ZTOP+ZUMO

Gadget do dia: Happy Hacking Keyboard Professional BT

Novo Happy Hacking Keyboard PD-KB600B se conecta com o PC via interface Bluetooth, o que permite seu uso até em smartphones e tablets com Android

Quando o assunto é teclado para PCs, o mais icônico deles é o bom e velho IBM model M, um modelo eletromecânico fabricado nos anos 1980 que sobreviveu à prova do tempo e virou um objeto de veneração e culto entre seus usuários (incluindo este que vos bloga) que passam o dia inteiro martelando suas teclas que — pelo menos no meu caso —  não mostram sinais de que vão abrir o bico.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

De fato, existem meios que fazer com que ele se adapte aos novos tempos, permitindo assim o seu uso por mais um (longo) tempo.

Talvez o único teclado que chegue perto do Model M em termos de nerdice culto é o Happy Hacking Keyboard (ou HHKB para os íntimos), um curioso teclado compacto com apenas 29,4 cm de largura criado pela PFU (divisão de imaging e sistemas embedded da Fujitsu), cujo maior atrativo é o fato dele ter apenas 60~65 teclas e manter as mesmas funcionalidades de um teclado padrão PC-AT de 104 teclas.

Happy_Hacking_Keyboard_Pro2

Segundo seus fãs, a grande paixão por esse acessório é que devido ao seu pequeno tamanho, combinado a teclas confortáveis e um layout engenhoso (como o reposicionamento do [Control] no lugar do [Caps Lock]) faz dele um excelente teclado para digitadores habilidosos que passam horas na frente do computador.

A grande novidade é que a empresa lançou um novo modelo — o HHKB Professional BT (PD-KB600B) — agora equipado com interface Bluetooth, o que o liberta da conexão física com o PC (via cabo USB) ao mesmo tempo que aumenta as suas possibilidades de uso em um ecossistema computacional cada vez mais heterogêneo e sem fios:

Happy_Hacking_Keyboard_BT_overall

Segundo o fabricante, este teclado adota a interface Bluetooth Versão 3.0 Classe 2 (profile Bluetooth HID 1.0) cujo estado pode ser monitorado por meio de um LED localizado na borda superior. O pareamento é feito pelo botão localizado na parte de trás do acessório à direita do compartimento da bateria que abriga duas pilhas alcalinas do tipo AA de 1,5 volt — cuja autonomia é estimada de 3 meses de uso regular.

Happy_Hacking_Keyboard_BT_detalhes

Também existe a opção dele ser alimentado por meio de uma fonte externa via porta USB mini. Observamos porém que neste último caso, essa conexão é usada apenas para receber energia e não para se conectar logicamente com o PC.

Happy_Hacking_Keyboard_BT_lado

E porque não usar uma bateria recarregável? Nosso palpite é que apesar de cômodo a substituição da bateria recarregável é sempre uma incógnita no longo prazo, principalmente no caso de um acessório cuja vida útil é estimada não em meses e sim em anos (ou até décadas). Isso porque, a empresa afirma que a durabilidade de cada tecla com tecnologia “eletrostático-capacitiva” (criada pela empresa Topre do Japão) é estimada em mais de 30 milhões de toques:

Topre_switch

Fora isso, o alcance máximo desse teclado é de ~10 metros (sem obstáculos) e é compatível com os sistemas operacionais Windows Vista SP1 (ou posterior), Mac OS X v 10.5 (ou posterior), iOS 7.1 (ou posterior) e até Android 4.0 (ou posterior). Ele mede aproximadamente  29,4 x  4,0 x  12,0 cm (LxAxP) e pesa 530 gramas sem as baterias.

Seu preço sugerido é de 27.500 ienes (~ R$ 868,11) na lojinha da Fujitsu no Japão, mas ele já pode ser encontrado no Amazon.com pela bagatela de US$ 365. E ao contrário dos outros modelos, este só estará disponível na cor cinza escuro (ou Sumi segundo o marketing da Fujitsu).

Happy_Hacking_Keyboard_BT_box

Além da versão com layout US-Internacional (PD-KB600B), ele também está disponível na versão com layout padrão japonês (PD-KB620B) porém sem as inscrições em kana…

Happy_Hacking_Keyboard_BT_JP

… e é claro, a nerdísssima versão limpa (PD-KB600BN) uma variante do modelo US-Internacional, porém sem inscrição alguma:

Happy_Hacking_Keyboard_BT_clear

Mais informações aqui.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • ditom 05/09/2016, 22:56

    Sou viciado em ABNT2, o melhor já inventado, na minha opinião..¯_(ツ)_/¯

  • Cesar Cardoso 06/09/2016, 14:54

    Happy Hacking me lembra do tempo que era assinante da Linux Journal, 1900 e guaraná com rolha, e todo mês tinha propaganda deles lá.

    A versão “limpa” é, provavelmente, a coisa mais nerd que se pode encontrar em termos de teclados.

    E acho que um HHKB BT com um iPad Pro, um Surface ou mesmo um Pixel C deve impressionar num hackathon.

    • Mario Nagano 10/09/2016, 09:19

      É como sempre digo: “nada melhor para impressionar as garotas e os amigos nerds!”

    • Ricardo Pinheiro 10/09/2016, 14:45

      Eu cheguei a pensar em um HHKB pra substituir meu Model M ABNT-2 q tem algumas teclas falhando… Qdo vi o preço, conclui q era + interessante comprar um Model M US Internacional mesmo: Comprei um por US$ 20, morri em US$ 60 de frete e agora sou um nerd feliz. 🙂

      Falando nisso, o meu Model M ABNT-2 ainda vai passar por uma cirurgia (como a q está aqui), pra por ele funcionando novamente.

  • Adriano De Lima 06/09/2016, 17:44

    Wow….. @.@