Hands on: Dell Inspiron Duo com MeeGo 1.1

H

Durante nosso review do Dell Inspiron Duo levantamos a dúvida: seria possível rodar o Meego nesse portátil? Assim, aproveitando a fome com a vontade de comer fizemos esse teste.

Se comparado com a concorrência, o hardware do Duo até que é bastante respeitável para um netbook, mas o SO que o acompanha — o Windows 7 Home Premium — apesar de excelente quando usado com teclado e mouse/touchpad não nos pareceu muito prático no seu modo tablet, mesmo com todo o esforço da Dell de  incluir um generoso pacote de software com suporte para touchscreen que cobre o básico, mas nada que possamos chamar de uma killer-app.

Ao contrário dos consumidores de PCs que enxergam o conceito de hardware e software como produtos independentes, aqueles que compram um tablet estão à procura de uma experiência de uso que atenda às suas expectativas, independente do que está por debaixo do painel LCD.

Assim, enquanto o novo Windows com melhor suporte para tablet não chega ao mercado, a alternativa pode estar em algum sistema operacional mais voltado para usabilidade do que produtividade e que já conte com um bom suporte para palatforma Atom. Resposta: MeeGo!

Anunciado em outubro do ano passado, a versão do MeeGo para Netbooks está atualmente na versão 1.1 e, segundo sua descrição de produto, já inclui o suporte para touch screen

Com essa informação confirmação resolvemos ir à luta e instalar o MeeGo no Duo. Mas em vez da versão acima, optamos por uma versão alternativa que já vem com o navegadoer Google Chrome pré-instalado. Baixamos o arquivo de imagem do SO (meego-netbook-ia32-chrome-1.1.img de 825 MB), queimamos um DVD e demos um boot no mesmo usando um leitor de CD/DVD com porta USB.

Rodar o Meego do Duo não tem nenhum segredo: Ao carregar o sistema do DVD o gerenciador oferece as opções de rodar o SO direto da mídia óptica (Boot MeeGo), instalar o SO no disco rígido (Installation Only)  e a opção de inicializar o SO do HD (Boot from local drive).

O processo de instalação em si é resolvido em poucos passos: define-se o idioma da interface (que já inclui o português brasileiro), as opções de instalação no disco e iniciar a cópia dos arquivos. Feito isso, se tudo ocorrer de acordo com o esperado,o  sistema está pronto para uso.

Como da última vez que brincamos com o MeeGo 1.0, o sistema funcionou de primeira reconhecendo o sistema de som, a aceleradora gráfica/resolução da tela e layout de teclado corretos, além de outros componentes críticos do hardware como a placa de rede Wi-Fi e o sistema Bluetooth.

A interface com o usuário continua praticamente a mesma, com seu sistema de abas que enfatizam o contato e a troca de mensagens, aplicações de mídia e acesso à internet. Tocado por um processador dual core de 1,5 GHz, o sistema se comportou de maneira bastante rápida, o que passa a impressão de que o MeeGo responde bem ao hardware do Duo.

Mas infelizmente… o sistema de touch screen do Duo não funcionou no MeeGo (boo!) e, como era previsto, nem o seu acelerômetro. De fato notamos que ao tocar na tela o ponteiro do mouse, some o que mostra que o Meego de algum modo reconheceu o input da tela, mas não sabe o que fazer com isso. Assim acreditamos de que fazer com que o Duo funcione como tablet no MeeGo pode ser só uma questão de atualizar algum driver e/ou configurar o sistema corretamente.

Como o Duo é um produto relativamente novo no mercado, pode ser que as próximas versões do MeeGo oferçam um melhor suporte para o mesmo, agora que a Nokia meio que saiu do projeto e os antigos parceiros de hardware da época do Moblin voltem a assumir um papel mais proeminente no desenvolvimento desse produto.

 

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos