ZTOP+ZUMO 10 anos!

Conheça o FocusEDU, ferramenta neural para uso em educação

[Lets Go Festival 2018] Dispositivo ajuda a medir o nível de atenção de um aluno durante uma atividade, permitindo assim coletar dados para análise e melhoria tanto do aluno quanto da própria escola.

Entre as empresas que participaram do Let’s Go Festival 2018 em Curitiba, uma que chamou a nossa atenção foi a BrainCo, que apresentou uma interface neural especificamente voltada para o mercado de educação.

Mas antes que alguém comece a ter “idéias” — Não e NãoNão se trata de um sistema de controle da mente e ele também Não serve para ler pensamentos:

Dito isso, o que é então esse produto?

Segundo Max Newlon, líder de definicão de produto da BrainCo e especialista na área de BMI (Brain Machine Interface), o seu produto não é exatamente uma aplicação específica e sim uma ferramenta capaz de coletar, medir e analisar certos padrões de comportamentos na sala de aula que, até hoje, só são avaliados a partir de conceitos vagos ou achismos.

Por exemplo, “como é possível medir o nível de atenção de um aluno?“, questiona Newlon, já que muitas vezes, o máximo que um professor consegue perceber é se aluno está prestando atenção ou não na aula. Dai, não seria interessante se existisse um meio simples e preciso de medir o nível de atenção de cada aluno em tempo real e traduzir isso em números?

Esta é a idéia por trás do FocusEDU: uma interface neural capaz de medir em tempo real o nível de atenção ou de relaxamento de uma pessoa…

… permitindo assim obter diversos dados quantitativos que podem ser usados para fazer diversos tipos de análises de desempenho, tanto de toda classe ou de um aluno específico.

Por exemplo, ao medir o nível geral de atenção de uma classe de alunos é possível, por exemplo, avaliar se o professor está sabendo engajar os alunos na sua aula ou atividade.

Em outros casos é possível medir quais tipos de assuntos ou atividades são melhor assimiladas em quais dias e horários (matemática pela manhã ou à tarde?) permitindo assim estipular um horário de aula mais eficiente.

Descendo isso para o lado pessoal, é até possível identificar se um aluno estaria fora do padrão do resto da classe (tipo “prestando menos atenção que o resto”) – o que levanta um sinal de atenção para que a escola ou até mesmo os pais possam tomar providências para minimizar o problema.

Outra característica interessante desse dispositivo é que ele não serve apenas para medir e sim para ensinar/treinar os alunos a se “concentrarem em algo”, o que pode ser muito útil na hora do aprendizado, já que isso ajuda a combater a chamada distração ou déficit de atenção. Algo por sinal que se bem assimilado será benéfico para o aluno em outras coisas e para o resto de sua vida.

Para isso, a BrainCo já desenvolveu um método de treinamento piloto…

… e algumas ferramentas para “treinar” a mente das pessoas se concentrar ou relaxar…

… por meio de exercícios simples do tipo “quanto mais vocês se concentrarem no círculo ele ficará menor” cuja intensidade é indicada na escala da direita. Essa atividade é acompanhada por uma narração em áudio (que nesta demo estava em chinês) que em tese ajudaria a ensinar a pessoa a como se concentrar.

A grande sacada neste caso é que o aluno tem o feedback do “medidor de atenção” do sistema, o que garante que ele está realmente sabendo (e não achando) que está aprendendo a se concentrar. Já outras ferramentas como a de ver a árvore crescer serve mais para treinara a mente a relaxar (outra coisa também meio rara nos dias de hoje.)

Mas como esses treinamentos podem parecer chatos e monótonos, a BrainCo desenvolveu outros métodos de treinamento mais divertidos como essa corrida de foguetinhos cuja velocidade é determinada pelo nível de concentração de cada participante. O interessante neste caso é que a atividade de cada um pode ser observada ao mesmo tempo.

Em outra demonstração os desenvolvedores criaram um outro jogo de corrida que lembra vagamente Mario Kart, onde o participante acelera o seu carrinho com seu nível de concentração:

Uma questão bem interessante foi levantada durante as demos por um educador é se não haveria a possibilidade de um aluno ficar prestando sua atenção em outra coisa durante a medição, como um passarinho na janela ou coisa do tipo, e a resposta de Newlon é que seu dispositivo possui um acelerômetro capaz de mostrar para onde todos os dispositivos estão apontando, de modo que qualquer um que esteja apontado para outra direção será imediatamente identificado.

Isso mostra que, sob um certo ponto de vista, o FocusEDU é mais uma ferramenta do que uma aplicação propriamente dita, ou seja, o que esse sistema faz é monitorar e medir numericamente de maneira precisa dois tipos de atividades cerebrais — concentração e relaxamento — gerando assim dados preciosos que podem ser usados para diversos tipos de análises, sendo que muitas delas ainda estão sendo descobertas pela empresa.

De fato, a BrainCo está conduzindo uma série de testes piloto em diversas escolas de todos os tipos para testar a sua ferramenta no mundo real e em diversos cenários…

… e usar esse feedback/análise dos resultados para melhorar o seu produto e criar novas aplicações para essa tecnologia:

Para mais informações visite o site da empresa.

Ainda em tempo:

Essa idéia de utilizar uma interface neural para treinar/medir o nível de atenção de uma pessoa e tirar proveito disso me fez lembrar de outro produto, o Star Wars Science – Force Trainer da Uncle Milton Industries:

Lançado em 2009, esse brinquedo também utilizava um tipo de interface neural para medir os campos elétricos gerados pelo cérebro humano, cujos sinais eram enviados para uma espécie de pedestal equipado com um pequeno tubo transparente com um ventilador na base que impulsionava uma bolinha com com mais ou menos vento, ou seja, quanto mais a criança de “concentrava” mais a bolinha subia.

Em tese o produto é brilhante, mas receio que o lado negro do tédio possa dominar a mente do jovem padawan já que não vejo muita graça em passar algumas horas queimando a pestana para fazer uma bolinha idiota subir num tubo.

Aparentemente o tio Milton deve chegado à essa mesma conclusão ao ponto de descontinuar esse produto substituí-lo pelo The Force Trainer II: Hologram Experience que, aparentemente, faz coisas bem mais interessantes:

May the schwartz be with you!

Disclaimer: Mario Nagano viajou para Curitiba a convite da Positivo TecEdu. As fotos bacanas, observações brilhantes e piadinhas infames são dele mesmo.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.