ZTOP+ZUMO

Hands-on: WD My Cloud de 3 TB

Solução de armazenamento da Western Digital permite centralizar todos os seus dados pessoais em um único dispositivo e compartilhá-los tanto dentro quanto fora de casa.

Em um mundo cada vez mais conectado e móvel, cresce cada vez mais o desejo — e em alguns casos, a necessidade — das pessoas terem acesso aos seus dados pessoais de uma maneira simples, prática, segura e independente do meio, seja ele um PC, tablet ou smartphone.

A resposta para isso pode estar nos serviços de armazenamento na nuvem. Porém, muitos usuários podem não se sentir confortáveis em deixar seus preciosos dados numa solução cujo próprio nome já passa a impressão de ser algo etéreo, nebuloso e que como a versão real — feita essencialmente de vapor d’água — de uma hora para outra, pode simplesmente desaparecer no ar.

Sob esse ponto de vista, os fabricantes de sistemas de armazenamento tem investido numa idéia chamada “personal cloud” (nuvem pessoal) que nada mais é que uma solução de NAS cujos dados podem ser acessados remotamente pela internet e é essa exatamente a proposta da linha de discos externos My Cloud da Western Digital:

E é claro que eles batem forte nisso no seu vídeo de apresentação do produto…

… e no seu próprio site:

WD_MyCloud_3TB_comparacao

Disponível nas versões de 2 TB até 6 TB, tivemos acesso a versão de 3 TB que a empresa já avisou que não virá oficialmente para cá (= custo Brasil?) ao contrário da versão de 2 TB. A diferença neste caso está apenas na capacidade do disco rígido, permanecendo o resto praticamente na mesma no que se refere a sua plataforma de hardware, software embarcado e dimensões do produto.

Ele vem bem embalado numa caixa de papelão e seu conteúdo é formado pelo disco propriamente dito, uma fonte de alimentação de 12 volts x 1,5 ampére, um cabo de rede CAT 5e de ~1,2 m de comprimento e alguma documentação impressa…

… entre elas, um guia de instalação rápida…

… e um curioso guia de migração (de grandes quantidades) de dados (mais sobre isso embaixo):

Visualmente falando o WD My Cloud segue o mesmo estilo visual da sua tradicional linha de discos externos WD My Book que, como o próprio nome sugere, tem a sua frente e as laterais coberta por uma única placa de acrílico que lembra muito a capa de um livro. A versão analisada mede 4,9 x 17,0 x 13,9 cm (LxAxP) e 960 gramas de peso. As versões de 4 TB e 6 TB tem praticamente o dobro do peso e volume, já que eles vem equipados com dois discos (de 2 TB ou 3 TB) contra um dos modelos com apenas 2 TB ou 3 TB.

E como já vimos em outros produtos da casa, as partes que não são cobertas por essa “capa” estão cheias de aberturas que permitem a fácil circulação de ar pelo seu interior. De fato, o calor gerado pelo disco mais o circuito eletrônico faz com que o ar entre naturalmente fria pela base…

… absorva o calor interno e suba por convexão, saindo por cima como se fosse a fumaça de uma chaminé.  E até por causa disso a empresa recomenta que esse disco sempre funcione sempre de pé e nunca deitado para evitar problemas de acúmulo de ar quente e o risco super-aquecimento.

Trata-se de uma solução simples que dispensa o uso de ventoínha o que além de aumentar a sua confiabilidade, torna-o até mais silencioso, característica por sinal muito apreciada por aqueles que trabalham à noite e percebem qualquer zumbido por mais baixo que ele seja.

Já na parte de trás podemos ver mais aberturas de ar assim como (a partir de cima) o seu botão de Reset, porta USB 3.0 (uia!), porta de rede Gigabit Ethernet, entrada de força e um slot para trava de furto padrão Kensington.

3D_MyCloud_3TB_traseiraO processo de instalação do disco é bastante simples: ligue o disco na fonte de alimentação e use o cabo incluso para conectá-lo no switch da sua rede local. Opcionalmente, o usuário pode instalar um segundo dispositivo de armazenamento com porta USB (de preferência na versão 3.0) no My Cloud expandido assim a sua capacidade.

Note que essa porta USB não serve para ligar o disco num PC e usá-lo como um disco externo. Caso você queria transferir localmente grandes quantidades de dados para o My Cloud a melhor estrégia é seguir a sugestão do guia de migração citado acima.

Por ser um dispositivo que, na teoria, deveria ficar sempre ligado, o My Cloud não possui botão de liga/desliga, de modo que ele já entra em funcionamento ao ser ligado na tomada e o processo de inicialização pode ser monitorado pelo seu LED de estado, que acende e pisca na cor branca para indicar a carga do SO e que passa para o azul para informar que ele está pronto par uso.

WD_MyCloud_3TB_LED_status1

Este LED também serve para informar outros estados do sistema, cujos sinais luminosos podem ser conferidos na tabela abaixo:

WD_MyCloud_3TB_LED_status2

Feito isso, é necessário visitar o site da Western Digital e procurar pela página do Learning Center do My Cloud para baixar o software de configuração do cliente para Windows ou Mac e…

WD_MyCloud_3TB_website

… opcionalmente, outros aplicativos e utilitários também compatíveis com My Cloud:

3D_MyCloud_3TB_downloads

O processo de instalação do cliente para PC é bem simples, intuitivo e orienta o usuário a verificar se as conexões estão corretas, selecionar qual disco que será usado, cadastrar sua senha, etc.

WD_MyCloud_3TB_setup2

No caso do Windows, no fim do processo o usuário terá a sua disposição três novos atalhos na sua área de trabalho:

WD_MyCloud_3TB_icons1

O chamado WD My Cloud Public Share é um recurso que dá acesso direto as pastas públicas do disco como se fosse uma pasta de rede local do Windows.

WD_MyCloud_3TB_Public_Share

Note que cada usuário cadastrado também ganha uma pasta pública com o seu nome (neste caso, Domokum):

WD_MyCloud_3TB_mycloud_public_dados

Já o WD My Cloud é uma aplicação de acesso remoto que, por sinal, também possui uma versão em HTML que pode ser acessada via navegador web:

WD_MyCloud_3TB_Win_Client

Finalmente, o WD My Cloud Public Dashboard é um painel de controle em HTML que permite gerenciar todos os recursos disponíveis no My Cloud, como adicionar mais usuários e definir suas áreas particulares e públicas de armazenamento, monitorar e diagnosticar estado do sistema (o que inclui a atualização de firmware) e configurar alguns serviços internos como o servidor de mídia, DLNA, Time Machine, iTUNES, FTP, notificações por email, etc.

 

WD_MyCloud_3TB_dashboard

Um recurso adicional de segurança é o Safepoints que cria automaticamente pontos de recuperação do sistema para recuperar o mesmo no caso de alguma pane no disco.

Curiosamente, o seu firmware é baseado em software de código aberto e seu código-fonte está disponível para download.

E como era de se esperar, o aplicativo WD My Cloud também está disponível na forma de App para smartphones e tablets compatíveis com os sistemas Android (embaixo) e iOS. No geral, ele replica as mesmas funções do MyCloud para desktops além de incluir novos recursos como trocar arquivos com diversos serviços de armazenamento na nuvem como o Dropbox, Google Drive, etc.

3D_MyCloud_3TB_MyCloud_Android2

Outra App oferecida pela empresa é o WD Photos (também disponível para Android e iOS) que seria um aplicativo de álbum de fotos que pode transferir automaticamente as imagens contidas no dispositivo móvel diretamente para o My Cloud  e apresentar as imagens contidas nelas de diversos modos e formatos, além de ajudar na classificação e busca das fotos assim como no seu compartilhamento.

3D_MyCloud_3TB_WDPhotos

No geral, ficamos bastante impressionados com o My Cloud já que ele entrega o que promete, ou seja, uma maneira simples, prática e relativamente segura de concentrar seus dados em um único dispositivo e de ter acesso ao seu conteúdo tanto dentro quanto fora de casa. Acompanhamos a evolução dessa tecnologia à anos e notamos o esforço dos fabricantes em torná-lo cada vez mais amigável, especialmente para o usuário mais leigo e pouco versado no dialeto das redes locais.

Sob esse ponto de vista, nossa opinião é que o My Cloud seria mais indicado para aquele usuário iniciante/médio que deseja uma solução de NAS/Personal Cloud que faz o básico como compartilhar arquivos local e remotamente, fazer backups automáticos e streaming de mídia. Para aqueles que desejam serviços mais sofisticados como cliente de Torrent, compartilhamento de impressora/scanner/multifuncional (ligada na sua porta USB), espelhamento de dados (via RAID) e até backup/sincronização de arquivos entre discos de NAS localizados fisicamente em locais diferentes, sugerimos que o usuário procure por outra solução.

Também vale a pena ressaltar que a versão que será comercializada no Basil será apenas a de 2 TB (preço sugerido R$ 699) , o que pode ser uma capacidade relativamente modesta para um usuário mais avançado que possua grandes imensas bibliotecas de conteúdo — em especial filmes e vídeos — apesar de que é possível adicionar um disco externo com porta USB no My Cloud, o que pode adicionar um pouco mais de espaço ao sistema, mas nada além disso.

Finalmente alertamos que esse produto não deve ser comparado e/ou confundido com o Seagate Wireless (recentemente analisado por este Ztop) já que este último é, na sua essência, um disco rígido móvel que compartilha localmente seus dados via rede Wi-Fi enquanto que o My Cloud é uma solução mais “estática” que compartilha seus dados pela rede local (incluindo Wi-Fi via ponto de acesso) e pela internet, ou seja, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.

Capisce?

Mais informações aqui.

Para dúvidas mais específicas, também sugerimos baixar o seu manual do usuário.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Adriano De Lima 04/05/2015, 08:48

    Produto bacana, preço restritivo.

    • Mario Nagano 04/05/2015, 08:52

      Yep, e olha que por causa do preço a WD já anunciou que só vai trazer oficialmente o modelo de 2 TB.

      O que precisamos é de um programa “Minha Nuvem” do governo federal. 😉

      • Adriano De Lima 04/05/2015, 09:07

        Apesar do trabalho ser (MUITO) maior, é muito melhor arrumar um gabinete pequeno e usar uma dessas placas raspberry, instalar um Linux “pelado” com um servidor Samba e compartilhar o que precisa pela rede, existem inclusive distribuições “prontas” focadas no compartilhamento de arquivos inclusive pela internet. Ou então sistemas que se instalam nestes linux como o OwnCloud ou a Syncthing.

        • Mario Nagano 04/05/2015, 09:36

          Sim, existem soluções até mais simples como pegar aquele PC velho que está jogado debaixo da cama, trocar o HD (ou colocar um novo) e transformá-lo em um servidorzinho doméstico. E isso sem falar de devices de rede como o PogoPlug.

          Mas como disse, o público alvo do My Cloud é aquele pessoal mais leigo que quer algo bem mais plug-and-play.

          • Adriano De Lima 04/05/2015, 09:59

            Certamente algo do tipo plugue-e-use tem um forte apelo.
            Só acho realmente uma pena algumas pessoas se privarem do “prazer” que é montar uma solução desse tipo para si.

          • Mario Nagano 04/05/2015, 10:07

            Bom, se não fosse a atração do ser humano pela eficiência máxima com o mínimo esforço não fosse tão grande, a Nissin não tinha ficado rica vendendo Cup Noodles.

            Calma Adriano, brincadeirinha… 😉

          • Mario Nagano 04/05/2015, 10:13

            Mas tenho que reconhecer que um colega e chapa meu que é craque em Linux também faz lámen em casa, incluindo o macarrão.

            Né Rigues?

            https://instagram.com/p/rQRYIKFCLK/?taken-by=rigues

          • Adriano De Lima 04/05/2015, 10:15

            Fazer o próprio lámen!? ROOTS!

          • Adriano De Lima 04/05/2015, 10:16

            Eu sempre cozinho um zóião junto do meu miojo e as vezes adiciono carne moída com molho de tomate ou molho de carne cozida, melhor parar não é nem 11h ainda! @.@

          • Mario Nagano 04/05/2015, 10:26

            Uia, Miojo com ovo??? Meu garooooto!!!

            Faz o seguinte: Se vc come lámem na forma de sopa, bata levemente o ovo para quebrar a gema e misturar um pouco com a clara, e coloque sobre o lámem quando ele estiver quase no fim do preparo, misture levemente o macarrão e espere alguns minutos para o ovo cozinhar.

            Delishus!

          • Adriano De Lima 04/05/2015, 11:03

            Boa! Vou tentar fazer assim ná próxima. o/

      • Vagner "Ligeiro" Abreu 04/05/2015, 17:16

        Falando em auxílio, aqueles programas de redução de impostos em informática já estão encerrados, não?

        Quanto ao preço, o pior na história toda é que no final, estamos é praticando o preço americano + impostos… (150 dolares – http://www.bestbuy.com/site/wd-my-cloud-2tb-personal-cloud-storage-external-hard-drive-nas-white/1766059.p?id=1219063237222& x 3 = 450 reaus :p )

  • Marvels 04/05/2015, 15:10

    Não vejo como isso seja mais prático que um Google drive para um uso simples domestico por exemplo. E o backup desse backup? E pelo preço, é melhor pagar 9 dólares por mês (1 tera) e ter garantia extrema que isso ai, além da integração das empresas que já estão no mercado. MAS CLARO, tem mercado para algumas pessoas. Minha sogra é apaixonada pelo google drive dela (2 dólares por mês 100 gigas), nunca mais precisou preocupar com nada, trocou de notebook esses dias, instalei o google drive ela colocou a senha e todos os arquivos dela voltaram… sem dor de cabeça sem medo. Meu uso já é diferente do dela, me divido entre 4 dispositivos, 2 desktop (empresa e casa), celular e um chromebook, e é muito bom, já baixar um documento na faculdade e ele já está em todos meus dispositivos, sem dor de cabeça nem nada, sem configuração nenhuma. Sei lá em, essa é minha opinião.

    • Mario Nagano 04/05/2015, 17:35

      Acho que o “problema” com os serviços de storage na nuvem é sempre aquela sensação de que nada impede que eles fucem os seus arquivos pessoais para saber mais sobre você e sua vida e isso sem falar naqueles termos em contrato onde eles deixam bem claro que eles não se responsabilizam caso seus dados sumirem da nuvem.

      Por exemplo, se a gente ler atentamente os termos de uso do Amazon Cloud ( http://www.amazon.com/gp/help/customer/display.html/?nodeId=201376540&ref_=cd_tou_fp&?ref_=cd_unlimited_tou ) a gente encontra cláusulas bem curiosas como:

      “We may use, access, and retain Your Files in order to provide the Service to you and enforce the terms of the Agreement, and you give us all permissions we need to do so.”

      ou

      “we have no liability for any loss, damage or misappropriation of Your Files under any circumstances or for any consequences related to changes, restrictions, suspensions or termination of the Service or the Agreement”

      Os termos de uso do Google Drive ( http://www.google.com/policies/terms/ ) também tem uns parágrafos bem interessantes:

      “Fornecemos nossos Serviços usando um nível comercialmente razoável de capacidade e cuidado e esperamos que você aproveite seu uso deles. Mas existem algumas coisas que não prometemos sobre nossos Serviços.

      EXCETO QUANDO EXPRESSAMENTE PREVISTO NESTES TERMOS OU EM TERMOS ADICIONAIS, NEM O GOOGLE, NEM SEUS FORNECEDORES OU DISTRIBUIDORES OFERECEM QUAISQUER GARANTIAS SOBRE OS SERVIÇOS. POR EXEMPLO, NÃO NOS RESPONSABILIZAMOS PELOS CONTEÚDOS NOS SERVIÇOS, POR FUNCIONALIDADES ESPECÍFICAS DO SERVIÇO, OU PELA CONFIABILIDADE, DISPONIBILIDADE OU CAPACIDADE DE ATENDER SUAS NECESSIDADES. FORNECEMOS OS SERVIÇOS “NA FORMA EM QUE ESTÃO”.

      É por essas e outras que alguns optam por soluções de Personal Cloud.

      • Marvels 05/05/2015, 07:41

        Mas vc tem que concordar comigo, qual a chance de dar problema, esses HD´s físicos na sua mesa ou a nuvem do google/dropbox? Sobre fuçar meus arquivos… pufff… no meu caso não tem problema algum, tem nada de interessante lá, ou se fazem para fazer propaganda direcionada, não entendo esse desespero com propaganda, eu simplesmente ignoro as mesmas. AGORA, claro que tem gente que tem segredos e/ou tem síndrome da perseguição, ai tudo bem.

        • Mario Nagano 05/05/2015, 09:11

          Sim, concordo contigo.

          De um certo modo essa discussão me lembra aquela velha história de guardar dinheiro no colchão ou no banco — ou seja — em casa vc sabe onde ele está, porém você está mais sujeito a ser roubado.

          Já no banco, você tem mais comodidade e “segurança” (até o banco falir), mas todo mundo sabe que mesmo que você deixe intencionalmente sua grana parada na conta, ela pode estar sendo emprestada para outro cliente mediante uma boa taxa de juros, e é claro que o banco não vai dividir o lucro com você.

          E o pior, se você não tiver um saldo mínimo, os caras te cobram uma taxa e toda a sua movimentação financeira ainda é xeretada pelo seu gerente para ver se consegue te oferecer algum produto/serviço adicional e isso sem falar nas informações que eles enviam para a Receita Federal caso você esteja fazendo alguma movimentação “fora do normal”.

          Mas diz ai, vc também curte lámen? 😉

          • Marvels 05/05/2015, 10:00

            não… não sou muito fã de massas….

          • Ari 05/05/2015, 16:59

            Ótimo review, fiquei muito interessando, porém nos revendedores sugeridos pela WD, ninguém tem tem com o preço sugerido. Vc te idéia quando vai chegar?
            Ramen da nissin tô fora mas o que minha sogra Nihondin prepara é ótimo!!

  • Rogério Maia 04/05/2015, 17:01

    Tenho um desses, de 4Gb comprado exterior. É um ótimo NAS, com ótima perfomance de leitura/escrita. Paguei 250 com cotação do dolar a 2.65.
    Como dito na matéria, não há praticamente nenhuma emissão de ruído, também consume pouca energia.
    Produto recomendado. Por precaução, mantenho cópia dos arquivos mais importantes no Dropox e fotos no Flickr, pois meu único medo é saber qual será a vida útil do aparelho.

  • dflopes 04/05/2015, 21:48

    Tenho um de 3Gb, apenas na versão com porta RJ45 (LAN), e faz backup das minhas fotos (android), esposa (iphone) e dos 2 notebooks daqui de casa (somando 15 anos de arquivos, aulas, pesquisa, etc) e ainda tem 1Gb sobrando.

    Além da parceria com o WDTV Live e Streaming de audio e vídeo.

    Obvio ue comprei fora, com dólar a 2.45.

    P.S.: Lamen com ovo mexido é clássico. Mas colocar pouca agua no preparo, esperar secar e incluir salsichas fritas com cebola.

  • Willians Novaes 05/05/2015, 10:21

    Tô pensando em comprar um desse de 2TB encontrei na internet por 600 dilmas, queria mesmo o Qnap TS 220, mais ta muito caro. Vale a pela comprar esse da WD de 2TB?

    • Mario Nagano 05/05/2015, 16:57

      Acredito que se você se limitar a usá-lo para fazer backup de documentos, fotos e, no máximo sua biblioteca de músicas e um ou outro filme, acho que ele até que aguenta bem.

      Mas como costumo dizer, espaço em disco é como dinheiro: a gente nunca acha tem quem o bastante e sempre quer ter um pouco mais. 😉

      Apesar de que vale a pena recordar que você pode adicionar um disco extra via porta USB 3.0.

  • Wellington Luiz Pereira 15/05/2015, 09:18

    Bom dia!

    ótimo artigo, gostaria de contribuir com o assunto mesmo sendo uma maquina para leigos, sob o capô ela esconde um processador dual core, 256 mb de mamoria DDR3 e um sistema debian puro, ou seja é possível instalar alguns programas simplesmente acessando via ssh / Apt-Get no meu caso instalei o transmission para gerenciar torrents e adquiri também o amazon fire tv stick para rodar o XBMC/Kodi, e tenho uma central multimidia que consome meros 10w