ZTOP+ZUMO

Gigabyte lança placa-mãe para criadores de conteúdo

Nova Z270X-DESIGNARE é certificada para trabalhar com placas gráficas Nvidia Quadro, memórias DDR4, VR, discos SSDs M.2 e até Intel Optane.

A Gigabyte anunciou nesta semana o seu mais novo modelo de placa-mãe da série 200 batizada de Z270X-DESIGNARE e — como o próprio nome sugere — ela não é exatamente um modelo de linha, muito menos uma placa gamer e sim um modelo específico para criadores de conteúdo, designers gráficos, animadores, editores de vídeo, cientistas de dados e afins:

Sob um certo ponto de vista, a Z270X é uma solução que procura preencher um vácuo que existe entre os PCs de linha mais voltados para uso geral/jogos e as workstations gráficas, cujo principal atrativo nos dias de hoje é a sua compatibilidade/certificação com o maior número de programas gráficos e/ou analíticos voltados para o mercado profissional, combinado com a estabilidade do seu hardware. E como já falamos num post anterior, o fator confiabilidade neste mercado chega a ser até mais importante do que desempenho propriamente dito.

Talvez o único detalhe que diferencie esta placa-mãe de outra para workstations é o fato da Z270X não oferecer suporte para memórias ECC (Error Correcting Code).

Para quem não sabe, ECC é um tipo de memória RAM capaz de autocorrigir erros de single-bit (como a inversão do seu estado lógico de 0 para 1 ou vice-versa) e que, por causa disso, são muito usadas em servidores que rodam aplicações críticas que não podem tolerar erros de dados, em especial nas áreas científicas e financeiras.

Mas para que isso ocorra, é necessário que a CPU também seja compatível com essa tecnologia — neste caso, os processadores Xeon — o que explica a ausência do suporte para ECC nesta placa já que ela foi feita para trabalhar com processadores Intel Core ix de sexta (Skylake) e sétima geração (Kaby Lake).

De fato, a grande sacada desta série de placas-mãe é que ela foi feita para trabalhar com a linha de placas aceleradoras Nvidia Quadro que já são certificadas para trabalhar com mais de uma centena de aplicações profissionais, entre elas o Adobe Creative Cloud, Avid Media Composer, Autodesk Suites, Dassault Systemes, CATIA and SOLIDWORKS, Siemens NX, PTC Creo, etc.

Mas ao contrário do que poderíamos esperar de um sistema profissional sisudo e sem graça, esta placa da Gigabyte não chega a ser tão espalhafatosa como seus modelos para gamers, mas ela também não deixa de ter seus “brilhos” no sentido mais exato da palavra, cujo visual — movido pela tecnologia RGB Fusion — pode mexer com a personalidade da máquina, variando do sóbrio/moderno/elegante até o jovial/irreverente/super divertido.

Fora isso, essa placa possui um curioso acabamento de tom metálico que a a empresa chama de “Silver Alloy Coated”:

Essa placa já conta com o que há de mais moderno/atualizado neste mercado, como o chipset Intel Z270 Express, suporte para memórias DDR4, portas Fast USB 3.1 Gen 2 com conectores USB Tipo C e A, slot PCIe Gen3 x4 U.2 para módulos de até 110mm, chip de som ALC1220 com SNR HD Audio de 120dB + Smart Headphone Amp, porta de rede Gigabit Ethernet da Intel com tecnologia cFosSpeed Internet Accelerator, suporte para as novas memórias Intel Optane, etc.

Ela também já está preparada para trabalhar com a tecnologia VR, mas para isso a empresa recomenda uma configuração mínima.

Tecnologias da casa também estão presentes como o RGB FUSION LED Light Show Design, sistema Smart Fan 5, UEFI DualBIOS e diversos detalhes da sua construção que foram concebidos para facilitar a sua montagem, manutenção e uso no dia a dia. Mais especificações técnicas podem ser conferidas aqui e uma cópia em PDF do manual pode ser baixada aqui.

Por se tratar de um produto muito novo e de nicho, a Gigabyte Brasil nos informou que ainda não existe por enquanto uma previsão de quando ela chega no Brasil.

Para mais informações visite o site da empresa.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.