutido (ST500LT033). Também já se fala numa versão com acelerômetro embutido — que estacionaria a cabeça de leitura/gravação no caso de um movimento mais brusco — o que tornaria o seu uso mais confiável em dispositivos (muito) móveis como tablets.

Seagate_ultrathin_opened

O modelo que recebemos para testes aqui na Zumo-caverna é a versão de 500 GB  que, dependendo do ponto de vista (literalmente falando), ele não parece ser muito diferente de outros HDs para notebooks que já passou pela nossa bancada…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

… mas isso muda ao conferirmos a sua espessura…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

… que é de ~5 mm contra 9 mm dos modelos mais comuns:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Para termos uma idéia das suas dimensões, colocamos o Ultra Thin lado a lado de um HDD 7K200-100 da Hitachi de 100 GB e 7.200 rpm (à direita)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

… e pudemos notar que, no que se refere ao seu design, ele  procura ser o mais compatível possível com os modelos de linha, o que inclui a posição física do seus conectores SATA…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

… e dos seus furos de fixação.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Observamos porém que o Ultra Thin (a esquerda) não possui furos de fixação na sua base, o que pode dificultar o seu uso como opção de upgrade se o disco antigo for fixado no computador ou berço por baixo e não pelos lados.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Para realizar nossos testes, instalamos o mesmo num adaptador de disco de 2,5″ para 3,5″ da Kingwin — que possui uma entrada frontal onde inserimos o HD como se fosse um cartucho de fita, com direito a botão de ejetar a direita:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Aqui mais uma vez  podemos ver como esse disco é fino…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Feito isso, instalamos esse disco no mesmo sistema que usamos para testar o memory key de 512 GB da Kingston e que é baseado na placa-mãe ASRock modelo FT3-4C equipado com uma CPU APU A6-5200 “Kabini”. Fizemos isso porque primeiro, ele continuava aqui de bobeira na bancada, pronta para uso — e segundo porque trata-se de uma plataforma moderna que oferece suporte nativo para SATA 600/3.0 em todas as suas portas. Ao invés de testá-lo como disco de sistema, optamos por instalá-lo como um disco secundário, o que nos permitiu também fazer testes sintéticos de gravação, o que normalmente não é possível em discos de sistema (com o SO instalado no mesmo).

AMD_Kabini_ASRock_FT3-4C_montado1a

Nos testes realizados com o HD Tune Pro 4.01 a opção de Info mostra que o ULtra Thin é um disco rígido de concepção moderna e cheia de recursos sendo que a única informação que ela não cita é que ele vem com 16 MB de memória cache. Observe que se trata de um disco de 5.400 rpm o que faz sentido, já que rotações menores consomem menos energia, palavras por sinal que viraram mantra entre os fabricantes de portáteis.

Seagate_Ultrathin_HDTune_Info

Nos testes de leitura com o HD Tune, o Ultra Thin obteve uma média de leitura de 83,4 MB/s com picos de 107,3 MB/s…

Seagate_Ultrathin_HDTune_Benchmark_read_ST500LT032-1E9142

… e nos testes de gravação a velocidade chegou numa média de 80,6 MB/s com picos de 107,8 MB/s. Desempenho próximo entre leitura e gravação é bastante característico dessa tecnologia, ao contrário dos SSDs cujo desempenho de leitura é bem melhor que o de gravaçã0.

Seagate_Ultrathin_HDTune_Benchmark_write

Esse comportamento também pode ser visto no bom e velho HD Tach RW 3.0.1.0 cujas velocidades de leitura/gravação foram respectivamente de 87,4 MB/s e 87,3 MB/s:

Seagate_Ultrathin_HDTach_full_ST500LT032-1E9142

Clique para ampliar

Já no CrystalDiskMark 3.03 o desempenho observado foi sensivelmente superior nos testes de leitura/gravação sequencial, ambos na faixa dos 109 MB/s.

Seagate_Ultrathin_CrystalMark_ST500LT032-1E9142

Segundo a Seagate, esse produto será inicialmente voltado para os fabricantes de mini-notebooks e/ou modelos leves e finos — em especial Ultrabooks de entrada — onde a adoção de um disco SSD de alta capacidade (digamos, acima de 250 GB) ainda é inviável devido ao seu custo. Assim, o disco da Seagate pode ser uma alternativa bem mais em conta — algo como menos de US$ 100 nos EUA ou US$ 80 pela versão de 320 GB — se comparado com os US$ 400~US$ 500  cobrados lá por um SSD SATA de mesma capacidade.

Isso me faz lembrar de um papo que tive com Phil Hester  na época em que ele ainda estava na IBM e me mostrou diversos produtos recém-lançados pela sua empresa, entre elas o Microdrive um impressionante disco rígido de 1 polegada na forma de um cartão CF.

Quando perguntei qual era a idéia por trás desse produto ele me respondeu que já naquela época o custo de fazer um micro HD era menor do que um equivalente de mesma capacidade com memória flash.

IBM_microdrive

Assim, como sempre — a história se repete. 🙂

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.