ZTOP+ZUMO

Gadget do dia: Happy Hacking Keyboard Professional 2

Criado originalmente para aplicações embedded/comerciais, o Happy Hacking Keyboard é um teclado compacto de alta qualidade que caiu no gosto dos entusiastas; para eles é um símbolo de status e objeto de desejo comparável ao legendário IBM Model M.

Criado pela PFU (divisão de imaging e sistemas embedded da Fujitsu), o Happy Hacking Keyboard é um teclado compacto de apenas 60~65 teclas e 30 cm de largura que mantém as mesmas funcionalidades de um teclado padrão de 104 teclas. Uma das suas sacadas é que, devido ao seu pequeno tamanho, faz com que as mãos do usuário não se movimentem muito sobre o teclado, agilizando assim o seu uso.

Fora isso, graças a mudança de algumas teclas no seu layout (como o reposicionamento do [Control] no lugar do [Caps Lock]) e o conforto das suas teclas, ele é considerado excelente para digitadores habilidosos que passam horas na frente do computador.

Happy_Hacking_keyboard_Pro_top

Ele mede aproximadamente 29,4 x 4,0 x 11,0 cm (LxAxP) e 530 gramas de peso. Ele se comunica com o desktop por meio de um cabo USB destacável e já incluso.

Happy_Hacking_keyboard_Pro_ladoa

De fato, para os usuários hardcore que nem mais olham para o teclado quando digitam, a empresa até oferece um modelo específico sem identificação de teclas.

Happy_Hacking_keyboard_Pro_noprint

Fora isso, os novos modelos também contam com um pequeno hub USB de duas portas, e um dip switch que permite reconfigurar o teclado para as plataformas PC ou Mac. Nesse último caso ainda é necessário a instalação de um driver que pode ser baixado no site da empresa.

Happy_Hacking_keyboard_Pro_back

Um dos segredos para o seu conforto de uso, é o desenho das suas teclas criadas pela japonesa Topre que utiliza um mecanismo semelhante ao tradicional sistema de bolha, porém equipado com uma mola interna o que lhe garante uma resposta táctil e sonora mais positiva e uma vida útil de aproximadamente 10 milhões de toques. Segundo a empresa, o curso da tecla é de até 3,8 mm mas ela já responde a partir de ~ 2 mm.  É necessário aplicar uma pressão de menos de 50 gramas de força nas teclas proporcionando assim um toque bem leve.

Happy_Hacking_keyboard_topre_key

Esse desempenho por sinal, é semelhante ao do sistema Buckling Spring do teclado IBM Model M, cujo curso da tecla é de ~2,5 a 3,5 mm a pressão necessária é de 30~40 gramas de força.

buckling_spring

E além do branco com detalhes em cinza, eles também pode ser encontrados na cor preta:

Happy_Hacking_keyboard_black2

O produto está disponível em diversos modelos sendo o mais icônico deles a chamada linha Professional — como o Happy Hacking Keyboard Professional 2 — cujos preço nos EUA pode superar a casa dos US$ 270 até US$ 400 na EliteKeyobards sua distribuidora oficial nos EUA. Ele também pode ser encontrado no Amazon.com na faixa dos US$ 300.

Para aqueles que acham esse preço meio alto, a PFU também comercializa uma versão Lite (com teclado de bolha, sem mola) na faixa dos US$ 100.

Happy_Hacking_keyboard_black3

Curiosamente, essa empresa também é dona do recorde mundial do teclado mais caro do mundo com a série limitada Happy Hacking Keyboard Professional HG JAPAN cujas teclas foram pintadas com laca Urushi salpicada com pó de ouro.

Happy_Hacking_keyboard_Urushi

Preço sugerido na época do seu lançamento (2006) — 500 mil ienes (~R$ 10.710).

Mais informações no site do fabricante.

Esse post foi originalmente escrito e publicado por este Editor de Testes durante seu exílio no ZUMO.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.