Hands-on: LG Optimus L3

H

O LG Optimus L3 é o primeiro smartphone da linha 2012 da fabricante coreana a chegar ao mercado brasileiro. O aparelho, que começa a ser vendido esta semana, é o mais simples, barato e básico da família Optimus (que tem ainda os modelos L5 e L7, com configurações um pouco mais avançadas).

O design dos três modelos (L3, L5, L7) é  o mesmo: um botão central na parte inferior, com mais dois que se iluminam ao seu redor…

E com acabamento interno em preto (no caso do L5 e do L7, branco também) e parte externa em prata. O que muda mesmo é o tamanho da tela. Aqui, ela tem 3,2 polegadas (resolução 320 x 24o), contra 4″ e 4,3″ dos outros modelos maiores (que rodam Android 4.0, mais avançado, por sinal).

Tudo, claro, para deixar o aparelho barato: essa versão do LG Optimus L3 com uma entrada apenas para SIM card tem preço sugerido de R$ 429 – a fabricante promete para “breve” uma versão com dois chips.

Na parte de cima do Optimus L3, o botão de liga/desliga e o conector de fones/microfone padrão 3,5 mm:

Na lateral esquerda, o controle de volume:

E abaixo, o conector micro USB para carregar a bateria e trocar dados com o computador.

Na lateral direita, nada 😛

A versão do Android escolhida pela LG para este aparelho foi a 2.3 “Gingerbread” customizada com a interface padrão da fabricante. O aparelho usa um processador de 800 MHz single-core produzido pela Qualcomm (MSM7x25A) com GPU Adreno 200, com 300 MB de RAM  e 2 GB de memória interna (mais expansão até 32 GB via cartões microSD).

Algo a conferir é a capacidade do L3 de rodar arquivos DivX de forma nativa:

Na parte traseira, uma câmera básica de 3,2 megapixels (e acabamento texturizado na tampa da bateria):

Curiosamente, o Optimus L3 não tem flash nenhum na sua câmera.

Removendo a tampa,vemos a bateria de 1500 mAH.

A entrada para o SIM card (à esquerda, abaixo)

E quase escondida na lateral a entrada para cartão microSD.

Antes de realizar qualquer tipo de teste/benchmark no Optimus L3, dá para perceber o grande ponto fraco do aparelho: a resolução da tela, de apenas 320 x 240 pixels (abaixo até do fraquinho Motorola Defy Mini, que tem uma tela com 480 x 320 pontos). De longe, nem parece tão ruim…

Mas vendo de perto as fontes ficam serrilhadas e não dá uma boa impressão para quem a vê.

Vou botar o Optimus L3 para rodar alguns testes e ver como ele se comporta no dia-a-dia – e se os demais recursos compensam a tela ruinzinha.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos