ZTOP+ZUMO

Gadget do dia: visor Olympus Dot Sight EE-1

Novo acessório para câmeras DSLM incorpora uma mira óptica do mesmo tipo usado nas armas de assalto.

A Olympus pode até nem ser a líder no mercado de fotografia digital, mas ninguém pode negar que eles são uma empresa que nunca nos deixa de surpreender quando o assunto é inovação tecnológica ou o lançamento de algum novo recurso bacana e/ou traquitana inusitada que você nunca pensou que precisava ter.

Foi assim com suas tampas com lente embutida BCL-0980 e BCL-1580, o módulo Bluetooth PENPAL PP-1, o macro iluminador de LED MAL-1 e agora o Dot Sight EE-1, uma legítima mira eletrônica “Red Dot” do mesmo tipo usado em armas de assalto.

Olypus_EE1_back_open+closed

Segundo a Olympus, esse acessório descrito como um “assistente de enquadramento” (= framing assisant) é voltado para facilitar o enquadramento de imagens quando usamos uma super-teleobjetiva.

Olypus_EE1_montado

Como assim? Na hora de usar uma super-tele, é comum o fotógrafo perder preciosos segundos “caçando” o detalhe do seu interesse pelo visor da câmera (que, por sinal, chacoalha pra burro!) o que pode ser algo desastroso no caso de fotos de ação, esportes ou vida selvagem. Assim, o Dot Sight EE-1 funciona como um visor mais amplo, o que ajuda o usuário a mirar e até acompanhar o assunto desejado com mais facilidade, ou seja, basta alinhar o mesmo na sua retícula iluminada, ajustar o foco e metralhar capturar a imagem.

O curioso é que esse recurso já existe desde o início do ano passado, época do lançamento da Olympus Stylus SP100-EE que embutiu esse visor auxiliar numa posição estratégica sobre o visor eletrônico, aproveitando assim um espaço que costuma ficar vago entre ele e o flash embutido — simples e genial!

Olypus_SP100EE2a

 

Olypus_SP100EE3

Aqui dois vídeos da época que demonstram esse recurso:

O Dot Sight EE-1 foi anunciado junto com a nova OM-D EM-5 Mark II mas, segundo o fabricante, ele pode ser usado em qualquer câmera que tenha uma sapata de flash convencional inclusive de outras marcas (UIA!) Isso porque os ajustes de alinhamento são feitos diretamente no acessório e sua fonte de luz é alimentada por uma bateria interna, não dependendo assim da energia da câmera, ao contrário do novo flash FL-LM3.

Olypus_EE1_back_mounted

Na opinião deste ZTOP, esse acessório pode ser meio trambolho e até dispensável se você não usa muito teleobjetivas. Mas cá entre nós… Que ele é bacana e pelo menos serve para impressionar as garotas e os amigos nerds, ah isso sim!

O preço sugerido do Dot Sight EE-1 é de US$ 130 e já está em pré-venda no site da Olympus e no Amazon.com. Mas quem não quiser esperar já existem modelos alternativos/gernéricos (aqui e aqui) distribuídos pela ANS Optical.

Ainda em tempo:

No mesmo dia do anúncio da OM-D EM-5 Mark II, a Olympus também revelou o primeiro produto baseado na sua nova iniciativa OPC (Open Platform Community) batizada de Olympus AIR A01:

Olympus_Air_01

Para quem nunca foi apresentado, o OPC nada mais é que uma plataforma aberta de hardware/exploração baseada na sua tecnologia Micro Four thirds voltada para a comunidade “open source” de modo que eles possam criar novos produtos, projetos e experiências fotográficas totalmente inovadoras que todos podem tirar proveito (inclusive a Olympus que, desse modo, economiza uma grana preta em P&D) >;-)

opc_project4

O Air A01 é uma “câmera lente” que lembra muito a QX10/QX100 da Sony só que neste caso ao invés de uma zoom fixa, a A01 conta com uma baioneta Micro Four Thirds, sensor de 16 MP, disparador eletrônico, slot para cartão Micro SDHC/SDXC, bateria interna de íons de lítio com autonomia para 320 fotos (padrão CIPA) e capacidade de capturar imagens de até 4.608 x 3.456 pixels em JPEG ou RAW ou vídeos em Full HD a 30 qps. E assim como a QX10/100 ela se conecta com o smartphone ou tablet que controla todas as funções do mesmo.

Olypus_AIR_A01

A câmera (sem a lente) mede aproximadamente 5,7 x 5,7 x 4,4 cm (LxAxP), pesa 147 gramas e se conecta com o mundo exterior via Wi-Fi 802.11 b/g/n, bluetooth smart e USB micro 2.0. A previsão é que ele chegue no mercado japonês no início de março de 2015 pela bagatela de 33.800 ienes (~R$ 806).

Mais informações no site da iniciativa.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Adriano De Lima 16/02/2015, 14:29

    …..serve pra impressionar garotas e amigo nerds…….
    Estou jogando dinheiro na tela e nada acontece!

  • Alexandre Gorges 18/02/2015, 08:19

    tenho minhas dúvidas, se é muda tanto assim na pratica.

    • Mario Nagano 18/02/2015, 15:27

      Se meu testemunho pessoal vale alguma coisa: SIM faz diferença.

      Eu tenho uma lente de espelho Vivitar de “Solid Cat” 800mm (http://goo.gl/51MeuS) — que numa micro four thirds vira uma 1.600mm — e a coisa mais chata é ficar procurando a o tema a ser enquadrado.

      Observe porém que a idéia desse acessório não é de substituir o visor e sim de ajudar a apontar a lente da direção do tema, sendo que os ajustes finos (enquadramento, foco, etc.) tem que ser feitos pelo visor da câmera.

      De fato, sua funcionalidade é muito parecida com a de uma luneta buscadora ou de um visor Telrad de telescópios astronômicos (http://goo.gl/zLuQky).

  • dflopes 19/02/2015, 19:18

    mesmo com um simples zoom de 10x no Kzoom, eu já perco as coisas que vou fotografar.
    E já imagino usando na minha Nikon com a Lente 70-300mm