ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Gadget do dia: Câmera Fujifilm X-T1

Nova câmera DSLM da Fuji incorpora visor EVF de altíssima definição, corpo selado e recursos bem mais atraentes para fotógrafos saudosistas, entusiastas e até profissionais do ramo.

Quando a gente achava que a Fuji não tinha mais o que inventar com sua linha X, eis que o pessoal de Akasaka tira da cartola uma nova câmera sob medida para atender à um novo público que, não era necessariamente atendido e/ou atraído pelos outros modelos.

Neste caso, usuários avançados, entusiastas e até profissionais de diversas áreas como engenheiros e pesquisadores de campo, jornalistas e — é claro, fotógrafos — que passam bastante tempo ao ar livre e que precisam de um equipamento mais robusto, versátil e capaz de resistir as intempéries do tempo.

Estamos falando da nova Fujifilm X-T1.

Pausa para um momento Zumo de reflexão:

Na verdade, nós aqui do Ztop já desconfiávamos tínhamos certeza que, em algum momento, a Fuji iria colocar no mercado uma uma câmera desse tipo desde o ano passado quando ouvimos rumores de que a Fuji teria lentes weatherproof no seu catálogo, e isso numa época em que nenhum corpo da série X tinha tal recurso.

Some-se a isso o fato de já temos visto algo parecido no passado quando a M. ZUIKO DIGITAL ED 12-50mm F3.5-6.3 EZ  (também uma weatherproof) foi lançada meses antes do lançamento da OM-D EM-5, pudemos ver  um padrão que parecia se repetir.

Mas cá entre nós, temos que reconhecer que nossa previsão não foi 100% precisa, já que nosso palpite era que esse recurso seria implementado na sucessora da X-Pro1 e não numa nova câmera. Mesmo assim, a chegada da X-T1 não elimina essa possibilidade.

Fuji_XT1_FrontLeft

Mas voltando ao que interessa, a X-T1 é uma câmera DSLM com visor EFV integrado na forma de um visor prismático e que mede aproximadamente 12,9 x 9,0 x 4,7 cm (LxAxP — só o corpo) ou seja, ligeiramente menor que a X-Pro1 e um pouco maior que a X-E1/E2. Esteticamente falando, a X-T1 lembra muito as câmeras SLR dos anos 1980~90 (como a Contax RX) com seus diversos controles externos, ou mais exatamente cinco dials (sendo dois um em cima do outro + botão de trava)…

Fuji_XT1_top

… dois discos de navagação/seleção e seis botões reconfiguráveis…

Fuji_XT1_dials

… o que permite que o usuário tenha principais controles da câmera sempre no alcance dos dedos.

Fuji_XT1_na_mao

Ele vem equipado com um sensor APS-C X-Trans CMOS II de 16,3 MPprocessador EXR II que, segundo a empresa proporciona um tempo de resposta bastante veloz, sendo capaz de ligar e ficar pronto para uso em 0,5 segundo, tempo de foco de até 0,08 segundos, time lag (intervalo entre pressionar o botão de disparo e a foto ser batida) de 0,05 segundos e 0,5 segundo para disparar a segunda foto, o que permite que a mesma capture até 8 fotos por segundo no modo contínuo. Fora isso, ela ainda conta com o tradicional filtro de cores que simulam os diversos filmes da empresa (Provia, Velvia, Astia, etc.), filtros de efeitos, sweep panorama e intervalômetro (time-lapse) para até 999 fotos com intervalo de 1 até 24 horas entre cada imagem.

Fuji_XT1_back

Como era de se esperar e/ou desejar de uma câmera da série X, a X-T1 é fabricada no Japão, sendo que seu chassis é feito de liga de magnésio e seus botões de controle são de alumínio usinado.Com  relação a sua resistência ao mau tempo, a Fuji diz que a X-T1 resiste a entrada de pó, respingos d’água (ela não é submersível) e baixas temperaturas de até -10°.

Fuji_XT1_metal

Fora isso a X-T1 vem equipado com uma tela articulada de 3″ com resolução de 1.040.000 pontos e como medida adicional de proteção, ela também é protegida por uma camada de vidro temperado. E antes que você pense em derrubar essa câmera no chão de propósito para impressionar as garotas e seus amigos nerds, esclarecemos que essa câmera pode ser à prova de mau tempo, mas não de impactos. Para essas façanhas, a fuji recomenda a Finepix XP.

Fuji_XT1_back2

Já o seu visor EVF é do tipo OLED de 0,5″, resolução de 2.360.000 pontos, fator de ampliação de 0,77x e taxa de atualização de 1/200 segundos o que é um valor notável se lembrarmos que um monitor LCD de PC trabalha com uma taxa de apenas 1/60~75 segundos.

Fuji_XT1_EVF

Esse visor permite trabalhar em quatro diferentes modos, a saber: O chamado modo “FULL” que tira o máximo proveito da tela para visualizar a cena a ser fotografada:

Fuji_XT1_FullMode

Já o modo “NORMAL” incorpora mais informações na tela, proporcionando assim uma visão mais ampla do processo de captura da imagem:

Fuji_XT1_NormalMode

Interessante observar em ambos os casos, graças a presença de um sensor de orientação, a câmera é capaz de ajustar as informações da tela mesmo quando a imagem estiver na vertical:

Fuji_XT1_PortraitMode

Porém o que chama a atenção é o chamado modo “DUAL” que divide a imagem em suas áreas que mostram a cena que está sendo enquadrada e uma área de auxílio ao foco manual que utiliza a tecnologia de bipartido digital (Digital Split-image) algo que vimos pela primeira vez na X100s e que é mostrado na forma de um retângulo monocromático cuja imagem fica recortada por cinco faixas ou segmentos que ficam desalinhados quando a imagem está fora desfocada, mas a medida que ajustamos o foco, a tiras de imagem no quadrado cinza começam a se alinhar e quando ele fica perfeita a imagem está em foco:

Outro recurso semelhante mas que ocupa toda a tela é o modo Peak Focus onde nas áreas que entram em foco aparecem contornos numa cor definida pelo usuário, o que pode parecer meio estranho à primeira vista, mas que fornece informações bem precisas do que está ou não em foco.

Outra grande novidade da X-T1 é que ela é uma das primeiras câmeras do mercado a vir com um slot para cartão SD que além de aceitar os tradicionais formatos SD, SDHC e SDXC UH1 ela também aceita o novíssimo cartão SDXC UHS-II

Fuji_XT1_SDXC

… cuja velocidade de gravação no modo RAW pode chegar ao dobro dos cartões convencionais, o que pode ser um recurso bem vindo para fotos de ação/gravação de vídeos:

SDXC_UHS-II_cards SDXC_UHS-II

E é claro que a X-T1 não deixaria de contar com uma interface Wi-Fi o que facilita a transmissão das imagens da câmera para o smartphone/tablet e daí para a sua rede social favorita.

Fuji_XT1_RemoteWiFi

Fora isso, a Fuji dispõe de uma app que transforma o seu dispositivo móvel em um controle remoto da câmera:

Fuji_XT1_RemoteWiFi2

Entre os acessórios já anunciados para a X-T1 está o pequeno flash EF-X8 (número guia 11 em ISO 200) que já acompanha o produto o que é uma boa notícia já que essa câmera não dispõe de flash embutido.

Fuji_XT1_flash_FX8Uma das sacadas deste flash é que ele não utiliza pilhas de modo que sua fonte de energia é a própria câmera. Para isso a Fuji fez uma ligeira modificação na sua sapata de flash, adicionando um quinto contato elétrico o que permite alimentar o novo flash ao mesmo tempo que mantém sua retro-compatibilidade com os outros flashes da empresa. Isso também significa que a EF-X8 pode não ser compatível com os modelos lançados antes da X-T1.

Fuji_XT1_sapata

Já o Hand Grip MHG-XT é uma grip adicional que aumenta sensivelmente a empunhadura da câmera, melhorando assim a sua pegada.

Fuji_XT1_overall

Outro acessório mais interessante é o Vertical battery grip VG-XT1 que adiciona uma empunhadura adicional que quando montada na sua base incorpora uma segunda bateria ao sistema, melhorando assim a autonomia da câmera. Fora isso ela permite segurar a câmera na vertical com acesso aos botões de disparo, os controles de navegação/seleção frontal e traseiro, além dos botões de AE-L/AF-L e de auxílio ao foco. Interessante observar que a X-T1 utiliza a mesma bateria NP-W126 usada na X-Pro1/X-E1 o que pode facilitar a vida daqueles que tem uma dessas câmeras e pretende adicionar a X-T1 ao seu arsenal.

Fuji_XT1_grip

Além da câmera, a Fuji também anunciou uma nova linha de lentes weatherproof (que serão identificadas pelo sufixo WR) que serão lançadas durante este ano. Entre elas estão a XF18-135mmF3.5-5.6 R OIS WR, XF16-55mmF2.8 R OIS WR e XF50-140mmF2.8 R OIS WR — todas por sinal com abertura máxima f2.8 fixa (uia!). A previsão é que a X-T1 chegue ao mercado já em março de 2014 no site da Fujifilm do Brasil onde somente o corpo poderá ser adquirido pelo preço sugerido de R$ 5.299 ou na forma de kit formado pela X-T1 mais a lente  XF 18-55 mm/f 2.8-4 (embaixo) pelo preço sugerido de R$ 6.499. Observe porém que essa lente não é WR.

Fujinon_XF18mm-55mmMais informações aqui.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.