ZTOP+ZUMO

Hands-on: Inmarsat IsatPhone Pro

Da série “coisas que você não imagina que ainda existem, mas são reais e úteis”: um telefone por satélite (minha lembrança mais próxima dessa tecnologia é o antigo Iridium). O pessoal da Inmarsat lançou o IsatPhone Pro durante a Futurecom 2010, algumas semanas atrás, e deixou o aparelho comigo para brincar por uns dias.

Vale lembrar que o IsatPhone Pro não é um aparelho nem para mim nem para você, caro cidadão urbano: é um telefone básico que faz ligações, manda SMS e e-mails (até 1.600 caracteres) para quem está longe da cobertura de qualquer operadora de celular. Se você trabalha numa plataforma de petróleo em alto-mar, peça ao seu chefe (ou se você for o Amyr Klink, deve ter um desses). Ou se está no meio do mato sem cachorro, também.

O IsatPhone Pro é, sem dúvida, o maior telefone que já passou por aqui. Mede 17 x 5,4 x 3,9 cm e pesa 279 gramas . E deixa de smartphones “grandes”, como o Nokia N8 ou o Motorola Milestone 2, parecendo brinquedo de criança.

Para fazer o celular funcionar, basta estar em um local com vista para o céu aberto. Nada de prédios fechados, salas ou até mesmo uma avenida cheia de prédios altos (aqui em casa, por exemplo, funcionou melhor na janela do quarto – com uma melhor visão do sinal, do que no quintal, cercado pela parede da casa e o muro do vizinho). O IsatPhone Pro encontra o sinal pela primeira vez em uns dois ou três minutos (após ficar desligado por algum tempo) e, nas próximas, a localização é mais rápida. Ao encontrar o satélite, ele apita.

Seu uso é igual ao de qualquer outro telefone: basta discar e pronto. Quer dizer, precisa do código internacional: logo, uma ligação para o Brasil precisa de 0055 na frente e por aí vai. O IsatPhone Pro demora alguns segundos para “dar linha”, e a qualidade de ligação não é a mais incrível do mundo. Mas, como já disse, em uma situação de emergência, uma ligação por aparelho desses pode significar a diferença entre ficar perdido e ser salvo. O telefone só se conecta ao satélite se a antena estiver aberta.

O acabamento do aparelho o protege contra intempéries: funciona em temperaturas de -20 graus a 55 graus e tem proteção contra água (até 95% de umidade) e poeira. É quase um tanque de guerra telefônico.

Detalhe para o botão de volume ao lado:

O GPS do dispositivo localiza rápido sua posição, e nele está  – o que acredito – seu principal uso: envio da posição do GPS por SMS e por email em poucos cliques. Está perdido/na chuva/no deserto/no mar/na Serra do Mar, sem voz para falar? Só mandar a mensagem e uma possível equipe de resgate pode seguir suas buscas. E ainda economiza os caros minutos por ligação. A cobertura é global por quatro satélites (exceto determinadas áreas muito ao norte, como Groenlândia, Alasca e uma pequena parte da Rússia.

Veja o SMS que chega:

O IsatPhone Pro compartilha dos telefones convencionais alguns recursos básicos (agenda, alarme, registro de chamadas, calculadora, ajustes de configuração e um curioso e extremamente necessário alerta para minuto de ligação). Pela web, é possível enviar SMS gratuito para qualquer número de satélite da Inmarsat (outro recurso bacana, por sinal).

E ele tem conexão Bluetooth: para falar ao telefone, basta parear um headset compatível. A bateria, diz a fabricante, dura até oito horas de conversação e 100 horas em modo de espera. Seu tempo de recarga, com um plug micro USB, é de até 3,5 horas.

Esse conector microUSB pode, em casos extremos, ser usado como modem para um notebook (com taxa baixíssima de transmissão de dados: 2,4 kbps) e também para atualizar o firmware do dispositivo (com uma conexão decente no computador, por favor).

E quanto morre a brincadeira? Segundo a Inmarsat, o IsatPhone Pro tem o preço sugerido de R$ 3.499. A assinatura mensal custa R$ 75 e o valor do minuto para ligações é de R$ 5 (para telefones fixos) e R$ 5,96 (para celulares). No Brasil, quem comercializa essa solução é a Arycom. O aparelho, sem a menor sombra de dúvida, é algo extremamente de nicho, voltado a um pequeno público (com perfil mais corporativo) que precisa realmente desse tipo de solução.

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • Ken 16/11/2010, 19:24

    Traficantes estão em festa pelo brasil todo heheheheheh

  • JoaoPaesN 16/11/2010, 20:04

    Em filmes de espião sempre rola um desse com a tal "linha segura".

  • rubens 16/11/2010, 20:25

    Henrique, a Iridium, Terrestar e Globalstar continuam funcionando, ou só a rede de satélites?
    Fico imaginando receber uma notificação de término de funcionamento no meio de uma floresta ou deserto…
    Era curioso como anos atrás tentavam empurrar os telefones via satélite para proprietários rurais, e no final o custo não caiu o suficiente.

    Interessante a tela, resolução, contraste e legibilidade parecem muito bons.

    • henriquem 16/11/2010, 21:00

      até onde sei, iridium existe ainda, as demais… sei não. no boom da internet era comum ver ofertas desses telefones, mas o tempo passou e eles se foram junto com a bolha. e a tela é boa mesmo! se for pensar, 5 dólares/min pra ligar pra qquer lugar do mundo é razoavelmente mais barato que o roaming internacional de qualquer operadora brasileira.

      • rubens 17/11/2010, 13:28

        Mesmo a tarifa para celulares é ótima.

        Infelizmente (para a categoria) a estrutura de celulares cresceu mais rápido e fisgou um dos públicos potenciais deles (last mile).

  • dflopes 17/11/2010, 10:53

    Esse valor é quase o mesmo da TIM ligando de fora pro Brasil (US$4,69/min). E se vc ligar de fora do país para outro país, esse valor sobre pra US$5,69/min…

    Onde trabalho, viajamos pra zonas remotas da selva amazonica, onde não se pega nem gripe, qto mais celular. E isso já salvou a vida de colegas pois o barco quebrou e não NINGUEM num raio de 2 dias de viagem.

    E Henrique, se ainda estiver com o aparelho, poderia fazer o teste sob copa de arvores?

    • henriquem 17/11/2010, 13:08

      árvores? são paulo não tem isso não!

  • dflopes 17/11/2010, 16:41

    ops, my bad
    XD

  • Adriano 17/11/2010, 23:10

    Copa de árvores em São Paulo? Depende se você morar perto da serra da Cantareira, poderia se arriscar a fazer este teste.

  • Ricardo 12/12/2010, 00:53

    Para muitos pode parecer um gadget desnecessario,mas para mim é o meu sonho de consumo.
    Desde que saiu o Iridum a 13 anos atras venho acompanhando a tragetoria dos telefones satelitais.
    Antes do ISATPHONE única alternativa para o Brasil seria o Iridium, mas o custo de aquisição x uso não seria compensativo.
    Agora com o ISATPHONE tudo mudou, pois das soluções por satelite é a mais barato.
    Acredito que no ano que vem vou estar adquirindo o meu, e entrar para o mundo das comunicações satelitais.
    Para cidades não é necessário nada mais que um celular, mas para aqueles momentos de tranquilidade junto á natureza nada como um destes para poder resolver pequenas questões ou mesmo uma segurança em questões de emergência.

  • Ricardo 16/02/2011, 02:53

    Incrivel, lí este artigo e fiquei interessado no equipamento, pois além de ser bem mais barato que o Iridium andei pesquisando na internet e em testes de desempenho o ISATPHONE PRO foi considerado o melhor telefone por satelite até então.
    No artigo cita o nome da Arycom entrei em contato com a empresa para solicitar um orçamento de um aparelho.
    Como era para uso pessoal, liguei e solicitei um orçamento como pessoa fisica e uma atendente com voz de menina sempre me dizia que a equipe de venda ora estava em reunião ora estava ocupada e depois me retornaria (Isto já tem um mês) e até ontem ninguem me ligou. Mandei varios e-mails e não tive resposta de nenhum. (So para constar consultei minha fatura foram mais de 20 ligações durante 1 mês sem retorno de nenhuma.)
    Cansado de ser feito de palhaço, procurei no site da Inmarsat outro parceiro encontrei dois a TESACOM DO BRASIL e a ONIXSAT TELECOM que tive um atendimento VIP em ambos os casos. Consegui um melhor valor do equipamento na TESACOM o SIM CARD comprei no exterior e o valor da chamada fica neste caso para mim em R$1,60 por minuto.
    Em uma viagem que fiz a trabalho na empresa ao usar meu aparelho meu diretor que não conhecia ficou interessado, passei para ele os dados de contato da TESACOM E DA ONIXSAT TELECOM, outro colega de trabalho também já adquiriu um ISATPHONE da TESACOM.
    Será que se tivesse dito que era para pessoa juridica teria tido um atendimento melhor na Arycom?
    E triste ver empresas com a filosofia de trabalho com o da Arycom.
    Repasso isto pois se algum colega interessar no equipamento como eu não passar por o constragimento que eu passei com a Arycom, e procurarem empresas sérias como a TESCOM E ONIXSAT TELECOM.
    No mais estou 100% satisfeito com o ISATPHONE PRO

  • marcelo 05/09/2011, 14:11

    Ricardo valeu pela dica , aconteceu o mesmo comigo em relacao aArycom ,nao obtive retorno , o mesmo aconteceu na Tescom sem reorno , ja com O ONIXSAT foi bem diferente , negociacao rapida e segura

  • Ricardo Rocha 03/11/2014, 18:07

    Excelente matéria! Tenho um ISATPHONE e o aparelho nunca me deixou na mão. Unica ressalva fica a cargo da Arycom. Nunca consegui um atendimento descente desta empresa sequer um orçamento… O meu ISAPHONE eu comprei da TESACOM, e o meu IRIDIUM EXTREME eu comprei da ONIXSAT. Já os modens por satélite BGAM EXPLORER 710 que utilizamos na empresa onde trabalho foram comprados na ONIXSAT. Se querem um atendimento sério procurem estas empresas. Nunca tive problemas com elas, já com a ARYCON nunca sequer consegui ser atendido… Fica a dica para quem tiver interesse no equipamento e quiser um bom atendimento.