ZTOP+ZUMO

Gadget verde do dia: Bicicleta elétrica Panasonic Gyutto (para um adulto e até dois pimpolhos)

Voltado para aquelas que entre casar ou comprar uma bicicleta decidiu pelas duas, a nova Panasonic Gyutto (BE-ENMM033) permite carregar até duas crianças ao mesmo tempo.

Essas bicicletas da Panasonic não são exatamente mobiletes ou motociclos, já que seu pequeno motor elétrico não serve para impulsionar a bike e sim para dar uma força a mais nas pedaladas. Isso permite que seu condutor possa percorrer distâncias bem maiores com menos esforço, além de ser uma mão na roda (literalmente falando) na hora de subir morros, principalmente para aqueles fora de forma.

Ao contrário dos modelos tradicionais equipados com uma cesta para carregar objetos, neste modelo o desenho do guidão foi bastante modificado para conseguir abrigar uma cadeira de bebê com toda a comodidade e segurança, sendo que o espaço traseiro também pode ser aproveitado para carregar objetos ou compras ou até mesmo uma segunda criança com o uso de uma cadeira opcional. Observe que ela pode ser configurada de diversas maneiras, incluindo um modo com duas cestas para transportar apenas carga.

 

Segundo a Panasonic, como esse modelo prevê o transporte de até três pessoas (sendo que duas delas podem não saber exatamente se equilibrar numa bike) seu projeto foi desenvolvido para proporcionar a maior estabilidade e segurança possível. Entre as soluções adotadas estão o uso de uma roda menor na frente, além de um sistema que trava o guidão quando o freio está sendo usado, impedindo assim que  ele gire para algum lado e provoque um acidente.

Fora isso o sistema de tração da bicicleta foi reforçado e pode operar de três modos: Totalmente automático, Potência (que dá mais força nas pedaladas) e Eco (que aplica menos força economizando assim energia da sua bateria de íons de lítio de 8 Ah). Sua autonomia é estimada de 36 km.

O preço sugerido da Gyutto é de aproximadamente 132 mil ienes (~R$ 2.640) e está disponível em diversas cores. A empresa também comercializa um modelo menor — a Gyutto Mini (BE-ENM633) — curiosamente pelo mesmo preço. A cadeirinha adicional sai por 14.800 ienes (~ R$ 296). Mais informações aqui.

Momento Cultural Ztop:

Durante nossa viagem ao Japão em 2010 tive a oportunidade de ver a primeira bicleta elétrica da Panasonic exposta no seu museu em Osaka:

lançada em 1980 pela bagatela de 78.000 ienes a Electric Cycle foi bolada pelo próprio fundador da empresa — Konosuke Matsushita — que teve sua própria idéia de bicicleta elétrica e, aos 83 anos ele mesmo deu uma voltinha no protótipo e gostou muito do resultado já que ela era fácil de ser conduzida mesmo por pessoas idosas. Equipado com um câmbio de três marchas, acelerador manual(?) e um grande farol dianteiro, podemos ver que seu desenho básico não mudou muito nesses últimos 30 anos.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • sidney 14/05/2011, 16:22

    similar nacional será que ia dar certo? afinal a falta de $$ podia dar uso a um transporte barato,mas nosso transito caótico não.
    veja o caso do funcionário do banco central que atropelou 20 ciclistas durante uma passeata….

  • Ligeirinho 2.0 14/05/2011, 16:33

    Interessante notar que existem no Brasil bicicletas com cadeiras infantis. Adaptadas, lógico.

    Se não fosse o fato das metrópoles brasileiras serem adequadas as bicicletas, poderíamos ver mais destas por estas bandas 🙂

  • Jader 14/05/2011, 18:36

    Uma dúvida: Aqui no Burajiru, para andar com essas bocivletas (semi)motorizadas é necessário CNH? Eu pergunto porque seu sei que aquelas que andam sozinhas e chegam a 30Km/h, desde 2009-se não me angano-, são consideradas cilomotores, como as motos de 50 cm3, mas essas aí não andam sozinhas.

    • mnagano 14/05/2011, 19:29

      Acho que não precisa de carta, já que como explicamos no texto, a idéia por trás dessas bikes é que as pessoas consigam cobrir maiores distâncias sem se cansar muito e não correr com elas.

      Adoraria ver uma dessas por aqui, mas mesmo no Japão são consideradas caras pra dedéu.

  • Thalisson 14/05/2011, 23:20

    Eu vi uma dessas bicicletas elétricas passando em frente de casa (Manaus), o cara nem pedalava subindo a ladeira! E ainda tinha os sinais luminosos.

  • dflopes 15/05/2011, 11:09

    Já tem a versão tupiniquim.

    O pai geralmente leva duas crianças na frente – sentadas sobre um papelão pra não doer a retaguarda. uma versão
    Mais as compras na garupa.
    <img src="http://1.bp.blogspot.com/_8dkUctKOY80/TBa7P8StVVI/AAAAAAAABe0/LvOTXx8TwBQ/s1600/b.jpg"&gt;

    E tem uma versão nacional – não lembro da marca – que vende bikes por R$2K e motos, R$3K, ambas elétricas…

    • mnagano 15/05/2011, 12:41

      Yep, essas bicicletas de carga são comuns aqui em sampa. Vejo muitas delas na região central transportando engradados de refrigerante ou cerveja para aqueles bares e lanchonetes que ficam nos calçadões, local onde os caminhões de entrega não chegam.

      Com um bagageiro desse tamanho, dá até pra fixar um banco de fusca na frente e levar a nona pra passear.