Google compra o YouTube

G

E não é que os boatos eram verdade? O Google anunciou hoje a compra do popular site de ví­deos YouTube, por nada menos de US$ 1.65 bilhões de dólares. Sim, bilhões, com B maiúsculo e cifrões bem grandes, uma “verdadeira pechincha”. O valor vai ser pago em ações do Google, ou seja, em alguns meses esse dinheiro vai crescer bastante. A marca YouTube vai ser mantida, e todos os 67 funcionários mantém seus empregos.

A pergunta que fica é… porque? Só pela marca? A tecnologia o Google já tem, com o Google Video. Aliás, como fica o Google Video? O Google vai manter dois serviços similares no ar, ou vai especializar o Google Video em venda de conteúdo e deixar o YouTube como lugar pro povão postar clipezinhos engraçados?  Só o tempo dirá.

Vou aproveitar a deixa e mandar uma sugestão pro Google, vai que eles ouvem: integrem o YouTube ao GMail. Mais ou menos dessa forma: Se eu anexar um ví­deo a uma mensagem criada no GMail, ele vai automaticamente pro YouTube, marcado como “privado”. O destinatário da mensagem recebe, no lugar do arquivo em anexo, um link (ou embed na mensagem mesmo) pro ví­deo. E só o destinatário e remetente poderão ver o clipe (assim você pode mandar ví­deos das férias para a famí­lia sem medo do ridí­culo global).  Todos ficam felizes: netinho que mandou o ví­deo, vovó que assistiu, e o provedor que não teve que lidar com anexos de 20 MB nas inboxes dos usuários.

Que tal hein? A sugestão é de graça, mas não esqueçam de me mandar um presentinho caso resolvam usar 😉

Sobre o autor

Rafael Rigues

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos