ZTOP+ZUMO

Faça uma faxina no PC

Se você não é da turma do xuê xuê, squindô squindô e teleco teco, aproveite o tempo livre para dar um sopro de vida no seu PC.

Computador é um bicho temperamental. Se não recebe um pouco de atenção e carinho, uma hora se rebela e pode fazer sua vida miserável, uma vastidão de sofrimento, lentidão e conflitos. Por isso é legal de vez em quando dar aquele talento na sua máquina, resolvendo os probleminhas antes que eles fiquem empilhados e até fazendo um upgrade básico.

Bem, primeiro veja o nível de poeira e sujeira na sua máquina, portátil ou desktop. É inacreditável a quantidade de porcaria que vai se depositando no teclado ou as bolas nojentas de poeira que ficam dentro do gabinete.

Se você não tiver muita ligação afetiva com seu teclado, pode dar um sacudida básica e depois aspirá-lo. E finalizar passando um pano macio úmido com umas gotinhas de limpador instantâneo (aquele é sinônimo de olhe, sabem?). Depois, encaminhe-o para alguma instituição de caridade. De jeito nenhum jogue fora um teclado funcionando, reciclar sempre é mais bacana.

No caso dos teclados de notebooks e aqueles teclados velhos de guerra que muita gente ama e não se separa nunca, primeiro você precisa usar um pincel seco para desencrustar a nhaca que fica presa entre o vão das teclas. Aí, sopre a nojeira para fora do teclado usando uma daquelas latinhas de ar comprimido ou, como o Nagano ensinou, um secador de cabelos soprando ar frio.

A técnica do secador vale também para dentro do gabinete. Nunca sopre com a boca, ou vai ter um gabinete enferrujado e nojento em pouco tempo. Também dê um trato nos cabos, que não devem ficar como os da foto aí em cima. Espaguete bagunçado de cabos não deixa o ar fluir e esfriar a máquina, que fica mais barulhenta e trabalha de forma menos eficiente quente.

Resolvido o problema da sujeira, é hora do upgrade, se você achar que a coisa anda lenta demais.

Nós já fizemos um guia de como montar um PC, e nele você vai ver como trocar o HD, adicionar memória e até trocar a placa de vídeo. Mudar ou adicionar esses componentes faz uma diferença absurda, o desempenho melhora consideravelmente. Mas se você está realmente furioso com seu desktop, pode tentar o procedimento mais radical, que é trocar o processador e a placa-mãe.

Em escala de prioridade, e até por ser mais fácil, considere melhorar a placa de vídeo, colocar mais memória e finalmente adicionar ou trocar o HD. Quer comprar componentes e afins no carnaval? Talvez você dê sorte, pois algumas lojas vão abrir na manhã de segunda-feira.

Depois de resolver o hardware, é hora do software.

Se você ainda usa o Windows XP – ou que o todo-poderoso nos proteja, Windows Vista – passou da hora de mudar para o Windows 7. O Windows XP é legal, mas não aproveita nem de longe os recursos dos PCs de hoje. E é melhor nem falar do Vista, dá até dó. O Windows 7 é mais fácil de gerenciar, tem drivers mais estáveis e eficientes para o hardware atual e ainda usa o poder da placa de vídeo para rodar mais macio. E nem precisa de tanta RAM assim para ficar legal, 3 GB dão bem.

Lembre-se de fazer um backup do que você quer guardar antes de instalar o Win 7, pois o ideal é você formatar o disco para tirar do caminho toda a lixarada que acumulou com o passar do tempo. Mesmo se já tiver o Windows 7 instalado, vale fazer uma instalação fresquinha.

Agora coloque o que é básico. Nada de ficar entulhando a máquina de porcaria nem de piratinhas nojentos. Veja nosso guia para instalar os aplicativos mais imprescindíveis com alguns cliques.

Já tem o que precisa para botar a máquina para rodar? Que tal colocar um pouco de diversão?

Primeiro, coloque uma ferramenta ninja para fazer do seu PC um tremendo centro de mídia. E ainda dá para lotar de velharias lindas e jogos estalando de novos.

Se quiser aprender um pouco mais da arte de colocar um PC funcionando por conta própria, que além de um desafio é uma tremenda terapia, dê uma passadinha no [Re]monte seu PC, aqui no Ztop. Tem um monte de coisas bacanas, como explicações de como funciona uma placa-mãe, se vale a pena usar duas placas de vídeo e guias bem completos para montar ou melhorar sua máquina, tudo passo a passo, sem complicar.

E aí, dá ou não dá para pular o carnaval, no sentido de deixar passar, cuidando do PC? Para quem é geek, é um programão.

  • Opteron 05/03/2011, 23:58

    Opa, valeu pelas dicas!!!!

  • Ricardo 07/03/2011, 23:59

    Caros, legal, mas vcs estão ganhando algo para fazer propaganda do windows? Se NÃO, por favor, atualizem essa matéria incluindo a instalação de um sistema que não seja proprietário. Não se trata de xiitismo, mas sejamos justos.
    Hj, uma enorme parcela da população usa software pirata pq sequer conhece outra coisa.
    Vamos começar a mostrar para essa gente que existe tecnologia além das "janelas", e o melhor, a um preço acessível a todos: Um CD ou DVD virgem (1,00 real) e internet para baixar a distro.
    Isso é mais do que discutir tecnologia, é um trabalho social, por não segregar as pessoas que não podem pagar para ter um seven home ou professional, ou ainda o ultimate. Qualquer distro Linux contém a mesma tecnologia que roda na maioria dos servidores e supercomputadores mundiais. Então #reflitam 😉

    • João 09/03/2011, 11:44

      Um sistema proprietário é aquele desenvolvido pelo fabricante, como os que existem em PC´s e Note´s da Apple por exemplo (Mac OS). A proposta como diz o artigo é de faxina, limpeza e não de instalação ou reinstalação de sistema operacional. Hoje com o preço dos PC´s e Notebooks, não vale mais a pena montar uma máquina, isso eu digo para um usuário mediano, sem muitos conhecimentos, agora se for um "fissurado" por computador, o gosto de montar uma máquina não tem preço. Daí a pessoa instala e reinstala quantos sistemas operacionais quiser e escolhe o que achar mais conveniente. Eu já instalei muitas distribuições Linux, testei um bocado, mas em se tratando de popularidade e de facilidade de uso nada supera o Windows, independente da versão. Por exemplo se minha mãe chegasse pra mim e pedisse pra eu ajudar na compra de um computador, com certeza eu recomendaria uma máquina com Windos porque, qualquer técnico meia boca saberia mexer rsrs. É lógico que em termos de uso comercial, em servidores, grandes corporações o custo x benefício é sempre levado em conta.
      Faxina nos bichinhos!

    • JoAuricchio 10/03/2011, 16:29

      Ricardo,

      Não ganhamos absolutamente nada para promover o Windows. E não adotamos uma postura panfletária em prol de nenhum sistema, software ou produto. Inclusive, no [Re]monte ensinamos a instalar o Ubuntu e encher a máquina de programinhas bacanas. Ora, ensinamos também a usar o XBMC, que tem versão stand alone…

      Aqui no Ztop acreditamos no poder de escolha e na saudável competição, que é o que efetivamente um dos fatores que geram inovação. Qual o motivo de indicar o Windows 7? Simples, ele funciona super bem. Não adianta forçar e dizer que é o mal encarnado, o demônio corporativo… o bicho faz muito bem o que se propõe.

      Aí, sendo um tiquinho cruel: se a pessoa precisa queimar uma mídia, não tem skillz para usar um sistema livre.

      Vai ensinar a mãe ou a tia a sair usando Linux, pegando programas em repositórios… não rola. Simples. E ainda vem Linuxer que tem bronca do Ubuntu, reclamando que é parecido demais com o Windows. Caramba, é justamente por ser parecido com o Windows que é a distro mais usada por "civis". E esse é outro ponto incontestável, ninguém tem a menor obrigação de aprender como usar Linux à unha. Se não é fácil e intuitivo, o povo não usa mesmo,

      O Windows 7 custa dinheiro mesmo. Mas colocando na balança, ele vale o preço, é simples de instalar, usar e roda tudo o que 90% dos usuários precisam. MAs estimulamos sim o uso do Ubuntu. E gostamos sim do MacOS, só não ensinamos a usar porque a Apple não vende o sistema separadamente.

      Finalizando, o sua analogia do uso do Linux por causa da implementação do sistema livre em supercomputadores e servidores é muito frágil. É justamente por ser usado nesse tipo de plataforma de altíssimo nível que quase todas as distros não caem no gosto dos usuários comuns. É duro de usar, complexo de personalizar, e demanda um tempo e esforço que a pessoa que quer apenas usar o PC para o básico não tem, e nem precisa ter.

      E, o "hadouken" final: não tem Steam, não tem Street Fighter IV e nenhuma produtora grande lança nenhum game para Linux. Quando sai um jogo, demorou "apenas" uma década para ser portado. E ainda, mesmo com o drivers oficiais, praticamente nenhum jogo em Linux aproveita a placa de vídeo. Viu porque precisamos do Windows 7?

      • cdsmaker 27/03/2011, 08:31

        Deu até pena, esse aí nunca mais abre a boca em nenhum forum na vida.

  • dflopes 08/03/2011, 23:17

    leram meus pensamentos….já deu caimbra no olho assistir tanto filme.

  • Ricardo 15/03/2011, 18:53

    João, foi citado no artigo um upgrade, o que de certa forma, é uma instalação. Concordo com Vc que "em se tratando de popularidade" ninguém supera o windows. Mas achar mais fácil o windows, há de se discutir bem isso, o que não caberia a um comentário. Minha esposa começou no Linux pq eu usava. No começo ela achou "estranho" mas muito bonito pelas transparências (na época do xp anterior ao sp1), e achou fácil usar o synaptic para baixar vários programas de uma vez só, ao invés de baixar um a um e instalar, tb um a um. Hj ela não troca o Kubuntu (a distro que uso 100% do tempo, em casa e no trabalho) por nada. Windows nunca mais, e toda aquela facilidade do windows é pouca coisa comparado a facilidade e produtividade que tenho para usar meu computador (novamente, em casa e no trabalho).
    Exemplo em casa: Converter um vídeo enquanto gravo um DVD de dados a 8x, com o firefox aberto com 18 abas (4 delas no youtube), um client para twitter e o pidgin (IM melhor não há 😛 ), o chrome aberto com mais 12 abas (gosto de usar os dois, mas firefox é meu predileto), 3 imagens abertas no Gimp (capinhas de DVD hehehe ), cliente de email (Kmail) mais leitor de feeds (Akregator), sem contar os inúmeros plasmoids na área de trabalho (são tipo os widgets que tens no windows), e mais uma porrada de programinha pequeno no tray, como wakoopa, gerenciador de impressora, gerenciador de bluetooth, gerenciador de carteiras do KDE, gerenciador de clipboard (klipper), coverglobus, dropbox, alarme de compromisso, agenda e o caffeine, além de um programa que me mostra a temperatura. Por fim, tudo isso sem atrapalhar as funções do sistema que são automáticas, ou mesmo os scripts que eu coloco para rodar de tempos em tempos. Tudo isso num PC com 2GB de ram. Faz isso no Win7 ao mesmo tempo, sem travar ou dar lag???. Não, pq eu já testei.
    O que eu posso dizer é que o Kubuntu me serve muito mais do que qualquer windows jamais me serviu. Não se trata de "raivinha mimimim" do windows, só não concordo que digam que ele é melhor só por que roda joguinho.
    E não é tão fácil assim o windows, é que vc por estar condicionado, acaba pensando isso.
    Infelizmente não tenho o link aqui de uma matéria onde uma criança que cresceu usando Linux, tem que usar o windows. No final das contas, o garoto acha o windows difícil e complicado. E uma outra de pessoas que aprenderam ambos os sistemas, e 85% +- preferiu Ubuntu ao windows.

  • Ricardo 15/03/2011, 19:09

    JoAuricchio
    Entendo seu ponto de vista. Não critico o seven, já usei e recomendo sim. Está muito bom mesmo, consertou várias e várias falhas do Vista. Vista, aff…
    Quanto a analogia que fiz, vc pode ter razão de isso causar espanto em um usuário comum. Ele já vai pensando que vai ter que digitar um monte de comandos. Mas o Linux é só o kernel, e a intenção foi de dizer que se tem o mesmo poder de fogo desses caras no seu PC. A mesma tecnologia (com exceção dos Super comps funcionando em clusteres, aí requer implementações separadas). Eu devia ter escrito GNU/Linux, por ser a definição do conjunto de softs+kernel.
    E, convenhamos, ensinar a tia ou a mãe a ticar uma caixinhas de seleção, e depois noutro botão em aplicar e esperar o programa baixar da internet e instalar tudo sozinho é muito mais fácil que sair caçando o programa. Os repositórios do Ubuntu estão bem completos e foi aquilo mesmo que escreveu. Muitos não gostam dessas facilidades, mas eu gosto, e por isso uso. O que dirá uma senhora aprendendo a mexer no PC, sem qualquer base. Um sistema que pega vírus, que trava (sim, o seven trava :D), cheio de lixo que vem junto com esses trocendos de programas freeware etc…
    Imagina essa mesma tia, sem qualquer noção de informática, ter que pagar quase o preço do computador em um "negócio" que mal sabe usar….enfim, não vou me alongar, mas a lista de desvantagens do windows é muito grande.
    Agora, se quiser jogos de "griffe", aí sim concordo. Se eu jogasse no PC, com certeza teria o windows na primeira partição só para jogos (é um ótimo videogame). Mas para sistema simples e completíssimo, além de facilitador das minhas funções (quiçá minha vida), vou de Kubuntu mesmo, ou Mandriva, ou Opensuse etc.