ZTOP+ZUMO

Gogoro Smartscooter: o futuro do transporte individual em megacidades

Apesar de temas como carro sem motorista e carro conectado serem tendências fortes na CES 2015, uma startup de Taiwan chamada Gogoro mostrou seu primeiro produto durante a feira com muito mais cara de “produto que veremos em breve em cidades da Ásia”: uma scooter elétrica com bateria recarregável, a Gogoro Smartscooter.

A Gogoro Smartscooter é uma, bem, scooter projetada para uso em “megacidades” (Taipei? Tóquio? Pequim? Ninguém sabe ainda). A motoca atinge 50km/h em 4,2 segundos e tem velocidade máxima de 95 km/h.

Mas as especificações técnicas não são importantes. O que torna a Gogoro Smartscooter um item necessário para o futuro da mobilidade nas cidades é o fato de ela contar com uma rede metropolitana de recarga de baterias. Em vez de o consumidor ter que carregar sua scooter em casa ou postos de abastecimento (algo comum aos carros elétricos/híbridos), ele compra a Smartscooter e assina uma espécie de “plano de baterias”, que poderão ser trocadas em postos GoStations (que fazem parte de uma rede de infra-estrutura chamada Gogoro Energy Network).

Cada Smartscooter tem entrada para duas baterias, cada uma com autonomia de uso de até 100 km na velocidade de 40 km/h. Como a moto tem conexão NFC/Bluetooth com o smartphone do piloto (iOS ou Android), ao detectar níveis baixos de energia (entre outros itens de manutenção, como freios e demais diagnósticos de sistema), o app “encontra”a GoStation mais próxima para a troca/manutenção da moto.

Além disso, o app Gogoro iQ System consegue armazenar dados como velocidade máxima e distância percorrida para que o piloto analise seus padrões de uso – e com isso otimize o uso das baterias e do seu consumo energético. Segundo a Gogoro, a troca de baterias leva apenas 6 segundos: basta abrir o pequeno porta-trecos embaixo do banco e realizar a mudança.

Nagano comenta: Eu achei genial esse conceito de tanques substituíveis, já que o seu modelo de uso é como se ele fosse movido a garrafa de cerveja nos dias de hoje, ou seja, acabou o precioso combustível, basta parar no boteco mais próximo, pegar os cascos vazios e trocá-los por cheios mediante o pagamento de um pequeno valor monetário.

A tecnologia de baterias da Gogoro foi desenvolvida pela Panasonic, e usa células de íon-lítio para mover a moto. A Gogoro diz que lança o produto ainda em 2015 em “cidades teste”, mas não disse ainda quais nem o preço final da moto/assinatura de baterias. De qualquer modo, é um baita incentivo para o uso de energia limpa dentro das grandes cidades.

[Gogoro]

Mais fotos (clique para ampliar)

gogoro - 01 gogoro - 02 gogoro - 03 gogoro - 04 gogoro - 05 gogoro - 06 gogoro - 07 gogoro - 08 gogoro - 09 gogoro - 10 gogoro - 11 gogoro - 12

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • Sidney Pontes 12/01/2015, 16:52

    Com a administração correta os postos de troca até poderiam ser fator de segurança. Poderia ver a posição do veículo a cada recarga…seria um fator inibidor de roubos,uma preocupação extra aqui no Brasil.

  • PALUDO 12/01/2015, 23:51

    E a solowheel!?? Porque ninguém fala dela????

  • dflopes 15/01/2015, 01:08

    Contrariando o comentário so Sydney Pontes, no Brasil vão conseguir carregar a bateria em casa.
    Essa seria minha duvida, pois dificilmente teríamos a rede de baterias aqui no País. Então poderíamos comprar um pack de 4: usa 2, carrega 2 e alterna.