Hands-on: Ultrabook Sony Vaio T

H

Eis que o primeiro ultrabook da Sony deu as caras no evento da fabricante hoje (Nagano comentou que essa máquina só apareceu em slide nas apresentações do IDF São Paulo). Chamado de Sony Vaio série T, o computador começa a ser vendido no final deste mês no mercado brasileiro.

Na configuração divulgada pela Sony, o Vaio T vem com processador Intel Core i3-2367M de segunda geração (Sandy Bridge) de 2,3 GHz com chipset Intel HM77 Express e 4 GB de RAM. A tela é de 11,6 polegadas (1366 x 768) retroiluminada por LED. A máquina pesa 1,4 kg.

Nas conexões, o Vaio T vem com leitor de cartões (SD/Memory Stick), saída de vídeo HDMI e VGA, porta Ethernet…

…E duas portas USB – uma 2.0 e uma 3.0 (capaz de recarregar gadgets via USB com a máquina desligada, algo que vimos nos Asus UX).

A bateria tem duração estimada pela fabricante em até 7 horas de uso, com função “Rapid Wake”para voltar rápido da hibernação. Completam o pacote uma webcam HD e conectividade Wi-Fi e Bluetooth 4.0.

Nagano comenta: Esse VAIO T pode não parecer muito fino, mas isso é — de um certo modo, uma ilusão de ótica — já que com uma tela de 11,6″ (contra 13,3″ dos concorrentes como Asus e Dell), ele é bem menor e mais curto. De fato ele me parece ser o netbook que todo gostaria de ter, principalmente no que se refere a desempenho e reprodução de vídeos.

Também vale a pena lembrar que as especificações do Ultrabook não obrigam que o gabinete tenha a forma de cunha ou de disco de malha e sim que ele apenas não exceda uma certa “espessura” (Z-Height) que, no caso de máquinas com plataforma “Huron River” (o usado nessa máquia) é de até 1,8 cm para modelos com tela de até 14″. Já no “Chief River” (Ultrabook com Ivy Bridge) haverá uma tolerância de + 0,02 na altura para os chamados modelos conversíveis. Mais detalhes sobre as especificações do Huron/Chief River aqui

No geral, achei que o seu design não abriu mão da praticidade em favor do estilo, o que pode conquistar diversos consumidores preocupados com a falta de interfaces legadas (como Ethernet ou até SVGA) nos ultrabooks — ou seja — Ponto pra Sony! 😀

Uma solução curiosa para tentar reduzir o preço do produto está no armazenamento: em vez de ser 100% baseado em discos SSD, o Vaio T tem um SSD de apenas 32 GB e um disco rígido convencional de 320 GB – o SSD deixa o Windows mais rápido, e o HD armazena o resto, imagino.

Um detalhe interessante do desenho do Vaio T está na sua parte traseira – com prateado brilhante no lugar do alumínio escovado do chassi principal do aparelho. Mas com o notebook fechado, o design parece uma grande barra de metal que, ao ser aberto…

… serve de apoio para a tela.

Segundo a Sony, o Vaio T começa a ser vendido a partir de 28 de maio pelo preço sugerido de R$ 2.899. Novas máquinas da linha Vaio com processador Intel Core de terceira geração (codinome Ivy Bridge) devem ser anunciadas já em junho.

Em tempo: fuçando no material de divulgação da Sony descobri que o Vaio T terá um modelo com tela de 13 polegadas também, com o mesmo design do de 11″ – mas é só isso que sabemos por enquanto.

 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos