ZTOP+ZUMO

Entrevista: Vagalume VG-AP-2x2AG-1 — um roteador para inclusão digital

Solução de última milha utiliza tecnologia de redes MESH para levar o sinal da Internet em locais onde o fio não chega.

Mais ou menos uma década atrás, Nicholas Negroponte, criador e chairman emérito do legendário MIT Media Lab, apresentou para o mundo o notório “notebook de 100 dólares“. Era a proposta de criar um computador educacional de baixo custo voltado para estudantes do terceiro mundo.

E o que parecia ser uma grande bravata de um visionário meio barulhento, evoluiu realmente para uma fundação que criou um projeto mais conhecido como OLPC (One-Laptop-Per-Child), um produto inovador, mas que foi atropelado pela Lei de Moore –  ou mais exatamente por outra proposta mais comercial e conservadora que conhecemos hoje como Classmate PC — um equipamento por sinal, desenvolvido originalmente pela Intel Brasil que nunca foi amplamente adotado oficialmente e em grande escala pelo nosso próprio governo (boo!). No mundo de verdade, os filhotes OLPC também fizeram muito sucesso sob o nome de “netbook

LaptopOLPC_b

Apesar do seu aparente fiasco como produto, o OLPC foi (ou ainda é) uma interessante plataforma de experimentação e novas idéias. De fato foi nessa plataforma que ouvi falar pela primeira vez de uma tecnologia de rede batizada de MESH, onde um cliente ligado à internet pode compartilhar a sua conexão com outros clientes que, por sua vez, também podem compartilhar a sua conexão, formando assim uma “malha” de rede sem fio dinâmica e adaptativa capaz de enviar o sinal de internet para locais onde a rede convencional nunca chegaria.

OLPC_Mesh

Na sua essência, essa é a idéia por trás do Projeto Vagalume, uma linha de roteadores inteligentes desenvolvida pelo C.E.S.A.R. em parceria com a empresa pernambucana Elcoma Computadores que permite ampliar o acesso à rede sem fio em grandes comunidades por meio da tecnologia MESH.

O produto em questão é o Vagalume VG-AP-2x2AG-1, um roteador preparado para uso em locais públicos e/ou abertos (segundo a norma IP67) podendo ser montado em paredes, tetos ou postes e com a opção de até usar uma antena externa para obter melhor cobertura.

Vagalume_router

Esse modelo vem equipado com até dois rádios padrão Wi-Fi 802.11 a/b/g/n e suporte nativo ao padrão de rede Wi-Fi Mesh 802.11s, 64 MB de RAM, 16 de memória de armazenamento, porta de rede Gigabit Ethernet e pode ser alimentado por uma fonte de alimentação de 36~57 volts CC (recomendado 48 volts x 1 A) e o consumo máximo estimado é de 25W.

O produto incorpora os recursos de DHCP, DNS, VPN, SNMP, Collectd, SMTP, HTTP, EAP/RADIUS, PPPoe, PPPoa, QoS, FTP, SSH, Telnet, Certificate Server, PHP, SQLite, Proxy/CARP, SMB, XMPP, SIP, LDAP, Kerberos, VNC Proxy e DDNS e oferece suporte para Captive Portal, Load Balancer, Múltiplos SSIDs, Traffic Shaping, Firewall, IDS e IPS, Streaming de Audio e Video e é clado, WiFi Mesh.

Para conhecermos mais sobre esse produto encaminhamos algumas perguntas (em negrito) via e-mail para a Elcoma, e que foram gentilmente respondidas (em itálico) por Julio Gil F. Freire gerente de projeto da empresa:

Qual o seu público-alvo (consumidor final, SMB, empresas, ONGs, governo?)

Apesar de o projeto ter sido concebido originalmente com foco no PNBL (Plano Nacional de Banda Larga), rapidamente se expandiu para atender também a outros mercados. Hoje, como uma solução completa e não só um Access Point de alto desempenho, atende tanto a estabelecimentos que têm como objetivo prover acesso aos seus clientes, ou seja, shoppings, hotéis, hospitais, faculdades entre outros, quanto SMBs que precisem de uma gestão mais inteligente da sua rede.

A solução como um todo inclui os Vagalumes, Access Points gerenciáveis de alta performance, capazes de suportar até 400 conexões simultâneas e potência de transmissão de até 30dBm, permitindo alto alcance e penetração, o Swarm, Controlador dos Vagalumes e UTM, permitindo filtros de conteúdo, balanceamento de carga, balanceamento de link, autenticação, entre vários outros serviços e por fim, o acompanhamento da equipe Elcoma tanto na vistoria e mapeamento da necessidade do cliente, quanto no acompanhamento contínuo do serviço, facilitando a atividade do responsável pela infraestrutura do cliente.

Quais padrões ele segue? Ele utiliza protocolos padrão de mercado ou proprietário?

A solução se baseia fortemente em protocolos padrão e em softwares livres. Inclusive é uma das únicas soluções do mercado que já implementa o protocolo padrão de comunicação MESH, o IEEE 802.11s.

Qual sua velocidade de transmissão/recepção dessa rede sem fio?

Com dois rádios independentes, o Vagalume consegue uma velocidade total de 600 Mbps de transmissão de dados sem fios. Como conta com equipe de desenvolvimento própria, a Elcoma é capaz de trabalhar juntamente com o cliente para atender a demandas de alto throughput, reduzindo overheads e trocas de contexto, permitindo que este valor seja efetivamente alcançado com dados trafegados.

Qual o número máximo de usuários que cada roteador comporta e como fica a disponibilidade da banda?

Cada Vagalume suporta até 200 conexões por faixa de frequência, 400 no total. Na prática, é capaz de atender até mais conexões, mas a partir deste número, a experiência de uso começa a ser afetada pela excessiva troca de acessos num curto intervalo de tempo.  

As conexões são seguras?

Tanto só com os Vagalumes quanto com a controladora Swarm, as conexões contam com as tecnologias mais atuais do mercado no quesito segurança. No Vagalume autenticação por login e senha encriptada com WPA2-PSK de 128bits, VLAN, SSIDs secretos, VPN, entre outras tecnologias já funcionam nativamente. Adicionando o Swarm à solução, ganha-se ainda mais segurança com Firewalls, bloqueio de conteúdo incluindo torrentes, chats e downloads, bloqueio de usuário tanto por MAC quanto por IP, e tudo isto podendo ser configurado remotamente e através de canais também criptografados.

Qual o número mínimo e máximo de roteadores necessários para formar uma rede MESH?

Formalmente uma rede Mesh, ou rede em malha, é caracterizada por um ou mais dispositivos com conexão a uma rede externa, chamado de gateway, e um ou mais dispositivos que estão conectados entre si ou a este dispositivo gateway. Ou seja, com um gateway e um outro dispositivo, já temos uma rede em malha.

O número máximo de dispositivos numa rede Mesh varia de acordo com os dispositivos. É comum num salto entre dispositivos de uma rede Mesh, a transmissão perder 50% da sua velocidade. Por utilizarem uma versão otimizada do protocolo 802.11s e possuírem a robustez necessária para este tipo de aplicação, os Vagalumes têm uma perda de menos de 8% na velocidade entre saltos, possibilitando até 25 saltos.

Importante salientar que os dispositivos podem ser distribuídos homogeneamente, de forma que não precisem se comunicar com todos os outros antes de chegar no gateway, e que uma rede Mesh pode ter mais de um gateway, então não há máximo de dispositivos.

Qual o nível de dificuldade para instalar e usar essa rede?

Uma vez que podem sair pré-configurados, e por estarem em Mesh, os Vagalumes detectam um ao outro, a instalação fica tanto mais fácil quanto menos custosa.

Qual o modelo de comercialização desse produto? Qual o custo de cada roteador?

Cada solução é precificada de acordo com a necessidade do cliente. Como oferece desde a instalação da infraestrutura, configuração da rede, implantação da solução e finaliza no acompanhamento, cada cliente vai contratar exatamente o que precisa.

A Elcoma também tem modelos de negócio que vão de acordo com a preferência do cliente, oferecendo venda ou aluguel tanto do Vagalume quanto do Swarm, e tanto em ambos os modelos de aquisição o cliente ainda opta se quer o serviço de acompanhamento ou não.

O que as operadoras/provedores de banda larga acham desse modelo de negócio?

Com uma rede tanto sem fios quanto estruturada de melhor qualidade, o estabelecimento pode enfim usar a internet com todo seu potencial. Muitas empresas passam a confiar mais em soluções na nuvem e necessitar assim de mais banda, o que beneficia os provedores.

Outra vantagem clara tanto para o cliente quanto para o provedor é que numa rede de qualidade e com monitoramento continuo, é possível detectar com muito mais facilidade o ponto de falha no acesso à internet. Muito do tempo e recurso perdido atendendo a clientes que acham que têm problemas no provimento de banda larga, mas na verdade têm algum equipamento na sua infraestrutura de rede que é um gargalo ou ponto de falha.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • dflopes 16/07/2015, 03:53

    excelente idéia a erde mesh.
    Mas o ponto inicial poderia ser internet via satélite, e então entrar na rede Mesh.