Hands-on: Asus Eee Pad Slider (+ uma olhada no Padfone)

H

Na semana passada, além de lançar oficialmente o Eee Pad Transformer e anunciar para breve o primeiro Ultrabook, a Asus também deu uma prévia dos seus outros tablets: o Eee Slider e o mítico Padfone.

A principal diferença do Slider para o Transformer é o teclado: no Transformer, ele é removível; no Slider, vem integrado ao corpo do tablet. A máquina, rodando Android 3.1, tem configurações bem parecidas com as do irmão mais velho: processador Nvidia Tegra 2 dual-core, tela de 10,1″ com painel IPS, porta USB, leitor de microSD, saída de vídeo HDMI.

E aparentemente o mesmo pacote de software, como o Polaris Office.

Fechado, o Slider não parece muito diferente de outros tablets.

Na parte traseira, a câmera de 5 megpaixels

Na parte traseira, a saída HDMI e o conector do carregador, além do local para puxar a tela e abrir o teclado:

Na lateral, o leitor de cartões e os botões de controle (liga/desliga e volume):

O teclado é uma versão reduzida do apresentado no Transformer, sem touchpad (pra que, se a tela é sensível, certo?)

E ao abrir o tablet, ele desliza e fica no ângulo certo para ver a tela e escrever.

E lado a lado: Eee Pad Transformer e Eee Pad Slider. Segundo a Asus, o Slider tem previsão de começar a ser vendido aqui no Brasil a partir de setembro. Nada de preço ainda.

Já o Asus Padfone, previsto para 2012 apenas (nem saiu lá fora ainda), era um protótipo do protótipo. A ideia é interessante: um tablet com um compartimento para trocar dados e recarregar o celular.  Na hora que mexemos no produto, estava com a bateria totalmente zerada.

O projeto lembra bastante a solução da Motorola com o Webtop e o smartphone Atrix, mas com integração direta entre Android no tablet e Android no smartphone (o Atrix roda Android e o Webtop, base com tela e teclado, um cliente Citrix com funções de desktop).

O Padfone, pelo visto, vai usar a parceria da Asus com a Garmin para mapas.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos