ZTOP+ZUMO 10 anos!

Hardware ao alcance de (quase) todos

bug_geral.jpg

A idéia do hardware “open source” não é nova mas, pela primeira vez, vemos uma solução que permite a qualquer engenheiro / inventor / nerd / geniozinho da classe com experiência em programação — mas nenhum conhecimento prático de eletrônica — possa desenvolver sofisticadas soluções de hardware e dispositivos Web sem ter que manchar a roupa com percloreto ou queimar seus dedos com o ferro de solda.


Essa é a proposta do Bug Labs com o BUG, uma coleção de módulos de hardware “open source” que se encaixam como um brinquedo Lego, dando origem a vários tipos de dispositivos funcionais, de acordo com a imaginação do usuário.

bug_base.jpgA base desse projeto é o BUGbase, um computador Linux baseado num processador ARM (RISC) com 128 MB de RAM, interfaces WiFi, Ethernet, USB, bateria recarregável, alto-falante interno, slot para cartão MMC e um pequeno LCD com botões de controles na sua lateral.

A grande sacada desse produto é sua capacidade de receber módulos de expansão como GPS, Webcam, tela LCD touchscreen e sensor de movimento (como no joystick do Wii) e até o início de 2008, existe a previsão de módulos como um mini teclado QWERTY, um LCD maior e um módulo de som de melhor qualidade.

O suporte de software é totalmente baseado em código aberto e foi feito para que cada módulo se integre dinamicamente ao sistema, assim que o BUGbase detecte a sua presença. Assim, cada módulo libera seu próprio pacote de aplicações OSGi que oferece seus recursos para outros componentes e vice versa.

Para gerenciar esse ecossistema, existe no topo da camada de software, um ambiente em Java que permite o desenvolvimento de aplicações por meio de um SDK chamado Dragonfly que dá vida ao produto e que podem ser compartilhados com outros usuários, através da sua comunidade on-line, o BUGnet.

Assim, é possível criar, por exemplo, uma câmera digital com GPS que envie suas imagens com sua localização geográfica para uma página da Web e assim por diante.

A previsão é que o produto chegue ao mercado no final desse ano. Mais informações aqui.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Isso é BEM legal. Não só para brincar, mas também para tarefas mais sérias, visto que os módulos trazem funcionalidades de handheld/celular/computador para um aparelho pequeno e totalmente programável.

  • Queimar o dedo com o ferro de solda eu já acostumei, mas este sistema “lego” parece ser bem interessante e muito mais seguro, ao menos para mim.