ZTOP+ZUMO

Gadget do dia: Ricoh GXR

GRX_Intro_small

A Ricoh pode nem ser a primeira marca de câmera na cabeça dos fotógrafos, mas na sua história ela sempre se destacou pelos seus desenhos criativos e totalmente fora da caixa (como a Mirai), . Este é o caso da nova câmera Ricoh GXR, onde a lente e o sensor de imagem formam um único conjunto que se encaixa no corpo da câmera como um módulo intercambiável.

(Como é que ninguém pensou nisso antes?)

GRX_system_2

A grande sacada desse sistema é que ela permite a melhor combinação possível entre a objetiva, o sensor de imagem (que pode variar de resolução e/ou tecnologia) e outros recursos extras como zoom motorizado ou mecanismo estabilizador de imagem. Assim é possível chegar numa solução bastante eficiente e compacta se comparado com as DSLR convencionais. Além disso, como a câmara do sensor não fica exposta durante a troca da lente, não existe a possibilidade de entrar poeira no sensor.  De minha parte, também acho que essa solução também pode até dar uma sobrevida ao corpo da câmera, já que como o sensor de imagem fica na objetiva, ela não ficaria “obsoleta” a medida que o número de megapixels cresce no mercado.

O corpo da GRX é moldado em magnésio com acabamento em preto fosco e vem equipado com tela LCD de 3″, tem suporte para RAW, JPEG e Motion JPEG, possui saída USB e HDMI e funciona com uma bateria recarregável de de 1.700 mAh. Ele deve chegar ao mercado japonês no início de dezembro e o preço sugerido de 50.000 ienes (~ 961 reais).

Inicialmente a Ricoh irá oferecer dois módulos de lente para a GXR a GR LENS A12 50mm F2.5 MACRO com sensor APS-C CMOS de 12,3 megapixels (75.000 ienes ~ 1.441 reais) e a zoom RICOH LENS S10 24-72mm F2.5-4.4 equipada com sensor CCD de 10 megapixels e estabilizador de imagem integrado (50.000 ienes ~ 961 reais).

E como já está virando moda no mercado, a empresa também oferece um pequeno visor eletrônico VF-2 que se comporta como um visor óptico de DSLR.

GRX_Lens

Mais informações aqui. Também existe este hotsite que permite ver o sistema em todo o seu esplendor.

GRX_visor

(e cá entre nós, adorei essa tampinha de lente LC-2 que se abre como pétalas de flor permitindo tirar fotos sem ter que removê-la)

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • dflopes 17/11/2009, 09:23

    idéia fantástica. Apesar de conhecer a Ricoh apenas em maquinas copiadoras.

    E idéia de vir ao Brasil? Se mantivesse o bom preço, vc teria um DSL por um bom preço.

    Uma Sony H10 está 1.600 o.0

  • Mário Nagano 17/11/2009, 19:57

    Oi David,

    Até onde seu sei, a divisão de câmeras da Ricoh não está presente como empresa no Brasil. Mesmo suas impressoras são comercializadas pela Simpress, uma distribuidora local especializada em soluções corporativas.

    [ ]s

    M.

  • Mario Amaya 23/11/2009, 14:04

    A corrida dos megapixels entre as câmeras amadoras já acabou, nos últimos dois anos estabilizou-se em 10-12 mpx. O público percebeu que não adianta forçar além disso com a tecnologia atual.
    Outras fronteiras estão sendo exploradas no mundo das compactas: superzooms, estabilização de imagem dupla (óptica e eletrônica), otimização de retratos (reconhecimento de rosto, smile shutter, beauty mode), vídeo com qualidade de filmadora (full HD) e novos desenhos de sensores para melhorar as fotos em ISO alto.
    A Ricoh não é exatamente uma câmera amadora e por isso suas preocupações de design são totalmente diferentes.