Gadget do dia: raquete para matar mosquitos

G

a rede da raquete

Se você vai comprar um Wii Fit pra fazer aquele seu sobrinho (ou irmão, marido, cunhado e afins) emagrecer um pouquinho no verão, pense de novo. Existe algo muito mais barato que vai fazer o gorducho dentro de você se mexer, e sem sair de casa: contemple  a incrível raquete de matar mosquito recarregável.

a raquete propriamente dita

Seu funcionamento é simples e básico: carregue o equipamento na tomada (a base vem com um adaptador – nada de padrão brasileiro: dois plugues mesmo que saem do braço da raquete). Não entendi se é para carregar inicialmente por quatro ou oito horas (a embalagem, escrita no melhor estilo Engrish, traz as duas informações).

Ative a raquete e, para praticar a caça ao mosquito, basta pressionar o botão grande no seu braço. Não seja besta de colocar o dedinho na rede – o estalo que a raquete faz quando encontra um ser alado (já testei em mosquitos e aquelas mosquinhas tontas de banana) é impressionante, um “plec” que rende instantes de prazer contra aquele safado que chupou seu sangue ou simplesmente está ali de bobeira sobre a pia da cozinha. Deve funcionar em mariposas também, mas acredito que a sujeira seja maior – as mosquinhas de banana se desintegraram no ar.

Quanto custa? Pagamos R$ 10 com desconto na região da 25 de Março, em São Paulo (muitos obrigados à amiga designer Patricia, que vai quase toda semana para lá). Diz a lenda que lojas de bairro cobram bem mais caro (vimos por R$ 40 num supermercado). Marca? Desconhecida. Garantia: idem. Se durar o verão inteiro, está ótimo. Vale lembrar que a raquete, apesar de fazer você se mexer, não é um brinquedo.

Nagano comenta: Nah… isso é brinquedo de criança! Aqui na Zumo-caverna, se uma dessas pestinhas voadoras (e algumas terrestres) ficarem de bobeira na minha frente elas ARDEM NO FOGO DO INFERNO e isso não é figura de linguagem: eu pego elas com meu bom e velho maçarico a gás Yanes com acendedor automático:

macarico

Desde criança eu sempre quis ter um desses depois que vi pela primeira vez este episódio do Jonny Quest. Minha grande decepção foi descobrir que sua chama não vai tão longe o que invibializa o seu uso para combater monstros marinhos.

Update 18h30: atendendo a pedidos, toquei a grade metálica do meio. Não dá choque (é como colocar o dedo num acendedor de fogão), mas o estalo assusta. Valeu a carga de adrenalina da tarde.

Mais fotos do gadget do verão:

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos