ZTOP+ZUMO

Gadget do dia: Olympus Pen E-P5

Sucessora da E-P3, a nova Pen E-P5 incorpora a maioria dos recursos da OM-D e algumas idéias novas como disparador “mecânico” e  Wi-Fi embutido.

Desde o lançamento da Olympus OM-D E-M5 em 2012, a ex-rainha da cocada preta — a Olympus Pen E-P3 — perdeu muito do seu charme por ainda usar um sensor de 12 MP (já considerado antiquado na época do seu lançamento em 2011), enquanto que a OM-D trazia consigo um novo sensor de 16 MP e outras inovações tecnológicas realmente interessantes.

Assim, a chegada da E-P5 era um lançamento bastante esperado e suas melhorias no geral estão dentro das nossas expectativas.

Olympus_EP5_front

Disponível em três cores (prata, preto e branco), a E-P5 poderia até ser descrita vagamente como uma OM-D sem visor EVF, já que ela utiliza o mesmo sensor de 16 MP, mesma sensibilidade ISO e sistema de estabilização de imagem no corpo de 5 eixos. Sua tela OLED de 3″ também sensível a toque é articulada e ela agora possui um dial dianteiro e outro traseiro para ajustes contra dois traseiros das E-Px. A bateria (BLN-1) também é a mesma usda na E-M5, assim como sua porta de acessórios AP2.

Olympus_EP5_back

Mas como era de se esperar, a fabricante aproveita essas oportunidades para melhorar as especificações de alguns itens do seu hardware já existente e implementar novas tecnologias. Por exemplo, sua tela de 3″ tem resolução melhor (1.036.800 pixels) e junto com a E-P5 a Olympus está lançando um novo visor eletrônico VF-4 que incorpora sensor de aproximação do olho e um novo painel LCD de 2,36 MP. A boa notícia é que os visores mais antigos como o VF-2 e VF-3 também podem ser usados nessa câmera.

Olympus_EP5_back_EVF

Tecnologicamente falando, as grandes novidades da E-P5 são a incorporação de um disparador “mecânico” que permite bater fotos a velocidades de até 1/8000 s (contra 1/4000 da E-M5) e conectividade Wi-Fi para transferir imagens diretamente para o PC, tablet ou smartphone. Fora isso o usuário pode ler (ou mais exatamente fotografar) códigos QR gerado por uma App de tablet/smartphone e usar essa info (ssid, senha etc.) para se conectar com a mesma.

Ai pode surgir a dúvida… Vale a pena comprar a E-M5 ou a E-P5? A E-P5 tem um hardware mais atualizado, possui um flash embutido “pronto para uso” e seria mais fácil de transportar. Já a E-M5 é uma plataforma mais flexível, aceitando por exemplo um grip vertical + bateria externa, é resistente a respingos d’água (a E-P5 não é) e já vem com visor EVF embutido (e esses visores VF-x não são baratos, diga-se de passagem). Assim não acreito que e a E-P5 canibalize o mercado da E-M5 e sim que se posicione como uma opção menor e mais jeitosa — como a Lumix GX-1 está para a Lumix GF-5 — em especial para o público feminino.

O preço sugerido da E-P5 é de US$ 999 (só o corpo) ou US$ 1.499 no kit do corpo + lente 17 mm/f1.8 + visor VF-4. Mais informações aqui.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.