Em qual empresa de tecnologia/internet brasileira…

E

…você investiria?

Sendo um venture capital gigante, um angel investor audacioso ou um monstro do tamanho do Google, proponho um exercí­cio de futurologia para 2008 (este post foi inspirado em uma conversa que tive com o Marcos Tanaka, da Boo-Box, na semana passada).

Falei com algumas pessoas (jornalistas, ex-jornalistas, gente do mercado) e levantei os nomes de algumas empresas, só pra jogar lenha na fogueira. Nem toda empresa foi criada com pensamento em venda, mas pensar em possí­veis investimentos é sempre interessante.

A lista que surgiu contém (e alguns motivos possí­veis para compra/investimento); selecionei as cinco mais citadas – vale lembrar que muitas delas já receberam aportes de capital:

Aprex – pacote de aplicativos de escritório online com recursos que vão além da concorrência.
Possí­vel comprador: Google, Microsoft (para complementar suas soluções de produtividade).

Buscapé – comparador de preços online que investe cada vez mais em conteúdo.
Possí­vel comprador: Google, Yahoo (oferecem serviços similares no exterior e não têm nada parecido por aqui)

Boo-Box – plataforma de marketing contexutal.
Possí­vel comprador: Google, Yahoo!, Microsoft (para complementar suas plataformas de publicidade online).

Ikwa – rede social voltada ao estudo e carreira.
Possí­vel comprador: Santander (que já é dono do Universia, voltado a universitários).

Videolog – o “YouTube” brasileiro faz mais (e melhor) que os concorrentes, sem perder o foco na comunidade.
Possí­vel comprador: Microsoft, Terra, iG (para complementar seus portfólios de ví­deos online).

Empresas também citadas: Positivo Informática (é a lí­der e incomoda muita gente no mercado de PCs); Agência Click (só se agência de fora comprar já foi comprada, ops!); Apontador (qual portal não tem mapas hoje?); Ideiasnet (dona do iMusica, nossa iTunes Store B2B tupiniquim); Módulo (segurança); Eccox (software corporativo); Blaz (projetos de colaboração e web).

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos