ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Review: Discos Kingston SSDNow (em RAID 0)

kingston_ssd_intro1

Como já foi noticiado neste Zumo, a Intel e a Kingston firmaram na última CES uma parceria comercial, onde essa última assumiu a distribuição dos discos SSD da Intel, inclusive no Brasil. Daí nasceu a nova linha de produtos Kingston SSDNow série E ( = Intel X25-E) de 32 GB e o SSDNow série M ( = Intel X25-M) de 80 GB. E, cá entre nós, fora a etiqueta da fabricante de memórias, os discos são praticamente os mesmos fornecidos pela Intel Brasil e já analisados no final de janeiro, mantendo até a etiqueta branca original do pessoal de Santa Clara que não vimos nas primeiras fotos divulgadas. Se isso faz parte do acordo ou foi apenas um descuido por parte da Kingston só o tempo dirá.

Por causa disso, não acho que existam diferenças de desempenho entre os modelos com e sem a nova etiqueta, de modo que não perdi tempo em refazer os testes. Em vez disso, eu me deparei com a rara e feliz oportunidade de ter em mãos dois jogos de discos SSD de mesmo fabricante, modelo e capacidade, o que me permitiu realizar um experimento que senti falta no último review: montar dois discos em RAID 0 (ou stripping) e ver se houve algum ganho de desempenho.

(revelações depois do clique).

kingston_ssd_box1

Os discos da Kingston vieram dentro de sacos antiestáticos (retirados para essa foto) e embalados no mesmo tipo de caixa dos discos da Intel. A diferença fica por conta da inclusão de um manual do usuário impresso em diversos idiomas, incluindo uma seção em português:

kinsgton_ssd_manual

Uma curiosidade que notei no SSDNow E de 80 GB é que ele veio equipado com uma espécie de moldura plástica fixada sobre o disco, cuja função parece ser apenas de chegar nas mesmas dimensões (incluindo a espessura) de um  disco convencional:

kingston_ssd_compared

Sob testes

Para realizar esse teste complementar utilizei a mesma plataforma de referência: um PC com processador Athlon 64 FX60, placa-mãe com chipset NForce 6100, 1 GB de SDRAM e Windows XP Pro. Os discos foram configurados na BIOS em RAID 0 (Stripping) e foi necessário instalar um driver específico durante a instalação do Windows XP.

kingston_ssd_raid_small1

Na primeira medição utilizei dois discos SSDNow M de 80 GB, o que resultou num volume de 160 GB. Nos testes realizados com o HDTune 2.55 o tráfego de dados ficou numa média de 207,3 MB/s chegando a picos de 313,7 MB/s. O tempo de acesso ficou cravado em 0,1 milissegundo.

ssd_kingston_hdtune_80gb

O mesmo foi feito com o SSDNow E de 32 GB. Os resultados foram praticamente os mesmos, com média de 208,2 MB/s, picos de 208,3 MB/s e tempo de acesso de 0,1 milissegundo. Não se esqueça que a diferença entre os modelos M e E não está no seu desempenho e sim na sua durabilidade, estimada em 1,2 milhão e 2,2 milhões de horas, respectivamente.

ssd_kingston_32_raid_hdtune

Se comparado com os resultados baseados em apenas um disco, os discos montados em RAID 0 proporcionaram praticamente o dobro da taxa de transferência, o que é algo notável num mundo onde somar um mais um não resulta necessariamente em dois. Os usuários de SLI/Crossfire que o digam.

Infelizmente, essa matemática também se aplica no custo dessa tecnologia, principalmente se levarmos em consideração que um disco SSDNow E tem o preço sugerido de R$ 2.583 e o SSDNow E, R$ 2.418. Assim minha impressão é que essa solução estará inicialmente restrita a aplicações que necessitem ou até mesmo demandem o máximo em termos de termos de tempo de resposta do disco do que capacidade de armazenamento propriamente dita. Se levarmos em consideração que os atuais desktops domésticos assumem o papel de datacenter da casa, acumulando milhares de imagens, músicas e vídeos, o dinheiro gasto num único SSD poderia ser usado para adquirir alguns terabytes de disco magnético.

Sob esse ponto de vista, acredido que, por enquanto, produtos como SSDNow encontrarão seu espaço nas empresas e no mundo compotativo, principalmente se sua aplicação é uma daquelas em que pode-se dizer que “tempo é dinheiro” no sentido mais literal da palavra. Se for esse o seu caso, gastar um pouco de “tempo” num SSD pode ser algo realmente compensador hoje e ainda mais no futuro quando a lei de Moore começar a entrar em ação.

Resumo: SSDNow E de 32 GB e SSDNow M de 32 GB
O que é isso?
disco rígido de estado sólido para uso em desktops, notebooks e servidores.
O que é legal?
rápido e silencioso no modo normal e mais rápido ainda em RAID.
O que é imoral?
capacidade modesta para os padrões de mercado, ainda muuuito caro.
O que mais?
totalmente compatível com as atuais plataformas de PC.
Avaliação:
6,9 (de 10). Entenda nosso sistema de avaliação.
Preço sugerido:
R$ 2.583 (SSDNow E) e R$ 2.418 (SSDNow M)
Onde encontrar: www.kingston.com.br

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Leo

    Mário você poderia colocar um video mostrando o tempo que leva para carregar o windows em modo normal e raid0.

  • luiz

    *mofo* não seria *modo* hehe

    Pena esses HDs ainda serem tão caros, pq eles estão dando de lavada nesses HDs tradicionais.