Hands-on: Motorola RAZR

H

E o Motorola RAZR está entre nós. Fino (7,1 mm na base), leve (127 gramas) e forte (protegido por kevlar na parte traseira), causa uma impressão boa ao ser manuseado pela primeira vez – mas lembre que esse é um novo RAZR, que só tem em comum o nome com o telefone básico de alguns anos atrás.

Já rodei alguns benchmarks prévios nele e dá pra dizer, de antemão, que o aparelho, previsto para chegar às lojas na metade do mês, pelo preço sugerido de R$ 1.999, é bastante rápido.

Ah sim: sobre os novos tablets Xoom 2 e Xoom 2 Media Edition, um anúncio será feito em breve para o mercado local, de acordo com a Motorola Mobility.

Fabricado no Brasil, o RAZR, com Android 2.3.5 (e upgrade previsto para Android 4.o “Ice Cream Sandwich”). A tela de 4,3″ (super AMOLED, 540 x 960 pixels) parece um tanto deslocada em um aparelho com bastante margem ao redor dela – talvez uma próxima geração venha com menos borda e… mais tela.

De qualquer modo, é brilhante, protegida com o velho e bom Gorilla Glass e tem uma cobertura contra água/respingos (não é pra colocar embaixo d’água, mas resiste ao básico).

Na parte traseira, nada de tampa: o RAZR é uma peça única, sem possibilidade de trocar a bateria interna. E a área da câmera é ressaltada para acomodar a lente, o flash LED, o alto-falante externo e…

Os conectores HDMI e microUSB da parte superior, assim como a entrada para fones 3,5 mm. A Motorola vai oferecer, como opcional, uma nova versão do lapdock, com tela e teclado – e é por aí que é feita a conexão.

Na lateral esquerda, apenas uma portinhola que…

… ao ser aberta, revela o slot para o microSIM card e o cartão de memória microSD. Pelo visto, o microSIM card é o novo padrão para smartphones topo de linha (iPhone 4/4S, Nokia N9, Nokia Lumia 800).

Do lado direito do aparelho, o botão de liga/desliga (prateado) e o controle de volume.

A câmera de 8 megapixels vista mais de perto:

E com a câmera em funcionamento – quase não há atrasos entre um clique e outro.

E a filmadora faz vídeos em 1080p, aqui chamado de “HD+”:

Outros truques interessantes de software que a Motorola inseriu no novo RAZR são um gerenciador de dados bem completo:

E um novo conceito chamado de “Smart Actions”. São scripts básicos para ajustar o uso do RAZR dependendo do local onde você estiver.

O RAZR já vem com algumas regras predefinidas como amostra, mas se quiser você pode montar o seu script.

Que é algo assim:


Vou passar o final de semana com o RAZR rodando testes (e vendo se a bateria realmente dura mais, conforme promessa da fabricante) e semana que vem publico o review completo.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos