ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

… e todos querem as pequenas (CheckPoint)

UTM-1Ontem, a Symantec e sua pesquisa. Hoje, a CheckPoint também mostrou que quer o mercado de pequenas e médias empresas – na prática, mais de médias que de pequenas. A companhia, mais conhecida do usuário final pelo seu pacote de segurança ZoneAlarm, anunciou hoje (8) o lançamento de uma nova linha de produtos, chamada UTM-1, voltada a esse mercado. São caixas com firewall, antiví­rus, VPN, prevenção de intrusos, entre outros. Conversei alguns minutos atrás com o Fernando Santos, presidente da empresa para o Cone Sul, para entender quem são essas PMEs.

Como a CheckPoint define o tamanho de pequenas e médias empresas?
Fora do Brasil, a questão é diferente. Uma pequena pode ter até 2 mil usuários. Na nova linha UTM-1, definimos um mí­nimo de 250, 500 ou mil usuários por equipamento, dependendo do modelo. Nossos clientes podem ser uma fábrica com 5 mil funcionários e poucos deles com acesso í  rede, por exemplo. Então o foco dessa nova linha de produtos fica mesmo na média empresa, a partir de 250 pessoas. Mas temos uma linha para pequenas empresas também.

Por que investir em PMEs?
Verificamos que existe um buraco no mercado para esse tipo de solução de segurança. Criamos um produto desenhado para buscar o mercado especí­fico de médias empresas – antes nossos clientes precisavam comprar o hardware de terceiros e instalar nosso software. Agora o hardware e o software levam a nossa marca.

Mudando um pouco de assunto, o sr. viu a pesquisa de ontem da Symantec (falando sobre “ví­rus” ser a grande ameaça)?
Mmmmm, todo mundo que converso sabe que ví­rus é o menor dos problemas nas empresas e elas já se protegeram de algum modo com soluções que atendem essa demanda. O problema hoje para a PME é worm, spyware, invasão, e o mercado brasileiro já entende bem como se proteger.

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin