ZTOP+ZUMO

Hands-on: Moto Z3 Play

A Motorola anunciou hoje a terceira geração do seu smartphone modular (e apenas um aparelho), o Moto Z3 Play. A tela cresceu, mas o formato não mudou  – e finalmente um modelo “Play” chama a atenção pelo design.

O Z3 Play, digamos, é o modelo de entrada da linha Z. Os executivos, claro, não comentaram sobre o  Moto Z3 – que é na teoria o modelo topo de linha da marca). Ainda nas definições doidas de camadas de produtos, a Motorola diz que, segundo o GFK, o Z3 Play é um aparelho premium pela faixa de preço até R$ 2.500.

Especificações: tela de 6″ (ganho de 13% em relação ao modelo de 2017, que tinha tela de 5,5″) Super AMOLED (2160 x 1080), processador Qualcomm Snapdragon 636, 4 GB de RAM, 64 GB de armazenamento interno, câmera dupla traseira (12 megapixels + 5 megapixels com Dual autofocus pixel) cheia de truques, bateria de 3.000 mAH (com carga rápida), roda Android 8.1 com “experiências” Motorola. E, claro, compatibilidade com os módulos da linha Z.

Essa versão de 64GB/4GB já está à venda na cor Indigo (=azul escuro), mas um modelo turbinado com 6GB de RAM e 128 GB internos na cor Ônix (=preto) será lançado “em breve” – essa versão não tem preço divulgado ainda nem a data exata de chegada às lojas.

A frente e a traseira do Moto Z3 Play são feitas com vidro (Gorilla Glass), o que o deixa suscetível a muitas marcas de dedos na traseira, principalmente. Da linha 2018 da Motorola, talvez esse é o que eu ache mais bem acabado, com design bonitão destacado pela tela grande.  Como os demais modelos Z, o Z3 Play vem com conector USB-C – e sem conector de headphone (aaaargh!)Tem um botão de liga/desliga no lado esquerdo – e que quase não vai precisar ser utilizado porque……o leitor de impressões digitais mudou para o lado direito do aparelho e acaba funcionando como liga/desliga também – e fica ao lado do controle de volume.
Atrás, a câmera dupla e o conector para os módulos. A Motorola citou na apresentação que 40% dos donos de aparelhos da linha Z têm algum tipo de módulo (imagino que esse número não inclui as capinhas, que são puramente estéticas).  E eu vejo faces nessa câmera dupla da Motorola:Olá, humano!O Z3 Play é compatível com cartões de memória de até 2 TB e permite o uso de dois SIM cards de operadoras, guardados na gavetinha superior:No software, o sistema é o Android 8.1 com as experiências Motorola integradas (Moto Tela, Moto Gestos, Moto Voz) e poucos apps externos instalados.  E a câmera dupla segue a tendência da marca desde o ano passado, com efeitos de cor/PB e o onipresente modo retrato de todos os fabricantes (a segunda câmera de 5 megapixels serve exatamente pra isso, como no Samsung Galaxy A6+, sem efeitos de zoom/grande angular). Entre os truques novos da câmera, o Cinemagraph (para criar GIFs com movimento, estilo Boomerang do Instagram) e a capacidade de fazer streaming ao vivo para o YouTube (algo que já vimos em concorrentes faz um tempinho e que, bem, alguém usa?) A câmera também tem um ícone para o Google Lens (app de inteligência artificial).E o modo Profissional/Manual com sua interface emprestada dos antigos Nokia Lumia 🙂Como disse lá em cima, o Z3 Play começa sendo vendido com 4 GB de RAM/64 GB de armazenamento interno, e esses são os preços sugeridos do aparelho apenas e dos kits com módulos. Eu vejo o Moto Z3 Play como um aparelho para quem quer um smartphone intermediário, tem um pouco mais de dinheiro para gastar e quer começar a brincar com módulos. Na hierarquia de produtos da Motorola, ele vem acima do Moto G6 Plus.[Motorola]

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin