ZTOP+ZUMO

Hands on: Panasonic Lumix DMC-GH2

Entre as atividades promovidas pela Panasonic aqui no Japão tivemos a oportunidade de passar um tempinho com a nova DSLM Lumix DMC-GH2, o modelo topo de linha da casa com direito a alguns cliques com sua nova lente 3D.

Ao invés de ser apenas uma DMC-G2 com suporte para vídeo em full HD (AVCHD) a GH2 um animal completamente diferente equipada com um novo sensor de imagem de 16 MP (contra 12 MP da G2) e o mais importante, um novo processador de imagem Venus VI. A grande sacada desse chip está no seu maior desempenho que é utilizado para processar vídeos em Full HD com maior qualidade, assim como outros procedimentos complexos como o intelligent resolution, reduzir o ruído de imagens em locais escuros e gerar imagens em 3D. Fora isso, a GH2 também melhora em outros quesitos, em especial na sua velocidade de foco — apenas 0,1 segundo contra 0,2 segundo da G2.

Na parte de cima podemos ver a presença do microfone estéreo na cabeça do flash e a presença de três modos pré-c0nfigurados pelo usuário (C1, C2 e C3) no dial seletor de modo. Se comparado com a G2, o botão iA que seleciona o modo totalmente automático tambén passa para o dial liberando o botão para ser usado em alguma função determinada pelo usuário (Fn1). Note o botão vermelho acima do Fn1 que inicia/para uma gravação, idéia tirada das filmadoras.

Na parte de trás mais flexibilidade já que dois dos botões de navegação também podem ser customizados (Fn2 e Fn3). E apesar das câmeras nos mostraram ainda eram modelos de pré-produção a interface da máquina já estava disponível para o idioma português:

E para dizer que não temos sorte, o modelo que caiu na minha mão tinha o número de série FT0HA001001 uma das primeiras (se não foi a primeira a sair da linha de produção). Curiosamente essa câmera foi produzida na China apesar de alguns executivos da Panasonic comentarem que sua produção pode voltar para o Japão.

Fora isso, a Panasonic aproveita esse anúncio para colocar no mercado três novas objetivas Lumix G micro 4/3: uma grande angular de 14 mm (= 28 mm eq. 35mm) / f2,5, uma super tele  zoom de 100~300 mm (200~600 mm eq. 35mm) /  f4,0~f5,6 com Mega OIS e a notória lente 12,5 mm ( 25 mm eq. 35mm)  / F12 estéreo.

Zumo in a Box:

Durante a apresentação tive a oportunidade de bater algumas fotos com a lente estéreo (que estava no bolso de um porta voz da empresa) e o que pude ver é que seu uso é normal já que como o visor da GH2 é eletrônico, não existe o risco de vermos duas imagens ao mesmo tempo. Mas infelizmente ela não pode ser usada para  gravar videos (dang!).

Curiosamente ao ver suas imagens gravadas  no cartão SD, pudemos ver que a Lumix no modo 3D gera dois aquivos: um arquivo jpeg normal de 1.920 x 1.440 pixels de 748 kb e outro de mesmo nome porém com extensão .MPO  e 1,46 MB que seria o chamado formato Multi-Picture Object ou Multi-Picture Format que armazenaria a imagem em 3D e alguns metadados.

 

 

Segundo o Wikipedia, esse formado foi originalmente adotado pela FujiFilm na sua câmera FinePix REAL 3D W1 e se propõe a ser um formato aberto pela CIPA (Camera & Imaging Products Association) como padrão CIPA DC-007-2009.  Isso por sinal é uma ótima notícia porque minimiza o risco de ocorrer uma guerra de formatos a exemplo do que já aconteceu no passado como o HD DVD x blu-ray ou VHS x Betamax.

Outro detalhe importante que notei ao usar essa lente 3D é que ela é pouco luminosa (abertura máxima f12) e como ela não conta com estabilizador de imagem nem na lente nem no corpo, ela não seria a mais indicada para uso em ambientes com pouca pouca iluminação. Uma pena…

Para não ficar só na conversa… a Panasonic emprestou uma GH2 + lente padrão Lumix G Vario 14~42 mm / F3.5~5.6 ASPH com MEGA O.I.S. e a nova supertele G Vario 100~300 mm / F4.0~5.6 ASPH com MEGA O.I.S. para levarmos num breve passeio pelo castelo Nijô em Osaka:

Para experimentar a capacidade do Zoom da GH2 eu me coloquei numa posição em frente do palácio Ninomaru, primeiro no modo de grande angular (14 mm):

Depois puxando o zoom ao máximo (140 mm) na direção da cumeeira da construção. Nada mal para uma lente de uso geral:

Feito isso troquei a lente normal pela supertele G Vario 100~300 mm, começando pela posição de 100 mm:

Puxando depois para 300 mm.

 

Graças ao uso do sistema de estabilização de imagem é possível ter uma imagem nítida mesmo sem o uso de um tripé. Veja um detalhe da imagem acima no seu tamanho real (100%):

Também fiz alguns testes de vídeo em AVCHD , característica que segundo a Panasonic melhorou em muito se comparado com a GH1 graças ao uso do novo processador Venus VI.

(Link do vídeo)

 

(Link do vídeo)

Apesar do pouco tempo que tivemos para brincar com essa câmera minha impressão é que se trata de um produto muito interessante em especial quando acompanhado com a belíssima lente Lumix G Vario 14~140 mm HD. Caso você não esteja muito interessado em vídeos em Full HD a  DMC-G2 pode ser uma opção tão boa quanto e até mais em conta.

 

 

 

 

 

 

 

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Rogerio0991 12/10/2010, 21:05

    Cool….

    Pena q a grana esteja curtaaa….

  • Anderson Costa 13/10/2010, 11:47

    Mário, sua capacidade de "aparecer não aparecendo" é lendária!!!!

  • @marcelcampos 16/10/2010, 09:09

    putz, achei o video muito tremido, minha sony hx1 grava com mais estabilidade. :op

  • aurelio 16/10/2010, 13:31

    boa a qualidades desta maquina!!

  • diná nagano 05/11/2010, 13:10

    como aparecer não aparecendo? Quantos japoneses de sangue vc conhece q tem cabelos naturalmente ondulados??? irmãozinho Bonitãooooo!!!!!
    beijinho

  • Henrique 15/12/2010, 15:56

    Existe um limite de tempo para gravação de vídeo na GH2 ?