ZTOP+ZUMO

Fujifilm: câmera com lente intercambiável (e inspirada na X100) vem aí

Futuro modelo X10 terá baioneta de desenho próprio e será apresentada no Brasil em outubro, de acordo com a fabricante, que lançou o modelo X100 (na foto acima) oficialmente por aqui.

A Fujifilm do Brasil apresentou sua nova linha de câmeras ultrazoom e anunciou a chegada oficial da paparicada Finepix X100, uma impressionante câmera com sensor APS-C de 12,3 megapixels e visual retrô e já analisada por este ZTOP .

Perguntei para os executivos da empresa sobre certos rumores de que a Fujifim está preparando uma sucessora para a X100 — por sinal, uma versão com lente intercambiável — e, por incrível que pareça, a resposta foi “sim” (hein?)

Quem confirmou essa história foi Sergio Takayama, gerente nacional de vendas e marketing da Fujifilm Brasil. Ele explicou que a estratégia da sua empresa é de a X100 cresça para uma família de produtos que irá evoluir para ambos os lados. Quer dizer, haverão novos modelos mais simples e mais sofisticados que a X100.

A primeira delas será a X10, um modelo cujo principal atrativo é que ele poderá trocar as lentes como as atuais DSLM. Ele confirmou que o formato da baioneta será próprio e que ela será apresentada em outubro, inclusive no Brasil.

Segundo o executivo, a Fujifilm não espera que a X100 no Brasil seja um campeão de vendas. De qualquer modo, a fabricante acha importante que ela seja oferecida no mercado como uma prova de compromisso e suporte desse produto para o consumidor brasileiro, fora o prestígio de mostrar para o mercado toda a sua capacidade tecnológica.

Se o nome da X10 se confirmar, nosso palpite é que os futuros modelos abaixo da X100 adotem um sistema numérico baseado em milhares (X1000?), a exemplo do que já fez a Canon no passado com suas câmeras EOS.

Ainda em tempo:

Perguntei ainda para Takayama se, com a redescoberta da fotografia instantânea no exterior,  a Fujifilm poderia relançar a linha de câmeras Instax no Brasil. Ele respondeu que essas câmeras são muito populares na Ásia e em outras partes do mundo e que sim, a fabricante considera essa possibilidade. Entretanto, ele deixou claro que nenhuma decisão será tomada sem antes pesquisar bem o mercado, em especial para saber o quanto o consumidor brasileiro estaria disposto a pagar por cada foto tirada.

 

Caso a decisão seja pelo retorno da Instax, o modelo a ser escolhido será o da série Mini (acima) capaz de tirar fotos de 6,2 x 4,6 cm.

Curiosidade mercadológia: O oba-oba em cima dessa câmeras instantâneas é tão grande que a Polaroid decidiu relançar uma câmera desse tipo, só que em vez de criar/relançar seu próprio produto, nesse caso eles optaram por licenciar a mesma câmera da Fuji e vendê-la sob sua marca, algo que até lembra o famigerado iPod da HP.

Edwin Land deve estar rolando no seu caixão.

 

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.