Hands-on: “Gunpla” Gundam Mk-II A.E.U.G. Prototype Mobile Suit RX-178 (1 de 3)

H

Pouco conhecido no Brasil, os kits de plastimodelismo baseados nos personagens e veículos da série Mobile Suit Gundam são um hobby muito popular entre crianças e adultos da Ásia, além dos fãs e entusiastas de Mecha e Anime aqui no ocidente.

Na primeira parte dessa minissérie falaremos sobre a origem do Gunpla e as características que diferenciam esse produto de kits mais tradicionais como os da Revell, AMT e até da Tamiya.

Estava eu bisbilhotando a vida dos outros no Instagram quando vi um post em que nosso colega e chapa deste ZTOP+ZUMO Pedro Kayatt, co-fundador & big boss da VR Monkey, estava trabalhando em um Gunpla (kit de montar do Gundam) o que me provocou uma certa dor de cotov(err…) quero dizer,  admiração pela sua energia, dedicação e esforço nessa empreitada:

Bom, até ai eu dei um like por educação e meio que dei uma ignorada já que, como se diz por ai — inveja é uma melda, né? — só que fui novamente acometido desse sentimento negativo quando o Pedro fez um segundo post mostrando que havia concluído a montagem, momento em que fiquei realmente verde de inv(err…) quero dizer, super alegre pela sua realização:

Mas enquanto dava pulos de ódi(err…) quero dizer, felicidade, foi que me lembrei que eu também tinha um Gunpla guardado em algum canto da Zumo-caverna, presente de outro colega e também chapa deste ZTOP+ZUMO Marcelo Gonçalves: um Gundam Mk-II A.E.U.G. Prototype Mobile Suit RX-178

…sendo que inspirado no feito insignificant(err…) quero dizer, super bacana de Kayatt, decidi também montar o meu kit e compartilhar essa experiência de “faça você mesmo” com nossos leitores.

O que é Gunpla?

Gunpla (ou em japonês ガンプラ Ganpura)… 

…é uma marca criada pela fabricante de brinquedos Bandai a partir das palavras Gundam e Plastic para descrever — de maneira geral — a sua linha de kits de plastimodelismo, cujo tema são os personagens e veículos da franquia Mobile Suit Gundam, uma série de anime para TV criada e dirigida por Yoshiyuki Tomino …

… do início dos anos 1980 e que foi inspirada no livro Starship Troopers de Robert A. Heinlein, onde os soldados da infantaria vestiam uma espécie de armadura mecanizada ou exoesqueleto (Powered Armor ou Powered Suit). Só que Tomino pensou grande e trocou essa armadura por um imenso robô guerreiro (o tal Mobile Suit) que até lembra o Mazinger Z do despirocado Go Nagai.

Só que a grande sacada de Gundam é que, ao contrário de Mazinger que era essencialmente um desenho criado para vender brinquedos para crianças de 3~10 anos, Gundam também também foi influenciado por outro super sucesso da época — Uchuu Senkan Yamato (1977~80) ou Patrulha Estrelar no Brasil — que inovou no gênero ao oferecer roteiros mais ricos e dramáticos, fazendo assim com que Gundam cativasse um público mais amplo e maduro, criando assim uma base de fãs cuja idade hoje pode passar dos 40 anos sendo que o nível de paixão pode ser comparado ao de outras franquias como Star Trek ou Star Wars.

No Brasil, a série original de Gundam passou no Brasil no Cartoon Network e sua versão mais recente chamada Mobile Suit Gundam UC (Unicorn) está no Netflix Brasil:

Mas é claro que, como Mazinger e outras séries de robôs gigantes chutadores de traseiros de monstros da época, a produção era bancada por uma fabricante de brinquedos — neste caso a Bandai — sendo que o primeiro Gunpla foi lançado em 1980 na escala de 1/100 e foi vendido pela bagatela de 300 ienes (~R$ 10).

Este por sinal é uma característica bem peculiar deste produto ou seja, fora os modelos mais premium, no geral o seu preço é no geral bem acessível (pelos menos para o consumidor japonês).

Clique para ampliar

Para todos os bolsos e gostos (inclusive de frango)

Com relação a oferta e variedade de produtos, fora as séries especiais e/ou fora de escala como o notório Cup Noodle x Gunpla, lançado em parceria com a Nissin…

… a Bandai divide a sua linha Gunpla em pelo menos cinco grandes categorias de produtos de acordo com a sua escala e nível de dificuldade.

A menor delas é o Super Deformed ou SD (sem escala) cujo termo descreve um tipo de caricatura muito usada no Japão onde os personagens são retratados com cabeças grandes e pequenos corpos criando assim um visual mais fofo e rechonchudo como se fossem pequenas crianças. Algo por sinal muito parecido com a linha de brinquedos da Funko.

Clique para ampliar

Tratam-se de figuras divertidas, fáceis de montar e que podem atrair um consumidor mais casual que pode querer ter um desses só para enfeitar a sua mesa de trabalho.

Já a categoria High Grade ou HG (escala 1/144) pode ser considerada a linha de entrada, mais indicada para iniciantes devido a sua simplicidade na montagem já que as peças se encaixam sem o uso de cola e, como elas já são coloridas, a figura quase que dispensa acabamentos como pintura. E se comparado com as linhas superiores seu nível de movimentos é mais limitado:

Clique para ampliar

Até pelo seu preço a HG é a que oferece a maior linha de personagens, incluindo alguns mais obscuros que não estão disponíveis nas categorias superiores e/ou mais avançadas.

Fota isso ela também oferece alguns itens bem curiosos como a HGBF (High Grade Build Fighters) com figuras (no sentido mais exato da palavra) como HG-10 Hyper Gyanko (embaixo)…

… o HG Gunpla Builders GPB-04B Beargguy

… ou a linha HGBC (High Grade Build Custom) focada em acessórios e/ou upgrades para a linha HG.

Já a Real Grade ou RG (escala 1/144) é uma versão mais elaborada da HG com cores mais vivas, maior liberdade de movimentos e peças mais detalhadas. Fora isso, ela possui uma especie esqueleto interno onde as partes externas e as peças da armadura são fixadas.

Clique para ampliar

Sob um certo ponto de vista, o RG é uma versão “mini” da Master Grade ou MG (escala 1/100) que é voltada para montadores mais experientes e entusiastas porque, além de ser ligeiramente maior que o HG e RG, é a que oferece o maior nível de detalhamento como compartimentos que abrem e fecham, mãos com dedos articulados e acessórios como facas, espadas, escudos, mísseis e canhões que podem ser adicionados ou removidos.

Clique para ampliar

E assim como o RG, o MG possui um esqueleto interno que sustenta as partes externas, que podem até ser removidas para mostrar o interior do robô. Alguns modelos chegam ao luxo de partes da armadura deslizarem sobre outras permitindo assim ao robô assumir quase qualquer pose imaginável.

Já o nerdvana dos montadores de Gunpla é a Perfect Grade ou PG (escala 1:60) que, além de ser o maior modelo regular disponível, incorpora todo tipo de detalhe que pode ser imaginado, incluindo partes móveis, painéis, compartimentos, acessórios, luzinhas, pedestal, pia da cozinha etc.

Clique para ampliar

Como era de se esperar, ele é o modelo mais mais caro da linha (~21 mil ienes) e o mais complexo de ser montado, podendo levar dias ou até semanas para ser concluído.

Isso de um certo mostra o empenho e dedicação da empresa em oferecer para o seu público produtos de alta qualidade para todos os bolsos de gostos.

De fato, a criação de um novo Gunpla é meio que uma obra de arte, especialmente no que se refere ao processo de fabricação e ajuste das matrizes e dos moldes de injeção, o que é feito praticamente a mão por mestres e artesãos altamente qualificados que, no vídeo institucional abaixo, vestem uniforme de oficial da Federação da Terra (cuja bandeira é bem parecida com a de um país latino-americano que todos nós conhecemos):

Sob esse ponto de vista, um Gunpla também não deixa de ser mais uma expressão do artesanato japonês cujo capricho, criatividade e engenhosidade…

… pode ser vista em outros objetos do dia a dia como utensílios domésticos, peças de cerâmica e até mesmo brinquedos e doces:

Segundo a Wikipedia, estima-se que até 2015 a Bandai lançou quase 2 mil modelos diferentes de Gunpla sendo que o número total de unidades vendidas chegou em torno de 450 milhões de unidades.

Some Assembly Required

Se comparado com os kits de plastimodelismo mais tradicionais produzidos por empresas como Airfix, Revell, AMT e até Tamiya, a Bandai foi inovadora ao implementar diversas melhorias no Gunpla com o objetivo de facilitar a sua montagem, permitindo assim que esse hobby pudesse ser apreciado por um público mais amplo e nem tão especializado.

Por exemplo, ao contrário dos kits tradicionais que são feitos com apenas um tipo de plástico de tom neutro para facilitar a sua pintura, sendo que as peças transparentes tem que ser produzidas num processo em separado utilizando um segundo molde ou até mesmo uma segunda injetora…

… o pessoal da Bandai desenvolveu uma tecnologia batizada de iroPLA que permite injetar plásticos de cores diferentes no mesmo molde (incluindo as transparentes!) reduzindo assim dramaticamente o tempo de fazer um kit ao mesmo tempo que reduz seus custos de manufatura:

E como essas peças já são coloridas, ao fim da montagem a figura estará praticamente pronta, ficando a critério do usuário o desejo de adicionar mais detalhes utilizando decalques ou retoques de tinta.

De fato empresas como a GSi Creos oferecem kits de canetas de pintura batizadas de Gundam Marker usadas numa técnica conhecida como panel lining:

Outra grande inovação foi é o conceito de snap-fit onde as peças se encaixam perfeitamente sem o uso de cola…

… e os chamados poly-caps, junções com ponta de esfera…

…que permitem que as figuras possam mover suas articulações para fazer poses mais elaboradas:

Mas para nós o recurso mais impressionante é a tecnologia de fabricação Multi Insert Cast capaz de fabricar diversos componentes ao mesmo tempo como se fossem uma única peça no molde de injeção de plástico, ou seja…

… ao retirar da moldura de injeção o que parece ser apenas uma peça única e maciça …

… é na verdade um conjunto mecânico até que bem complexo, formado por articulações, guias e peças rotativas, o que aumenta o nível de detalhamento e complexidade da montagem sem aumentar o seu nível de dificuldade:

Legal né?

Na segunda parte desta série falaremos mais sobre a montagem de um Gunpla.

Fiquem ligados no post do próximo sábado (16!)

Bonus Track

No terceriro volume da série de mangá Genshiken (publicado no Brasil pela editora JBC) existe um episódio chamado Aroma da Primavera onde o pessoal do clube aproveita o clima ameno da primavera para promover um workshop de plastimodelismo, ou mais exatamente Gunplas:

Trata-se de uma leitura bem instrutiva para aqueles que desejam entender essa paixão de montadores, entusiastas e otakus em geral por esses “brinquedos” (né Saki-chan?)

Especialmente quando ela quebra acidentalmente o Gouf que Kanako Ohno montou:

Yeah, kinda nerdy but…

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

Por Mário Nagano

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos