Hands-on: WD My Cloud de 3 TB

H

Solução de armazenamento da Western Digital permite centralizar todos os seus dados pessoais em um único dispositivo e compartilhá-los tanto dentro quanto fora de casa.

Em um mundo cada vez mais conectado e móvel, cresce cada vez mais o desejo — e em alguns casos, a necessidade — das pessoas terem acesso aos seus dados pessoais de uma maneira simples, prática, segura e independente do meio, seja ele um PC, tablet ou smartphone.

A resposta para isso pode estar nos serviços de armazenamento na nuvem. Porém, muitos usuários podem não se sentir confortáveis em deixar seus preciosos dados numa solução cujo próprio nome já passa a impressão de ser algo etéreo, nebuloso e que como a versão real — feita essencialmente de vapor d’água — de uma hora para outra, pode simplesmente desaparecer no ar.

Sob esse ponto de vista, os fabricantes de sistemas de armazenamento tem investido numa idéia chamada “personal cloud” (nuvem pessoal) que nada mais é que uma solução de NAS cujos dados podem ser acessados remotamente pela internet e é essa exatamente a proposta da linha de discos externos My Cloud da Western Digital:

E é claro que eles batem forte nisso no seu vídeo de apresentação do produto…

… e no seu próprio site:

WD_MyCloud_3TB_comparacao

Disponível nas versões de 2 TB até 6 TB, tivemos acesso a versão de 3 TB que a empresa já avisou que não virá oficialmente para cá (= custo Brasil?) ao contrário da versão de 2 TB. A diferença neste caso está apenas na capacidade do disco rígido, permanecendo o resto praticamente na mesma no que se refere a sua plataforma de hardware, software embarcado e dimensões do produto.

Ele vem bem embalado numa caixa de papelão e seu conteúdo é formado pelo disco propriamente dito, uma fonte de alimentação de 12 volts x 1,5 ampére, um cabo de rede CAT 5e de ~1,2 m de comprimento e alguma documentação impressa…

… entre elas, um guia de instalação rápida…

… e um curioso guia de migração (de grandes quantidades) de dados (mais sobre isso embaixo):

Visualmente falando o WD My Cloud segue o mesmo estilo visual da sua tradicional linha de discos externos WD My Book que, como o próprio nome sugere, tem a sua frente e as laterais coberta por uma única placa de acrílico que lembra muito a capa de um livro. A versão analisada mede 4,9 x 17,0 x 13,9 cm (LxAxP) e 960 gramas de peso. As versões de 4 TB e 6 TB tem praticamente o dobro do peso e volume, já que eles vem equipados com dois discos (de 2 TB ou 3 TB) contra um dos modelos com apenas 2 TB ou 3 TB.

E como já vimos em outros produtos da casa, as partes que não são cobertas por essa “capa” estão cheias de aberturas que permitem a fácil circulação de ar pelo seu interior. De fato, o calor gerado pelo disco mais o circuito eletrônico faz com que o ar entre naturalmente fria pela base…

… absorva o calor interno e suba por convexão, saindo por cima como se fosse a fumaça de uma chaminé.  E até por causa disso a empresa recomenta que esse disco sempre funcione sempre de pé e nunca deitado para evitar problemas de acúmulo de ar quente e o risco super-aquecimento.

Trata-se de uma solução simples que dispensa o uso de ventoínha o que além de aumentar a sua confiabilidade, torna-o até mais silencioso, característica por sinal muito apreciada por aqueles que trabalham à noite e percebem qualquer zumbido por mais baixo que ele seja.

Já na parte de trás podemos ver mais aberturas de ar assim como (a partir de cima) o seu botão de Reset, porta USB 3.0 (uia!), porta de rede Gigabit Ethernet, entrada de força e um slot para trava de furto padrão Kensington.

3D_MyCloud_3TB_traseiraO processo de instalação do disco é bastante simples: ligue o disco na fonte de alimentação e use o cabo incluso para conectá-lo no switch da sua rede local. Opcionalmente, o usuário pode instalar um segundo dispositivo de armazenamento com porta USB (de preferência na versão 3.0) no My Cloud expandido assim a sua capacidade.

Note que essa porta USB não serve para ligar o disco num PC e usá-lo como um disco externo. Caso você queria transferir localmente grandes quantidades de dados para o My Cloud a melhor estrégia é seguir a sugestão do guia de migração citado acima.

Por ser um dispositivo que, na teoria, deveria ficar sempre ligado, o My Cloud não possui botão de liga/desliga, de modo que ele já entra em funcionamento ao ser ligado na tomada e o processo de inicialização pode ser monitorado pelo seu LED de estado, que acende e pisca na cor branca para indicar a carga do SO e que passa para o azul para informar que ele está pronto par uso.

WD_MyCloud_3TB_LED_status1

Este LED também serve para informar outros estados do sistema, cujos sinais luminosos podem ser conferidos na tabela abaixo:

WD_MyCloud_3TB_LED_status2

Feito isso, é necessário visitar o site da Western Digital e procurar pela página do Learning Center do My Cloud para baixar o software de configuração do cliente para Windows ou Mac e…

WD_MyCloud_3TB_website

… opcionalmente, outros aplicativos e utilitários também compatíveis com My Cloud:

3D_MyCloud_3TB_downloads

O processo de instalação do cliente para PC é bem simples, intuitivo e orienta o usuário a verificar se as conexões estão corretas, selecionar qual disco que será usado, cadastrar sua senha, etc.

WD_MyCloud_3TB_setup2

No caso do Windows, no fim do processo o usuário terá a sua disposição três novos atalhos na sua área de trabalho:

WD_MyCloud_3TB_icons1

O chamado WD My Cloud Public Share é um recurso que dá acesso direto as pastas públicas do disco como se fosse uma pasta de rede local do Windows.

WD_MyCloud_3TB_Public_Share

Note que cada usuário cadastrado também ganha uma pasta pública com o seu nome (neste caso, Domokum):

WD_MyCloud_3TB_mycloud_public_dados

Já o WD My Cloud é uma aplicação de acesso remoto que, por sinal, também possui uma versão em HTML que pode ser acessada via navegador web:

WD_MyCloud_3TB_Win_Client

Finalmente, o WD My Cloud Public Dashboard é um painel de controle em HTML que permite gerenciar todos os recursos disponíveis no My Cloud, como adicionar mais usuários e definir suas áreas particulares e públicas de armazenamento, monitorar e diagnosticar estado do sistema (o que inclui a atualização de firmware) e configurar alguns serviços internos como o servidor de mídia, DLNA, Time Machine, iTUNES, FTP, notificações por email, etc.

 

WD_MyCloud_3TB_dashboard

Um recurso adicional de segurança é o Safepoints que cria automaticamente pontos de recuperação do sistema para recuperar o mesmo no caso de alguma pane no disco.

Curiosamente, o seu firmware é baseado em software de código aberto e seu código-fonte está disponível para download.

E como era de se esperar, o aplicativo WD My Cloud também está disponível na forma de App para smartphones e tablets compatíveis com os sistemas Android (embaixo) e iOS. No geral, ele replica as mesmas funções do MyCloud para desktops além de incluir novos recursos como trocar arquivos com diversos serviços de armazenamento na nuvem como o Dropbox, Google Drive, etc.

3D_MyCloud_3TB_MyCloud_Android2

Outra App oferecida pela empresa é o WD Photos (também disponível para Android e iOS) que seria um aplicativo de álbum de fotos que pode transferir automaticamente as imagens contidas no dispositivo móvel diretamente para o My Cloud  e apresentar as imagens contidas nelas de diversos modos e formatos, além de ajudar na classificação e busca das fotos assim como no seu compartilhamento.

3D_MyCloud_3TB_WDPhotos

No geral, ficamos bastante impressionados com o My Cloud já que ele entrega o que promete, ou seja, uma maneira simples, prática e relativamente segura de concentrar seus dados em um único dispositivo e de ter acesso ao seu conteúdo tanto dentro quanto fora de casa. Acompanhamos a evolução dessa tecnologia à anos e notamos o esforço dos fabricantes em torná-lo cada vez mais amigável, especialmente para o usuário mais leigo e pouco versado no dialeto das redes locais.

Sob esse ponto de vista, nossa opinião é que o My Cloud seria mais indicado para aquele usuário iniciante/médio que deseja uma solução de NAS/Personal Cloud que faz o básico como compartilhar arquivos local e remotamente, fazer backups automáticos e streaming de mídia. Para aqueles que desejam serviços mais sofisticados como cliente de Torrent, compartilhamento de impressora/scanner/multifuncional (ligada na sua porta USB), espelhamento de dados (via RAID) e até backup/sincronização de arquivos entre discos de NAS localizados fisicamente em locais diferentes, sugerimos que o usuário procure por outra solução.

Também vale a pena ressaltar que a versão que será comercializada no Basil será apenas a de 2 TB (preço sugerido R$ 699) , o que pode ser uma capacidade relativamente modesta para um usuário mais avançado que possua grandes imensas bibliotecas de conteúdo — em especial filmes e vídeos — apesar de que é possível adicionar um disco externo com porta USB no My Cloud, o que pode adicionar um pouco mais de espaço ao sistema, mas nada além disso.

Finalmente alertamos que esse produto não deve ser comparado e/ou confundido com o Seagate Wireless (recentemente analisado por este Ztop) já que este último é, na sua essência, um disco rígido móvel que compartilha localmente seus dados via rede Wi-Fi enquanto que o My Cloud é uma solução mais “estática” que compartilha seus dados pela rede local (incluindo Wi-Fi via ponto de acesso) e pela internet, ou seja, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.

Capisce?

Mais informações aqui.

Para dúvidas mais específicas, também sugerimos baixar o seu manual do usuário.

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos