Gadget verde do dia: Bloom Energy Server ES-5000

G

O Bloom Energy Server ES-5000 seria ótimo pra ter em casa. Mas como não tenho 800 mil dólares sobrando, deixo a tarefa pro Google, Coca Cola, FedEx, eBay e outras empresas que já usam o caixote de alumínio pra gerar energia limpa usando células de combustível – e não é metanol ou hidrogênio: o combustível aqui é gás natural ou biogás.

Diz a Bloom Energy, que criou a tecnologia e apresentou-a hoje numa coletiva com a presença de tio Schwarzenegger, Larry Page e figurões dos primeiros clientes na sede do eBay, que cada caixa gera 100 kilowatts de energia – na definição deles, o suficiente pra fornecer eletricidade pra 100 casas ou um pequeno escritório. Precisou de mais energia, coloca mais um “servidor lá”. Retorno do investimento? 3 a 5 anos, com redução de emissão de carbono entre 40% e 100%, dependendo do combustível utilizado.

O diferencial da Bloom, ao que dá a entender, é que ela usa uma tecnologia de células de combustível de óxido sólido, mais barata e fácil de produzir (uma animaçãozinha em Flash mostra como funciona). Junte o gás/biogás, água e pronto: energia limpa, com baixíssima emissão de carbono (se for biogás, zero emissão de CO2). Problema: ainda é caro, claro. Nada que alguns anos de mais pesquisa e desenvolvimento não resolvam – e eu possa ter uma dessas em casa (e dizer “tchau, AES Eletropaulo”). Já pensou que legal?

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos