Copa em alta definição: vale o preço?

C

Estávamos aqui tentando sublimar o toque amaldiçoado da vuvuzela quando lembramos: ora, agora sim dá para provar,  pau a pau, se o consumidor normal, gente como seu pai ou seu tio, vai ver vantagem em comprar uma TV de alta definição e sintonizar o sinal de TV digital aberta.

Então, sob protestos furiosos da família, tentamos comparar a qualidade da transmissão analógica de definição padrão e da transmissão digital HD.

Em nossos testes, utilizamos uma TV LCD de 32 polegadas, sinal analógico a cabo da Net, um receptor Sky HDTV com o módulo de TV digital aberta, ligado via cabo HDMI. No caso do cabo da net, a TV é o primeiro ponto da casa, não há nenhum tipo de perda do poste até a TV.

Somos completamente malucos por qualidade de vídeo. Tudo o que tem tela em casa sofreu algum tipo de calibragem séria. Disquinho de calibragem e óculos da THX aqui não falta. Mas, mesmo com o televisor calibradinho, experimentamos o serviço de vídeo calibragem da Sky no televisor. Para nosso orgulho, os equipamentos do técnico chegaram muito perto dos ajustes já feitos – nerd fica feliz com umas bobagens, mas somos assim, fazer o quê…

Pois bem, com o televisor devidamente calibrado, para não haver nenhum desvio de qualidade externo, sintonizamos o jogo. Primeiro na transmissão analógica:

Assistível, com a usual sujeira de vídeo que aparece em transmissões SD nas telas de alta definição.

Agora, a digital:

Além do campo visual muito maior, é possível discernir até a fisionomia dos fotógrafos ao fundo, que na transmissão analógica SD parecem feitos de papelão borrado.

Transmissão analógica SD:

Transmissão digital HD:

Aqui fica muito clara a perda de informação visual da transmissão analógica. Tem um monte de coisas acontecendo nas laterais da tela que simplesmente são ignoradas…

Transmissão analógica SD:

Transmissão digital HD:

Agora, além da informação visual perdida, fica claro que a transmissão analógica faz dos jogadores verdadeiros borrões disformes. A silhueta está lá, mas sem definição nenhuma.

Na transmissão digital HD, há o campo visual maior e os detalhes ficam mais claros. mesmo de tão longe dá para discernir o que é rosto, braço e tronco dos jogadores.

Transmissão analógica SD:

Transmissão digital HD:

Esse é o exemplo mais dramático. Nos closes, a transmissão analógica leva uma surra sentida. Veja a quantidade de detalhes, a profundidade da imagem… nem parece o mesmo jogo.

Também pudemos fazer algumas observações interessantes:

  • Existe um atraso mesmo entre a transmissão analógica e digital, mas durante o jogo ele não passou de 3 segundos.
  • As cores no serviço HD por assinatura são ligeiramente mais vivas que na transmissão digital aberta
  • No serviço HD por assinatura o atraso aumentou para 4 segundos, mas nada que comprometesse a experiência de assistir ao jogo.

A conclusão final é: se você estava esperando a oportunidade para justificar a compra de um televisor novo, a melhor oportunidade é a Copa mesmo. Como é o primeira vez que o Brasil tem transmissões digitais de alta definição, agora justifica investir em uma TV HD. Isto é, se para você jogo de futebol e novela são killer apps.

Nagano comenta: Só para complementar as informações do Jô, vale a pena recordar que além do serviço de TV HD por assinatura existe também o SBTVD (diminutivo carinhoso de Sistema Brasileiro de TV Digital). Tenho assistido diversos jogos em HDTV e posso dizer que o delay não passa de um ou dois segundos e a qualidade de imagem deixa nada a dever para a HDTV paga — principalmente se você gosta de assistir novela das oito, jogo de futebol e alguns filmes — e tudo di gratis, já que muitas das novas TVs LCD e de Plasma  já vem com o conversor integrado.

E quer mais? Já tem até um canal de TV Digital aberta em 3D (ai meu santo!)

Ah, e um detalhe: vocês perceberam que foi o Henrique aparecer no jogo para dar empate? Volta, Henrique! 🙂

Nagano comenta (de novo): Acho que depois de rodar metade do planeta e fazer uma meia dúzia de conexões só para ver um empate de 0 x 0, o Henrique vai mesmo é se atirar do mirante do Cabo da Boa Esperança.

Sobre o autor

Jô Auricchio, editor convidado

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos