ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Números enormes: a fábrica de motores da Ford na Bahia

No começo de abril, a Ford inaugurou a primeira fábrica de motores da região Nordeste, em Camaçari (BA). O ZTOP foi lá ver de perto como é o processo de fabricação, apesar de não poder ver  (de novo) os carros se moverem suspensos pela linha de produção

Os propulsores produzidos na nova planta terão 3 cilindros e 1.0 litro e estarão nos futuros modelos compactos da montadora.

Ford_fab_motores_novo_motor

Segundo a Ford, o início oficial de operações está previsto para maio e a capacidade da unidade será de 210 mil motores anuais, que serão embarcados em uma geração inédita do Ford Ka.

Ford_fab_motores_novo_KA

Clique para ampliar

Na fábrica

Para um novato no meio automobilístico, pisar no solo de uma fábrica novinha em folha é como assistir à abertura das cortinas de um espetáculo. (Já havia entrado no pátio de outras montadoras antes, mas estar dentro “mesmo” era novidade.) Tudo novo. Limpíssimo, moderníssimo e exalando tecnologia. No entanto, a produção ainda não havia começado pra valer. Claro, estávamos ali para a cerimônia de inauguração. Contentamo-nos em admirar e imaginar aquelas instalações a pleno vapor.

Ford_fab_motores_planta

A cerimônia de abertura da unidade de produção de motores da Ford teve a presença de executivos da marca e de políticos de diversas esferas, como o presidente da Ford América do Sul, Steven Armstrong; o governador da Bahia, Jaques Wagner, e o Ministro do Trabalho, César Borges. Além disso, ela foi acompanhada por mais de 300 de seus vindouros funcionários.

Com investimentos de R$ 400 milhões, a fábrica trabalhará com todos os equipamentos conectados a uma central de gerenciamento via Wi-Fi. Essa central administrará em tempo real todas as operações de produção, qualidade e manutenção de máquinas e ferramentas.

Ao todo, são 40 robôs e estações de carregamento automatizadas, 34 centros de usinagem flexíveis e 15 máquinas de usinagem de blocos e cabeçotes, instalados em um prédio com 24,5 mil m2 de área. Para evitar interferências nas medições de cilindros e mancais, o ambiente terá controle de temperatura permanente em 24°C e isolamento total.

Ford_fab_motores_linha_blocos

Uma das funcionalidades mais interessantes dessa nova fábrica é a capacidade de manutenção remota. Com ela, especialistas de fornecedores poderão acompanhar maquinários a partir de outras cidades e até de outros países. Caso alguma falha aconteça, será possível efetuar correções da parte eletrônica e de parâmetros dos programas de automação. Entretanto, problemas de hardware ainda seguirão com atendimento presencial.

Ford_fab_motores_func

De acordo com a Ford, câmeras de alta definição serão utilizadas ao final de cada etapa de montagem para capturar imagens do que foi executado. Depois, o responsável pela estação fará comparações com os parâmetros estabelecidos em projeto para assegurar a qualidade da sua entrega.

Em parceria com o SENAI-BA, a qualificação dos funcionários da fábrica consumiu 380 mil horas de treinamento em conteúdos específicos para manufatura propulsora. Além disso, os funcionários participaram de cursos ministrados por fornecedores de equipamentos. Alguns dos operadores foram levados para conhecer a construção de suas futuras ferramentas e, assim, ter mais consciência de sua participação no fluxo do novo motor 1.0 3C.

Ford_fab_motores_func2

O Motor

A Ford também apresentou as características e especificações desse novo motor 1.0 3C Duplo Comando Flex. De acordo com a Ford, o motor gera 85 cv a 6.500 rpm e oferece torque de 105 Nm a 4.500 rpm, abastecido com etanol; 80 cv a 6.500 rpm e torque de 100 Nm a 3.500 rpm com gasolina.

O desenvolvimento desse derivado do EcoBoost 1.0 levou três anos e foram necessárias 10 mil horas de CAE/CAD e 15 mil horas no dinamômetro e em testes de durabilidade. Além disso, o motor encarou nada menos do que 210 mil quilômetros de provas dinâmicas.

Ford_fab_motores_motor_specs1

O 1.0 3C Duplo Comando Flex é um motor aspirado de 85 kg, com três cilindros em linha e 12 válvulas com TiVCT — tecnologia de comando variável de admissão e de escapamento de modo independente. Segundo a montadora, o sistema de partida a frio desse novo motor dispensa o reservatório auxiliar de gasolina (Ford Easy Start). A taxa de compressão é de 12:1 e o arrefecimento é de duplo estágio.

A correia do 1.0 3C é lubrificada e instalada no seu interior. A Ford explica que esta característica ameniza atritos e trepidação de funcionamento, além de aumentar a durabilidade. A substituição dessa peça será recomendada após 240 mil quilômetros rodados contra 60 mil do propulsor do último Ka, produzido até dezembro do ano passado.

Ford_fab_motores_motor_specs3a

A Ford ainda não divulgou dados de consumo de combustível ou de desempenho (velocidade máxima, tempo de 0-100 km/h etc.) do novo motor. No entanto, um dos executivos da montadora comentou que está previsto para maio o envio do futuro Ka para avaliação no Programa Brasileiro de Etiquetagem do INMETRO.

Além do Brasil, há outras fábricas da Ford ao redor do planeta que entregam variações do 1.0 3C Duplo Comando Flex: Alemanha (236 mil unidades), China (47 mil) e Romênia (102 mil). Considerado uma aplicação específica para o mercado brasileiro, o projeto do novo motor demandou o registro de 120 patentes mundiais, indicando um alto nível de exclusividade para atender às demandas locais.

Ford_fab_motores_motor_specs2

Nossas conclusões

A notícia da inauguração de uma fábrica de motores de padrão internacional no Nordeste é mais do que bem-vinda para a região e o País. O anúncio de um novo motor traz, nos bastidores, anos de investimentos e trabalho de inúmeros profissionais.

Apesar de não dar uma volta num carro com o novo motor, curtimos a visita. Mal podemos esperar para colocar as mãos no novo Ka com o 1.0 3C sob o capô. Que venha a estreia!

Disclaimer: Fábio Koiti viajou para Camaçari (BA) a convite da Ford do Brasil e não trouxe o coco com pinga que o Nagano queria ganhar de presente. As opiniões e as fotos bacanas são dele e a revisão é da Marilu Araújo.

 

Fabio Koiti escreveu sobre TI nos idos de 1990 e 2000 em revistas como PC Magazine Brasil, Windows Sources, PC Computing e PC World Brasil. Agora, está de volta para falar dos carros (e outros veículos) mais legais que pintarem por aqui.