ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Gadget do dia: Altair 8800 Clone Computer

Cópia fiel e totalmente funcional do primeiro computador pessoal do mundo chega ao mercado pelo mesmo preço do original de 1976!

Para quem conhece um pouco (ou até muito) sobre a história do PC já deve ter ouvido falar do MITS Altair 8800 que é considerado o primeiro “computador pessoal” do mundo.

Ele foi criado em 1975 por ED Roberts, um ex-oficial da força aérea americana que na época era dono da MITS uma fabricante de calculadoras a beira da falência e que viu no seu novo produto a esperança de salvar a empresa. Reza a lenda que ele esperava vender umas 800 unidades após um ano, mas passado um mês do seu lançamento a MITS  estava entregando 250 unidades por dia! De fato, alguns malucos clientes chegaram a acampar do lado de fora da fábrica para adquirir a sua unidade.

Segundo Bob Xavier Cringely — autor do livro Impérios Acidentais — Ed criou o Altair 8800 porque ele queria ter um computador para brincar. E isso não é bravata já que, na época, a única maneira de se ter um computador para chamar de seu era mesmo projetar um e construí-lo em casa. Quem também fez isso foi Steve Wozniak para impressionar os amigos do Homebrew Computer Club e foi convencido por Steve “vamos vender isso!” Jobs a comercializá-lo com o nome de Apple I.

De fato, a versão mais simples e acessível do Altair era vendido na forma de kit para montar pela bagatela de US$ 439 (ou US$ 1.800 nos dias de hoje). Mas para aqueles sem muita habilidade com o ferro de solda, ele também era vendido montado por US$ 621 (ou US$ 2.548 nos dias de hoje).

Altair_8800_clone_front

Interessante observar que o Altair nunca existiria se não fosse pela invenção do microprocessador de uso genérico no início dos anos 1970 — neste caso o Intel 8080. E por que o pessoal de Santa Clara nunca pensou em fabricar e vender seu próprio “Altair”? Acredito que a resposta para isso esteja no fato que se analisarmos friamente, o Altair não era algo lá muito útil,  já que ele não fazia muita coisa além de acender algumas luzinhas no painel como podemos ver no vídeo abaixo:

Aqui, um exemplo de como programar um joguinho nele:

O interessante é que toda essa aparente inutilidade não desanimava seus usuários já que, o que realmente os atraia/fascinava/entusiasmava nessa plataforma não era exatamente o que ele fazia “in natura” e sim o potencial do que ele poderia fazer com a devida implementação de hardware e/ou software. Algo parecido com o Arduíno ou o Raspberry Pi nos dias de hoje.

Isso porque, com um sistema de slots disponível no seu interior (o chamado Altair Bus), qualquer um poderia projetar, fabricar e vender qualquer tipo de placa de expansão para espetar no Altair (e no seu primeiro clone, o IMSAI 8800), criando assim todo um novo mercado de produtos, serviços e acessórios, o que inclui até um interpretador BASIC escrito por Paul Allen e Bill Gates, dois caras que saíram da faculdade para fundar uma empresa chamada Micro-Soft.

Altair_8800_Inside_back

Mas voltando ao que interessa, o Altair 8800 Clone Computer foi criado por Mike Douglas que traz uma abordagem bem diferente de outros clones ou réplicas já que, ao invés de simplesmente copiar o hardware original, sua versão adota tecnologia moderna e um gabinete com cara de antigo para reproduzir o “look-and-feel” de um equipamento de quase quatro décadas atrás.

De fato, ao abrir seu equipamento podemos ver que ele está cheio de nada!

Altair_8800_clone_Inside_front

Mas para não dizer que esse espaço é desperdiçado, o fabricante fez alguns furos na sua base para fixar uma placa-mãe micro-ATX e até um disk drive.

Altair_8800_clone_Inside_back

Toda a parafernália eletrônica do Altair 8800 original foi espremida num único chip microcontrolador que emula o processador 8080A rodando a 2 MHz, equipado com 64 KB de RAM, 16 KB de ROM e as interfaces de I/O para impressora, fita cassete e leitor de disquete. Ele é soldado num canto da placa frontal, junto com os LEDs e as chavinhas de controle. Sob esse ponto de vista, esse equipamento não seria exatamente um “clone” e sim um emulador de hardware bastante convincente.

pcb

Segundo a fabricante, a proposta deste equipamento não é só de servir de enfeite para a sala e sim de colocar no mercado um equipamento moderno e totalmente funcional que oferece a mesma experiência de uso do Altair original. De fato a cópia é tão fiel que a empresa afirma que o seu clone poderia ser usado em museus para substituir um original em demonstrações públicas sem correr o risco de danificar um hardware tão precioso e antigo. Fora disso, outros museus que nunca tiveram condições ou mesmo a oportunidade de ter um Altair original, agora pode ter uma reprodução por um preço mais camarada.

Outro nicho de mercado que poderia se interessar por esse produto é o de educação, já que além da sua utilidade nas aulas de história do PC, o Altair 8800 Clone Computer pode ser um interessante instrumento de laboratório para ensinar conceitos básicos de computação de baixo nível, como os sistemas binário, octal e hexadecimal, linguagem de máquina, funcionamento da CPU, ALU, registradores, etc. — e tudo isso literalmente botando a mão na massa, movimentando chavinhas e interpretando luzinhas no painel e não por meio de diagramas no quadro negro ou emuladores na tela do computador.

Curiosamente, o novo Altair está sendo vendido pelo mesmo preço do original de 1976: US$ 621 tanto na forma de kit para montar quanto montado!

Mais informações aqui.

Ainda em tempo:

Apesar do Altair 8800 ser considerado o primeiro computador pessoal do mundo, há quem diga que esse título deveria ir para o Kenbak-1, criado por John V. Blankenbaker que era oferecido nas páginas da revista Scientific American desde em 1971 — por sinal o mesmo ano em que a Intel introduziu o seu chip 4004.  Assim, o Kenbak-1 não usava microprocessador e seu circuito lógico foi construído apenas com chips TTL (uia!) e tudo isso poderia ser seu pela bagatela de US$ 750 (ou US$ 4.324 nos dias de hoje).

O interessante é que segundo nota publicada no Hack-a-Day uma versão moderna do Kenbak-1 foi criada em 2011 usando a plataforma Arduino — o Kenbak-duino:

Kenbak-duino

Um vídeo dele funcionando pode ser visto aqui.

Aaah, bons tempos aqueles…

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.