ZTOP+ZUMO

Hands on: Celular de pulso LG Watch Phone GD910c

A idéia de um telefone celular de pulso não é nova e até recentemente não me lembro de ter visto algum celular que você pudesse usar no pulso que não parecesse um artefato alienígena ou engenhoca retirada do filme do Jaspion. Coloco essas observações no tempo passado porque a LG Electronics parece ser a primeira a ter rompido esse paradigma com o lançamento do LG Watch Phone GD910c, um celular-relógio recheado de recursos e que é realmente prático e fácil de usar.

Pesando aproximadamente 42 gramas, o GD910C é dono de um desenho sóbrio e elegante, cuja caixa de aço mistura tons de prata e preto, o que ajuda a disfarçar um pouco o seu tamanho relativamente avantajado (39 x 61 x 14 mm — LxAxP) já que sua parte mais escura combina com sua correia de couro da mesma cor, porém com uma interessante textura quadriculada.

A correia possui um sistema de fecho em “S” que também possui um sistema de trava que permite ajustar o diâmetro da pulseira sem o uso de ferramentas.

Apesar do excelente acabamento, é importante observar que sua caixa de aço não é à prova d’água e o vidro protetor da tela não é à prova de riscos. Assim ele deveria ser tratado mais como um celular do que um relógio, ou seja, nada de tomar chuva, lavar as mãos nem pular na àgua com ele no pulso. De fato a empresa recomenda que nem se pressione seus botões quando molhados.

Prova disso é sua tampa traseira que não é rosqueada, e sim presa por meio de um sistema de trava giratória, assim como os contatos da porta USB (os pontos dourados no canto superior direito) ficam completamente expostos.

Como era de se esperar de uma empresa que fabrica seus próprios painéis LCD, a tela do GD910c é do tipo TFT de 1,43” do tipo touchscreen capacitivo (uia!) com resolução nativa de 128 x 160 pixels e capaz de reproduzir 262 mil cores. Ela fica por baixo de um sólido painel de vidro que também protege sua pequena câmera VGA (640×480 pixels) usada para fazer video-ligações e tirar fotos. Ainda existe uma pequena abertura no seu topo de onde sai o som do alto-falante e que acredito que também sirva como microfone.

Além dos comandos de toque, o GD910c também conta com três botões laterais cujas funções lembram as dos celulares, o que torna o seu uso mais intuitivo: A partir da esquerda o botão de cancela/finaliza ligação/liga-desliga, botão de  cancela opção/retorna e botão de confirma ligação.

Para abrir o mesmo é preciso utilizar uma ferramenta especial que se encaixa na fenda central da tampa que, ao contrário do que pode parecer, possui um fundo curvo e não reto. Ou seja, NUNCA TENTE ABRIR O CELULAR COM UMA CHAVE DE FENDA, JÁ QUE ELA PODE ESCAPAR E RISCAR A TAMPA (leia essa última frase novamente). Pelos nossos testes — numa situação de emergência, o objeto que melhor substituiria a ferramenta abaixo é a atual moeda de um real (aquela bicolor com anel dourado).

Para abrir o relógio, basta encaixar uma das orelhas metálicas da ferramenta acima no slot da tampa e girar — CUIDADOSAMENTE — alguns graus no sentido anti-horário. Esse movimento libera a tampa que revela o compartimento do cartão SIM. Pelo que pudemos ver, parece que a bateria é do tipo interno e não pode ser removida pelo usuário. Segundo o fabricante sua bateria de íons de lítio de 510 mAh tem autonomia estimada de 108 min de conversação em 2G e 126 min em 3G ou 200 hs em standby n0 modo 2G ou 180 hs em 3G. No modo videofone em 3G a autonomia é estimada em 66 min de conversação.

Interessante notar que a ferramenta de abertura da tampa possui uma espécie de pinça de plástico que também serve para instalar e retirar o cartão SIM.

Acompanha o produto um curioso acessório na forma de garra que “morde” o celular pela lateral direita, fechando assim um firme contato entre os contatos elétricos do acessório e do relógio que podem assim ser ligado numa fonte de alimentação para recarregar sua bateria interna ou sincronizar dados com o PC via cabo USB.

Talvez a maior pisada de bola da LG nesse projeto é a decisão por adotar um conector proprietário para esse acessório (buu!), o que obriga o usuário a carregar seu carregador e outros cabos na mala em viagens.

Porém, é interessante notar que também acompanha o produto um curioso cabo  “Y” que permite recarregar seu microfone Bluetooth — também incluso.

Como era de se esperar, esse fone bluetooth segue o mesmo padrão de cores do celular-relógio e seu desenho com seu longo braço tem o objetivo de melhorar o som captado pelo microfone. Para aqueles que não gostaram do seu jeitão, a boa notícia é que o GD910c funciona com outros fones bluetooth do mercado.

Como estratégia para economizar o máximo de energia possível, quando fora de uso o GD910c mantém o backlight da sua tela desligado com informações mínimas na tela, o que permite ver as horas em locais bem iluminados como sob o sol forte.

Em locais mais escuros, pode-se pressionar o botão “C” para ligar o backlight, que volta a se desligar depois de alguns segundos.

Ao pressionar esse botão uma segunda vez o relógio realmente “acorda”  apresentando um visor bem mais elaborado com diversas opções de tipos e animações para todos os gostos — do mais clássico até o mais moderninho — muitos deles com interessantes animações como ponteiros de segundo que se movem, pontos que giram e até bolinhas coloridas que despencam pela tela:

Um recurso legal é o relógio mundial, que permite mostrar a hora em duas cidades do mundo (definidos pelo usuário):

Assim como os smartphones da empresa com nome de fruta — e seus inúmeros concorrentes — uma das grandes sacadas do GD910c é adotar o sistema de toques por gestos na sua interface com o usuário, o que facilita em muito o seu uso, principalmente numa tela tão pequena. Para orientar o usuário, o relógio apresenta pequenas setas direcionais que dizem para o usuário em que direção ele pode rolar a tela apenas empurrando a mesma com a ponta do dedo para a direção desejada.  Podemos ver esse modo de uso em ação num preview já postado neste Zumo.

Se comparado com os celulares disponíveis no mercado, o GD910c até que é bem equipado com um pacote bem sensato de recursos, o que cobre a maioria daquilo que as pessoas realmente usam no dia a dia sem desperdiçar seus limitados recursos com coisas supérfulas que poderiam até devorar sua bateria como rádio FM, joguinhos, GPS, acelerômetros, navegação na web etc.

Para fazer uma ligação nesse aparelho, basta puxar a tela inicial (o display do relógio) para a esquerda para ter acesso à tela de chamadas que podem ser de voz ou de vídeo. Ele trabalha no sistema GSM nas frequências de  900/1.800/1.900 MHz e 3.5G UMTS (2.100 MHz).

Apesar de pequeno, o teclado virtual do GD910c é impressionantemente preciso mesmo para pessoas com mãos grandes. Basta digitar o número e pressionar a tecla verde lateral, ou fazer uma busca por nome na sua lista de contatos (até 1.000 na sua memória interna) ou fazer uma discagem rápida usando botões de atalho (speed dial). A ligação pode ser feita em alto e bom som por meio de seu modo de viva-voz (estilo Dick Tracy) ou mais discretamente com o uso do fone de ouvido bluetooth.

Ao pressionar o botão de “eject” temos acesso à mais funções de uso rápido, como envio de mensagens em SMS (envelope) e gravação do número discado (disquete). Para os usuários realmente moderninhos, o GD910 também permite discar para alguém por meio de comandos de voz (uia!).

Informações estado da rede, bateria etc. são apresentandos numa tela adicional:

O GD910c oferce funções básicas de calendário, agenda de compromissos e notas cujas informações podem ser sincronizadas com o PC (mais sobre isso abaixo).

Outro recurso colocado em primeiro plano é seu player de música. Apesar do GD910c não dispor de saída de som para fone de ouvido, ele permite o uso de fones estéreo bluetooth, inclusive de outros fabricantes. A qualidade de som é boa para um equipamento do seu porte.

Finalmente, o relógio possui uma tela que dá acesso a diversas aplicações como o gerenciador de mensagens, contatos, utilitários e menu de configuração do sistema. Apesar do GD910c não aceitar o download de aplicações, ele conta com uma ferramenta de atualização de firmware, o que garante a implementação de novos recursos.

Esse equipamento conta com 80 MB de memória interna cuja ocupação pode ser minuciosamente acompanhado pelo usuário. Para os padrões atuais 80 MB pode parecer pouco, mas deve dar para o gasto se levarmos em consideração que ela será usada essencialmente para guardar arquivos de dados e alguns arquivos de som e músicas e não para fotos ou arquivos de vídeo.

O menu de utilitários abriga uma uma miscelânea de recursos que pode variar do realmente útil como o cronógrafo, horário mundial, agenda de compromissos, gravador de voz, conversor de unidades e sua curiosa calculadora com funções científicas (uia!).

Do lado mais fútil do que útil está sua função de câmera digital que, na minha opinião está lá mais para dizer que existe ou para impressionar as garotas e os amigos nerds. Digo isso porque como o sensor de imagem e o botão de disparo ficam no mesmo lado da tela LCD, tirar qualquer foto que não seja um auto-retrato — além de não ser uma tarefa fácil — é um verdadeiro exercício de advinhação. Observe que essa câmera não grava vídeos.

Para sincronizar dados com o PC acompanha o produto um pequeno CD com utilitários entre eles o LG PC Suite III, que permite gerenciar contatos e mensagens SMS contidos no celular, transferir arquivos, sincronizar dados,  fazer cópias de segurança e até usar o relógio como modem 3G.

O canal de comunicação mais simples e prático é pela porta bluetooth do GD910c. Para aqueles que não contam com esse recurso em seus PCs é possível fazer o mesmo via cabo USB.

Como disse no início desse post, acredito que o GD910c deve ser visto mais como uma quebra de paradigma do que um eletrônico de consumo propriamente dito. Sob um certo ponto de vista, o grande mérito na LG não está exatamente na criação de alguma tecnologia revolucionária e sim pela maneira engenhosa com que ela soube combinar tecnologias até bem conhecidas pelo mercado (como telas capacitivas, bluetooth etc.) num equipamento compacto e — o mais importante — simples, fácil e muito divertido de ser usado.

Olhando pelo lado comercial, como qualquer produto inovador seu preço sugerido para o usuário final não é nenhum troco de bala — de R$ 2.899 ~R$ 4.999 — um precinho salgado meio se levarmos em consideração que estamos falando num celular 3G que nem acessa a internet. Mas como qualquer item de luxo, trata-se de um objeto de desejo cuja percepção de valor envolve diversos fatores psicológicos e sentimentais bem mais complexos do que uma fria avaliação de custo x benefício.

De qualquer modo, é louvável a iniciativa da LG de trazer esse produto para o nosso País. Mesmo que não consigam vender muitos desses relógios por aqui — pelo menos barulho eles fizeram — o que ajuda a fortalecer a percepção da marca diante do consumidor final.

A concorrência que o diga.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • dflopes 15/03/2010, 18:45

    CRITICAS:
    – Sendo apenas para falar, está caro.
    – Ausencia de saída p1??? Isso ajudaria a manter a bateria enquanto se escuta música.
    – não pode instalar nem java? nada mesmo?
    – não acessa nem email?
    – conexão proprietária? pq LG?
    – Update de firmware? O zumo está onde? Na Finlândia? Empresas lançam novos sistema para comprarmos novos aparelhos. E no Brasil, são poucas as que atualizam firmware para garantir novas funcionalidades a equipamentos antigos

    ELOGIOS:
    – modos relógios fantásticos (incluindo o dual-hora mundial)
    – aceitar ligações por comando de voz, bluetooth e na tela
    – É UM RELÓGIO-PHONE
    – é leve

    Pergunta:
    – Temos a duração da bateria?

    • mnagano 15/03/2010, 20:53

      Ops sorry, essa informação deve ter sido perdida em uma das minhas atualizações do texto. jä está de volta no seu devido lugar.

  • Uiliam 15/03/2010, 19:35

    Muito caro. Eu até preferiria o relógio/cel pelo fato de dispensar bolsos… rsrs. Odeio ficar carregando as coisas no bolso, inclusive cel, mas vamos combinar que por esse preço até netbook vira carregar no bolso. Agora quando o conceito evoluir e o produto chegar na casa dos R$ 1.000 será um atrativo e tanto.

  • Douglas Belmonte 16/03/2010, 05:44

    800,00 seria um preço justo. Mas essa peca é Luxo e por isso não precisa ser o melhor basta ser exclusivo e fora do padrao.

  • fabiano 06/10/2010, 12:33

    Olá amigo onde posso encontrar o carregador ??