Dell XPS 13: o notebook é a nova TV

D

[Ainda na CES 2018] Como sempre (e fetiche pessoal meu), o notebook Dell XPS 13 ganhou uma nova versão com algumas melhorias durante a CES 2018 e ideias interessantes da turma de Round Rock (válidas para outros produtos também) para dar uma cara nova ao modo que usamos o computador pessoal.

Fato é que o PC (independente do formato, notebook, 2 em 1 ou desktop) virou commodity após a ascensão do smartphone como reizinho da comunicação pessoal/entretenimento/trabalho móvel. Aproveitei a minha passagem pelo Yardbird (restaurante-QG da Dell na CES) e conversei rapidamente com Neil Hand, vice-presidente de estratégia de produto e inovação da Dell para tentar entender para onde esse mercado vai.

Comecei o papo perguntando onde está a inovação em PCs hoje. Neil Hand disse que existem dois caminhos para essa resposta: o primeiro é fazer seu notebook “valer mais a pena” com novos materiais, acabamento e sem perder a preocupação com a questão do preço e da performance. O segundo é que o modo de usar um PC mudou, e muito mais gente usa em casa, mas não do modo tradicional em uma mesa.

“Percebemos que as pessoas vêem menos TV e usam mais seus PCs”, disse Hand. Na prática, serviços de streaming fazem com que a gente consuma conteúdo na cama ou no sofá. “Um fabricante precisa adaptar o uso ao modo que o consumidor quer. Um notebook pode ser feito para não esquentar demais”, comentou.

Tanto que o XPS 13 (já à venda no Brasil por um pedaço do fígado e dois rins, mais ou menos) usa materiais para proteger o colo (ou a barriga) de quem o usa. O modelo continua com sua tradicional versão em preto com fibra de carbono, mas a Dell mostrou na CES a nova versão com acabamento em branco por dentro e “Rose Gold” (oi Apple!) por fora.

Mas não suja esse notebook branquinho? Não fica encardido?

A Dell diz que utiliza “uma camada de sílica cristalina sobre fibra de vidro” – o que dá um acabamento único e que evita manchas/sujeira conforme seu uso. Hand complementa dizendo que o isolamento térmico do XPS 13 foi melhorado, permitindo sua utilização sem se preocupar com o calor. “O XPS 13 já virou nosso produto icônico”, disse Hand.

Aproveitei o papo para perguntar por que a Dell ainda não mostrou nenhum produto “Always Connected” com processador Qualcomm Snapdragon – diferente dos seus concorrentes Asus, HP e Lenovo.

“Um notebook desses vem com a promessa de longa duração de bateria, portátil e de estar sempre conectado. Vemos que a demanda para algo sempre conectado é de 6% a 7% dos consumidores, o que não muda o cenário de forma drástica. Além disso, o mercado de LTE é basicamente europeu, então não vemos muito valor adicionado a esse produto”, comentou Neil Hand. “Um produto nosso como o XPS 13 tem duração de bateria de até 19 horas”, concluiu.

Fotos do Dell XPS 13

Bônus track

A linha 2018 da Dell (incluindo linhas XPS e Inspiron) se baseia em melhoria de tecnologias em três pilares: cor, som e streaming, em algo que a fabricante chama de “Dell Cinema”. Na prática, os modelos novos têm telas compatíveis com padrão HDR, melhor calibragem de som (WavesMaxx Audio Pro) e priorização de banda de internet para vídeo/streaming (deixando outras atividades em segundo plano, como sincronizar e-mails).

Aqui vemos uma demo de “Chef’s Table” da Netflix em um notebook com HDR desligado (à esquerda) e HDR ligado (à direita). Para a priorização de banda, a Dell usa uma solução da Smart Byte.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos