ZTOP+ZUMO 10 anos!

Gadget zumbi: DataEvolution decTOP

dectop.jpg

Alguns ainda devem se lembrar do PIC (Personal Internet Communicator), uma das primeiras iniciativas de inclusão digital a chegar ao Brasil na forma de um pequeno dispositivo de baixo custo para acesso à  internet. Ele chegou a ser montado pela FIC no Brasil e vendido pela AMD em parceria com a Telefônica aqui em São Paulo e, depois de muitos altos e baixos, o projeto foi cancelado pela fabricante no final de 2006.

Mesmo com a sua ‘morte’ em 2006, não foi a última vez que ouvimos falar desse computador, já que a divisão PIC da AMD foi adquirida pela Data Evolution Corporation (DEC), que reinventou o aparelho como — decTOP— um cliente x86 leve e robusto com suporte para Windows CE e Linux (yay!).

O produto é vendido no site da empresa pela bagatela de US$ 99, com 128 MB de RAM, HD de 10 GB, mouse e teclado, mas sem sistema operacional pré-instalado. E ainda pode-se comprar três pelo preço de dois! (depois do clique, outros gadgets mortos-vivos).


Ainda em tempo:

smithsonian.jpgExistem outros “mortos-vivos” perambulando pelo mercado: a empresa Digital Blue ainda comercializa o Microscópio Eletrônico QX3 com os nomes QX5 e Smithsonian Computer Microscope e a filmadora Digital Movie Creator, produtos desenvolvidos originalmente pela Intel em parceria com a Mattel com a marca Intel Play.

O que mais me impressionou ao pesquisar sobre a história dessa iniciativa é saber que esses produtos não eram engenhocas de terceiros que a Intel só colocava na caixa, e sim o resultado de um cuidadoso trabalho de P&D do pessoal de Santa Clara. (Saiba mais sobre essa jornada no Intel Technology Journal – procure pelo Vol. 5 Issue 4, Nov. 2001, no artigo Making Toys Smart).

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.