ZTOP+ZUMO

Google chuta baldes e derruba censura na China

Boa, Google! Mega orgulho de entrar no seu blog corporativo e descobrir que, por conta de problemas de segurança cibernética (ei, isso É verdade!) você vai derrubar a censura na China em qualquer busca feita na sua seara e ainda ameaça sair do mercado chinês (mm, isso não é bom, certo?).

Diz o Google Blog, num texto assinado por David Drummond, advogado-chefe da empresa (minha tradução):

“Esses ataques e a vigilância que eles mostraram, combinados com as tentativas no último ano de tentar limitar a liberdade de expressão na web, nos levaram a concluir que devemos rever a viabilidade de nossas operações comerciais na China. Decidimos que não vamos continuar a censurar os resultados no Google.cn, e nas próximas semanas vamos discutir com o governo chinês bases para continuar operando um mecanismo de buscas sob a lei, se possível. Reconhecemos que isso pode levar ao fechamento do Google.cn e potencialmente nossos escritórios na China.

A decisão de reavaliar as operações comerciais na China foi muito difícil, e sabemos que sofreremos potenciais consequências. Queremos deixar claro que esta ação foi motivada por nossos executivos nos Estados Unidos, sem o conhecimento ou envolvimento dos empregados na China, que trabalharam duro para tornar o Google.cn o sucesso que é hoje. Estamos comprometidos a trabalhar responsavelmente para resolver os difíceis tópicos levantados agora”.

Os motivos para tal atitude são claros no post do Google: ataques sofisticados à infra-estrutura corporativa vindos da China, que levaram ao roubo de “propriedade intelectual” do Google, mas com foco também em pelo menos outras grandes empresas de tecnologia, internet, finanças, mídia e setor químico. Veja que em nenhum momento o Google aponta o dedo para governo ou hackers – apenas “veio da China”.

E o post segue:

“Temos evidências que sugerem que o alvo primário dos ataques foi acessar contas do Gmail de ativistas de direitos humanos chineses. Baseado em nossa investigação, até o momento acreditamos que o ataque não conseguiu cumprir seu objetivo. Apenas duas contas do Gmail parecem ter sido acessadas, com atividade limitada a informações da conta e linhas de assunto, em vez do conteúdo dos e-mails”.

Posso estar errado, mas é a primeira vez que vejo uma grande corporação batendo de frente com um governo em público, e as consequências disso podem ser enormes. Primeiro, financeiramente falando – mesmo sem ser líder (posto ocupado pelo Baidu), isso pode significar perder receita significativa e papais e mamães acionistas não gostam nada disso. Segundo, o fim da censura por um site não vai fazer os geeks chineses a deixar de usar VPNs e proxies comuns China para barrar o “Grande Firewall”.  Terceiro, se eu fosse funcionário do Google China, estaria em pânico: imagina seu chefe americano tomar uma atitude dessas SEM te avisar (óbvio que o alto escalão sabia…).

Yahoo! e Microsoft, nessa hora, se escondem embaixo da cama por manter sua censura nas buscas na China – ou será que vão apoiar o grande inimigo Google numa causa comum? 2010 começa quente, muito quente. Ainda sobre os ataques, o blog Google Enterprise dá mais alguns detalhes.

Curiosamente, uma busca rápida em sites de notícias chineses (em inglês) não mostra NENHUMA repercussão local (ei, estão 12h na nossa frente) sobre o caso. China Daily, Shanghai Daily, Xinhua Net (a agência de notícias oficial), não trazem (até o momento) nenhuma linha sobre o assunto.

Updates de 13/01:

1) A Adobe diz também que foi atacada, mas não fala que foi a China. Curiosamente, o post no blog da Adobe subiu 16 minutos depois do post no blog do Google (via Wired)

2) O TechCrunch diz que o problema é grana – um mercado enorme, com concessões a serem feitas (=censura), que pega mal no Ocidente – e não direitos humanos.

3) Robert Scoble discorda e diz que a questão de sair da China é pura hipocrisia, já que desistir desse enorme mercado online (e crescendo) não compensa – mesmo sendo o número dois (num país de 1 bilhão de habitantes, ser número 2, 3 ou 50 não tem muita diferença). Além disso, a China é um ótimo celeiro (barato) de engenheiros. Mas que o tópico dos direitos humanos é importante, e o Google nunca foi tão bonzinho como a Microsoft ou o Yahoo para jogar o jogo da burocracia governamental chinesa. Um porta-voz do Google disse a Scoble que a questão não é o market share: “nossas receitas vindas da China não contam muito, mas tivemos nosso melhor trimestre de todos os tempos”.

4) Na China, tem gente colocando flores na frente do prédio do Google. Impressionante. (via Future Perfect)

5) Tia Hillary Clinton apóia o Google e quer explicações do Governo Chinês.

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • RJP 13/01/2010, 00:38

    É… Numa decisão dessas, ou o pessoal do Google é Macho (c/ M maiúsculo), ou é MALUCO (c/ tudo maiúsculo).

    Mas os pontos que o Henrique colocou são certos: Como ficam os funcionários? E os acionistas, vão gostar? E o Yahoo! e a Microsoft, vão se acovardar, se omitir ou irão para a guerra?

    Estarei aguardando os próximos lances dessa guerrinha particular.

  • JoaoPaesN 13/01/2010, 04:00

    Terceira Guerra mundial começa por conta da [u]Skynet[/u] Google!

    Mas sempre é legal lutar contra ditaduras e tudo mais.

    Quem topa fazer um filme e ganhar milhões com isso?

  • Roberto 13/01/2010, 09:15

    Do ponto de vista do consumidor, esta atitude do Google é muito positiva. Afinal, é ridículo a censura continuar caminhando desta forma em pleno ano de 2010.
    Agora, Henrique, não entendi aqueles parênteses "(ei, estão 12h na nossa frente)". Me assustei, tive a impressão de que você quis dizer que eles estão 12h no futuro, e não sobre a questão de fuso horário .

    • henriquem 13/01/2010, 10:27

      sim, me referi ao fuso.

    • Douglas 11/02/2010, 16:51

      Apenas um parenteses:

      Segundo a física quantica, eles ESTAO sim 12h no futuro.

  • Rogerio0991 13/01/2010, 20:42

    Se eles estiverem não só focando no dinheiro, e sim na liberdade da internet, é ponto para o google…

    Maaas se o dinheiro for o único foco deles, bem, não apóio e nem discordo, visto que o governo chinês está errado nessa história.

    O único porém é ver que funcionários do google china podem se despedir de seus sálarios…

  • Anderson Costa 13/01/2010, 22:10

    Olha, qualquer empresa estrageira por mais que pregue a idéia de respeito aos funcionários, liberdades e tal, quando pinta surge problemas mais sérios que tem alguma relação com grana, eles pulam fora mesmo e que se dane o resto, a prioridade é salvar a matriz.

    Eles apenas tentar passar panos quentes na melhor da hipóteses, ao melhor estilo "vou te atropelar, mas vc vai ficar bem e vai tirar um período de ausência!!!"

    E infelizmente eu digo isso com conhecimento de causa…

  • lucas 14/01/2010, 12:34

    Bem, como disseram, se a motivação for pelo respeito aos direitos humanos, liberdade de expressão, democracia… e demais valores da Declaração Universal dos Direitos Humanos; palmas para o Google.
    Porém se a motivação por trás for somente financeira (mais dinheiro, mais, mais, mais, mais… quantos bilhões, são suficientes para uma vida confortável????), aí ela, a Google, não passa demais uma empresa que só visa o lucro, pouco se importando se um ser humano, que só quer ter seus direitos a dignidade respeitados, morra em uma cadeia.

    Nada contra trabalhar/prestar um serviço e lucrar. Mas, pelo menos pra mim, dinheiro, embora seja bom, util, necessário, não está acima da vida e dignidade de um ser humano.

    Chamem-me do que quiser, de idiota, hipocrita, demagogo, comunista, falso comunista, etc… mas eu não faço qualquer coisa por dinheiro, não (se fizesse já estaria em uma situação financeira bem melhor, embora, talvez, amargo, infeliz). Não desviaria dinheiro de creches, escola, hospitais, drogaria crianças, etc, etc, etc… Acreditem se quiser… senão, dane-se. Eu sei de mim.
    Não sou nenhum santo. Tenho meus podres, mas entre eles não está encher o bolso de dinheiro e dane-se alguem vai morrer por conta disso.

    E acho que já passou da hora de peitarem a china, e não fazer negocio com ela, e nem comprar seus produtos, caso ele não respeite a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Esses malditos ditadores carniceiros, se quiserem colher os beneficios/direitos oriundos das democracias, que acatem também os deveres. Caso contrario que se fodam sozinhos, isolados do resto da humanidade.

    • Marcelo 14/01/2010, 17:53

      Faço sua a minha palavra, a escravidão ainda não acabou na China e mesmo assim continuamos a comprar seus produtos porque são mais "baratinhos" , somos todos coniventes com a situação social que se encontra o povo chinês. Não entendo como ainda não rolou na web uma campanha forte de boicote aos produtos chineses, será que temos medo de ficar sem nosso produtos "baratinhos" ? mesmo que tais produtos venham de um regime de "semi-escravidão" ….

  • dflopes 14/01/2010, 13:41

    Meus aplausos ao Google. Não é pq existe um mercado de milhões de dolares que se apoia uma ditaduta.

    digo apoiar, pois se vc não é contra seus métodos, então é a favor. A M$ já muddou o bing para poder trabalhar na china e ganhar seus trocados.

    Os acionistas que deverão definir a linha de ação do Google. Se "uma empresa capitalista sem escrúpulos" ou baseada no seu lema "Não seja mau" (don´t be evil).

    E eles já mudaram algumas coisas, incluindo HTTPS (HTTP security) por padrão:
    http://mail.google.com/mail/help/intl/pt-BR/about

  • lucas 14/01/2010, 19:15

    Duvido, quer não seja possível viver sem o dinheiro (sujo?) oriundo dessas ditaduras malditas. Caso o cara queira ganhar um bilhão por mês, e que dinheiro em excesso, seja o principal valor de sua vida, talvez não dê, mesmo. Mas se acima de tudo está a dignidade própria e do outro, tenho certeza que dá.
    É legal ter dinheiro, obvio. Não sou nenhum hipocrita, que não gosta/precisa desse "papel".
    E sim, é bom comprar produtos de qualidade baratos. Mas pagaria um pouco mais se isso fosse para contribuir com dignidade humana no mundo.
    Compro sim, produtos Made in China (feito em sua maiora por trabalho praticamente escravo), mas é por falta de opções. Aqui no Brasil é comprar ou ficar sem um produto que vc precisa.

    E sem contar que os preços que pagamos aqui no Brasil costumam ser 10 vzs mais caro que em países desenvolvidos (europa, usa, japão, etc).
    Ou seja, mesmo o produto sendo mais barato, devido a mão de obra escrava, já pagamos bem caro por ele aqui no brasil. De modo que se houvesse um aumento nos preços devido a um respeito aos direitos humanos na China (e demais paises tiranicos), mas aqui também, se respeitasse o cidadão, creio, pagariamos ainda mais barato do que pagamos hoje.

    • dflopes 14/01/2010, 20:26

      se fosse disponivel, eu compraria produtos "not made in china"

      Eu tenho windows e office original. MEu ps3 só aceita jogos originais e prefiro comprar um produto feito no estado (caso exista) – ou seja, eu já pago mais caro por produtos que poderiam ser de "graça"

      mas sei que sou minoria, pois as pessoas preferem o mais barato. Vide os MP15 e demais xing-lings da vida

  • walter 15/01/2010, 10:54

    ainda não tinha comentado porque apesar de louvável, não dá pra não achar que fizeram isso só por um "don't be evil" (porque se fosse assim, teriam feito antes, sem precisar desses novos motivos).
    fiquei com a pulga atrás da orelha… (mesmo tendo com eles o melhor endereço de e-mail que eu poderia, e sou grato por isso) e isso ajudou a alimentar as desconfianças.

  • Rogermusic 16/01/2010, 05:13

    O que será que vai dar????

  • Japps 21/01/2010, 02:57

    vai dar em uma discussão longa em que o google ameaça sair do país e mostrar o valor da marca deles pra china. bilhões de pessoas vão estar a favor da empresa, aumentando ainda mais o seu valor. é uma outra forma de explorar um mercado. nadando contra a correnteza vc pode encontrar águas mais limpas (que valem mais também).
    Caso a china aceite as propostas do google, google 3 x -1 china.
    Caso não aceitem, google 0 x -1 china
    Provavelmente isso foi mais pra testar qual é o real poder da empresa privada com relação a grandes governos.
    Pelo menos é o que eu acho..

  • Douglas 11/02/2010, 16:55

    Na minha opnião…o governo da China NAO VAI CEDER.

    Pra eles, é bem aquilo: Manda quem pode, obedece quem tem juízo.

    Não gostou? Área. Vaza.

    E eu quero ver o google realmente cumprir a palavra dele e falar "ok, estamos saindo". E, mesmo que cumpra, logo vem um 'google my in china' (como já tem) que copia tudo.