ZTOP+ZUMO 10 anos!

Hands-on: Gravador para câmera de vídeo D-Link DNR-202L

Dispositivo de rede D-Link DNR-202L permite gravar vídeos em discos com porta USB sem o uso de um PC. Veja o que achamos dele.

Mais conhecida pela sua linha de dispositivos de rede como switches, pontos de acesso e roteadores , a D-Dink também possui uma interessante linha de câmeras de vigilância para uso comercial e doméstico, o que inclui as chamadas Cloud Cameras

Dlink_cameras

…equipadas com recursos bem sofisticados como porta Ethernet/Wi-Fi embutido, armazenamento interno e até a capacidade de conectar à internet, permitindo assim que suas imagens possam ser visualizadas tanto local quanto remotamente tanto no PC quanto num dispositivo móvel por meio do serviço MyDlink Cloud:

Por ser um produto/serviço focado essencialmente para o usuário final, essas câmeras de consumo foram concebidas para ter um alto grau de autonomia e serem fáceis de ser instaladas, o que faz com que cada uma delas exista e seja tratada como uma entidade independente na sua infraestrutura de rede…

Dlink_cameras_mycloud2

…o que pode ser um incômodo para aqueles usuários que possuem mais de uma dessas câmeras em casa ou no seu negócio e gostariam de contar com uma solução capaz de centralizar as atividades de gerenciamento, monitoração e até gravação de imagens, vídeos e som de todas as câmeras em um único equipamento.

Uma das primeiras soluções desse tipo lançadas pela D-Link foi o DNR-322L, um disco NAS que também incorpora a função de gravador de vídeo para câmeras D-Link. Mas mesmo assim, a companhia percebeu que havia uma demanda por um equipamento mais simples e mais em conta, de modo que em maio deste ano, lançou o gravador de vídeo para câmeras mydlink modelo DNR-202L um produto que como o próprio nome diz, é totalmente voltado para essa aplicação:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Medindo apenas 11,7 x 2,3 x 7,0 cm (LxAxP) e 90 gramas de peso, o DNR-202L é um dispositivo de rede capaz de monitorar e capturar as imagens vindas de até quatro câmeras Cloud da D-Link ao mesmo tempo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

… e armazenar esse conteúdo em até duas unidades de armazenamento conectadas localmente via porta USB 2.0:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Na sua lateral direita podemos ver a entrada de força do seu adaptador de rede elétrica (entrada 100~240V CA e saída de 5 volts CC x 2,5 A), uma porta de rede Fast Ethernet (10/100 mbps) e uma porta USB 2.0 para ligar o disco principal  (ou HD1)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

… e na parte de trás podemos ver uma segunda porta USB 2.0 para instalar o disco secundário (HD2). Os botões [1] e [ 2] servem para desconectar o disco ligado da sua respectiva porta e o botão com a lupa (= “auto-scan”)  serve para iniciar a busca pelas câmeras ligadas na rede.

Ao lado dele existe um orifício que dá acesso ao botão de reset que deve ser pressionado brevemente para reiniciar o sistema ou por mais de 10 segundos para restaurar o DNR-202L para a sua configuração original de fábrica (algo necessário, caso o usuário precise reinstalar o sistema ou tenha esquecido a senha do administrador).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Note que esse dispositivo não possui botão de liga/desliga o que até faz sentido já que se trata de um equipamento que foi feito para funcionar 24 horas por dia, 7 dias por semana. Ele ocupa pouco espaço físico e cabe em qualquer canto de armário ou mesmo em algum local mais escondido. Segundo a empresa, o DNR-202L consome aproximadamente 8,5 watts, contando junto dois HDs externos de 2,5″ ligados nas suas portas USB.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Tecnicamente falando, o DNR-202L grava vídeos nas resoluções de 1.280 x 720 pixels (1 canal) ou 640 x 480 pixels (4 canais) nos formatos H.264/MPEG-4/MJPEG (para transmissão ao vivo) e  JPEG para imagens estáticas com suporte para áudio nos formatos G.711/G.726. O início/término da gravação pode ser contínua ou determinada por período programado ou movimento. As tomadas também podem ser exportadas para o formato AVI e as cenas no formato JPEG.

O processo de instalação é simples e direto: conecte os discos USB, a fonte de alimentação no dispositivo e conecte o mesmo no seu roteador Wi-Fi por meio do cabo de rede incluso.

Dlink_videocam_rec_diagram

Pausa para um momento Zumo de reflexão:

Um detalhe importante que precisa ser observado é que caso o usuário esteja montando a sua infraestrutura de câmeras de vigilância pela primeira vez e comprou o DNR-202L junto com uma ou mais câmeras da D-Link é necessário que primeiro, seja feita a instalação da câmeras e depois o gravador. Isso porque elas precisam estar presentes e ativas na rede local para serem localizadas e configuradas para trabalharem junto com o  gravador.

No nosso caso, usamos uma câmera da D-Link DCS-942L (preço sugerido R$ 659)…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

  … um modelo que apesar da aparente simpliciadade, é bastante rica em recursos o que inclui interface WiFi embutida e até a capacidade de armazenar vídeos num cartão micro-SD instalado na própria câmera.

Dlink_DNR-202L_camera_DCS942L_specs

Ao ligar o equipamento, notamos a existência de um indicador luminoso na forma de anel, que brilha na cor vermelha para indicar que o sistema está ligado/inicializando…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

… e que passa para azul para informar que o sistema está conectado na rede e pisca para indicar o tráfego de dados. Note o LED verde aceso ao lado do botão [1] o que indica que o dispositivo USB está conectado e também pisca para indicar que o mesmo está em uso. O sistema também emite sinais sonoros — ou mais exatamente bipes longos e curtos — para indicar que um disco foi ativado/desativado, se uma câmera foi localizada no auto-scan, etc. (mais sobre isso aqui).

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Feito isso é necessário inserir o CD de instalação na leitora…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

…  e iniciar o assistente de instalação:

DNR-202L_install_1

… apesar de meio longo, esse procedimento é bem detalhado, mencionando todos os passos necessários, que vai da instalação dos cabos…

DNR-202L_install_2

… passando pela identificação física do seu produto…

DNR-202L_install_3

… definição das senhas…

DNR-202L_install_4

… identificação e seleção dos discos a serem usados pelo sistema…

DNR-202L_install_5

… e a formatação do mesmo.

DNR-202L_install_6

Feito isso é preciso configurar a sua conexão com a internet, sendo que o usuário tem a opção de usar um endereço IP fornecido pelo seu servidor DHCP ou definir seu próprio manualmente:

DNR-202L_install_7

Depois disso, o sistema pergunta se o usuário já tem uma conta no serviço mydlink ou se deseja se cadastrar nele.

DNR-202L_install_8

A parte final desse processo envolve a localização/seleção/configuração das câmeras D-Link presentes na sua rede (no meu caso, apenas a DCS-942L):

DNR-202L_install_9

Feito isso, o processo de configuração está concluído…

DNR-202L_install_10

… e o usuário já pode começar a brincar de Big-Brother, bastando para isso acessar o endereço IP do seu dispositivo no seu navegador favorito (no nosso caso 192.168.25.151):

DNR-202L_INT_main_screen_pt

Como já foi dito, o DNR-202L é capaz de monitorar até quatro câmeras ao mesmo tempo, mas como nesse teste usamos apenas uma isso explica o fato da imagem ocupar apenas 1/4 da tela, algo que pode ser resolvido clicando nela. Note que neste painel também temos acesso a outras informações como o número de câmeras ativas, modos de apresentação da tela, controle de zoom/movimentação da câmera (caso a mesma disponha desse recurso), ocupação/estado dos discos e informações da rede/taxa de atualização (frame-rate) do vídeo.

DNR-202L_INT_main_screen2_pt

O mais legal é que boa parte desses recursos também podem ser acessados remotamente via mydlink, tanto no PC:

DNR-202L_mydlink_main_screen1

… quando num dispositivo móvel via App disponível para iOS e Android (abaixo).

DNR-202L_INT_main_screen_android

Com relação a sua capacidade de reproduzir material previamente gravado, o sistema conta com uma espécie de histórico onde o usuário seleciona o ponto inicial (cue in) e final (cue out) do trecho a ser visto dentro da própria aplicação…

DNR-202L_reproduzir0

… ou exportado para um arquivo de vídeo no formato AVI…

DNR-202L_reproduzir2

… para ser usado em outras aplicações.

Fora disso, quadros (ou mais exatamente frames) do vídeo também podem ser exportados na forma de imagens formato jpeg. Umadúvida que poder surgir na cabeça daqueles não familiarizados com essa tecnologia é o quanto de espaço de armazenamento é necessário para operar esse sistema e se um memory-key realmente dá conta do recado.

Quando questionamos sobre isso com o pessoal da D-Link na época do lançamento do produto, a explicação que tivemos é que no modo de gravação de vídeo contínuo, ao encher o disco o sistema começa a apagar as cenas mais antigas para liberar espaço para as mais recentes, ou seja, o usuário sempre terá a sua disposição as cenas mais recentes. Ter cenas mais antigas vai depender do tamanho do disco (= quanto maior, mais horas ou até dias).

Para efeito de comparação, na página do produto existe uma tabela de referência que estima que faz uma relação de tempo x resolução x memória necessária para gravar o conteúdo de apenas uma câmera com qualidade vídeo “média” a 5 quadros por segundo (note que um vídeo normal usa de 30~60 quadros por segundo):

Dlink_videocam_rec_autonomia2

Esses ajustes de áudio/vídeo podem ser feitos diretamente no gerenciador do gravador…

DNR-202L_camera_setting_PT

… assim como os eventos que irão disparar o início/término da gravação…

DNR-202L_event_manager_PT

… ou data e hora:

DNR-202L_event_manager_date_time_pt

Nossas conclusões:

No geral, nossa impressão do DNR-202L é bastante positiva já que o produto atende a uma demanda específica dos usuários de câmeras de consumo da D-Link, que é de oferecer uma solução de prateleira simples de usar mas que é, ao mesmo tempo, rica em recursos. E, dentro daquilo que ele se propõe a fazer, o DNR-202L faz com bastante competência.

E o fato do mesmo poder ser monitorado remotamente em qualquer dispositivo móvel pela web por meio do serviço gratuito mydlink agrega ainda mais valor ao produto, o que o coloca bem na frente das soluções mais antigas baseadas em câmeras analógicas e gravações em fita, cujo conjunto da obra muitas vezes parece mais insinuar algo (tipo “alguém entrou na minha casa“) do que registrar algo realmente relevante (tipo “olha a cara do safado que entrou na sua casa!“)

Observamos porém que, apesar do processo de instalação não ser dos mais complexos (e o assistente de instalação ter sido muito bem elaborado) é recomendável que o usuário tenha alguns conhecimentos básicos de rede, o que pode ajudar tanto no planejamento/instalação da infraestrutura da rede (modem, roteador, cabos, câmeras, etc.) quanto na configuração o sistema. Mas cá entre nós, também não é nada que alguém que já configurou um roteador de rede não seja capaz de fazer e — mesmo se a coisa começar a ficar muito complicada — tem sempre aquele aquele seu amigo nerd que manja tudo de computador, né?

Fora isso, é preciso lembrar que esse gravador faz parte de um ecossistema maior — o que também fazem inclui outros produtos e serviços da D-Link — de modo que não acreditamos que ele trabalhe bem — ou mesmo que funcione com câmeras de outras marcas/fabricantes. Com relação ao serviço mydlink sempre é bom recordar que, por se tratar de um serviço, sua qualidade de reprodução do vídeo depende (e muito) da qualidade da conexão da rede, que vai desde da velocidade de transmissão da sua conexão doméstica (que, no caso do ADSL, não costuma ser lá grande coisa) até o desempenho da sua rede Wi-Fi/3G/4G. Isso pode ser a diferença de um vídeo que mais parece um slide show ou um cineminha no seu celular.

Pelo preço sugerido de R$ 599, o DNR-202L não é exatamente um produto barato, mas trata-se de uma solução elegante e bem em conta do que colocar um PC dedicado para executar essa mesma tarefa, além de ser muito menor e consumir bem menos energia.

E no fim das contas, quanto vale ver bem a cara daquele safado que entrou na sua casa?

Para encontrar uma revenda autorizada, visite o site da D-Link Brasil.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.