ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Com novo Kindle 3G, a Amazon vende direto para o Brasil

Amazon_Kindle_3G

A maior livraria do planeta anunciou hoje (7/10) a chegada de uma nova versão “internacional” de seu leitor de e-books Kindle, agora com suporte para redes 3G o que permitirá sua venda — e o mais importane, o uso de seu modelo de distribuição de conteúdo — em mais de 100 países, incluindo o Brasil (uia!), porém com um pequeno adjuntório por parte do nosso governo (ai meu santo!!!)

Com o preço sugerido de US$ 279 (US$ 20 a mais que a versão para o mercado americano), o novo Kindle já pode ser reservado no site da empresa com lançamento previsto para o próximo dia 19/10.

Com isso a Amazon também começará a fornecer conteúdo localizado o que inclui edições eletrônicas de mais de 85 jornais como La Stampa, da Itália, El País, da Espanha e até O Globo, do Brasil.

A empresa alerta porém, que esse preço pode ser maior para o usuário final por causa dos custos de postagem e os impostos de importação. No caso do Brasil, esse valor costuma ser de 60% sobre o preço final da mercadoria incluindo a postagem.

Só de farra, eu simulei um pedido para ser enviado aqui para a Zumo-caverna e o brinquedo saiu pela bagatela de US$ 585,32 ou R$ 1.024,895 (!!!) com previsão de chegar na minha mão entre os dias 21~27 deste mês. O curioso é que fazendo algumas contas, eu não achei nenhuma correlação entre o preço final do pedido (incluindo a postagem) e os 60% da notória taxa de importação:

Amazon_Kindle_3G_venda

A não ser que exista alguma alíquota especial para esse produto (desconheço) ou que ele seja até isento por ser um “livro” (muito improvável) existe o perigo do governo querer levar o dele quando o pacotinho passar pela alfândega, ou seja, o preço final poderia subir para US$ 936,51 com as taxas locais, ou mais exatamente R$ 1.639,83.

Note que esse adicional não é cobrado na hora da comprar no site e sim quando o produto passa pela alfândega, ou seja, um susto a mais para os desavisados.

Mais informações aqui.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Henrique, esse “Import Fees Deposit” é uma forma de pagar os impostos antes do envio, eles fazem um calculo aproximado na hora da compra e depois passam pra receita federal.

  • mz-rio

    Zumo, desculpe a ignorancia – mas serve pra acessar blogs?
    e/ou gmail, pra se ler os rss no reader? aí, sim, eu gostaria.
    pq jornais nacionais, pra mim, não interessa. obrigada.

  • Oi mzornitta,

    Vamos por partes: segundo o Amazon.com o Kindle diz tem algumas dessas aplicações estão sendo testadas no produto. Pero, não se esqueça que o Kindle é um e-book reader. Se vc procura algo para acessar blogs, ler emails e/ou rss, melhor correr atrás de um netbook que, por sinal, também serve para ler e-books.

    [ ]s

    M.

  • @mz-rio

    kindle não é um netbook!

  • Pingback: Tweets that mention Zumo Blog: Tecnologia. Opinião. Inteligência. » Com novo Kindle 3G, a Amazon vende direto para o Brasil -- Topsy.com()

  • Dá pra instalar o Windows piarata pra usar na faculdade?
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    hahahahah Brincadeira! Amigo!

    Eu levei esse susto com impostos quando comprei meu GP2X aqui: http://www.play-asia.com/paOS-13-71-d1-49-en-70-2z59.html

    Gastei uns R$500 (console + acessórios + frete) e achando que teria que pagar mais uns R$250 de importo, na verdade paguei mais R$420.

  • Rodolfo

    Na verdade existem impostos estaduais também (como ISS), no final é sempre próximo de 85% do preço + frete. 60% só trazendo na mão e declarando no aeroporto.

    Abraços,

    Rodolfo

  • João Henrique

    Muuito mais fácil pedir praquele amigo que vai pros States trazer na mala, acho que nem paga nada se for parado na alfândega (ainda é US$ 500,00 o limite prá trazer coisas de fora na mala?)…

  • Marcelo

    Na importacao via postal (RTS: regime tributário simplificado), você paga o imposto de importacao de 60% sobre (preço produto + frete). Além disso, alguns estados cobram também ICMS, que varia conforme estado, em média mais 20%. Se vier por currier expresso (fedex, ups) eles processam com a Receita o pagamento e cobram uma taxa de uns 15 dólares por esse serviço de “despachante”.

  • maxgomes

    Proibitivo, dispensável e inócuo.

  • Camila

    Sem noção esse preço… com essa grana compro mais livros de verdade em qualquer livraria virtual do que poderei ler em minha vida… 😉

  • Pingback: Kindle 3g mais de R$ 1.500,00? | Blog do Bruno Alves()

  • dflopes

    já discutimos sobre e-readers anteriormente aqui no zumo.

    Para quem gost de ler, nada subsitui o prazer de um livro – o mesmo vale para estudar, onde se faz diversas anotações nele.

    Mas para ler jornais ou revistas (semanais/mensais), eu seria um potencial comprador, pois não compro jornal por causa da montanha de papel que se amontoa a cada dia.

    Mas tudo isso é ilusorio, pois com esse preço, ele fica MUITO CARO aqui no Brasil.

    Minha solução? Comprei um n810 que tem tela VGA (800×600), teclado, GPS e Wifi – posso ler pdf’s confortavelemnte enquanto acesso o gmail (e por 700,00 num site submerso)

  • Devido à minha profissão, é necessário sempre estudar. Estou comprando quase dois livros por mês na Amazon, gastando US$20 de frete a cada compra.

    Em pouco mais de um ano eu teria o retorno do investimento (sem contar as malditas taxas e impostos).

    Mas há o importante para um geek: mais um gadget na mão e a entrega instantânea do livro.

    E outra, se com ~R$1000 você compra mais do que leria em toda sua vida, realmente um ebook reader não é para você! (os USD 300 a mais na conta é para os impostos. se houver diferença eles devolvem http://www.amazon.com/gp/help/customer/display.html?nodeId=596184&#import)

    Dito isto, que é doloroso gastar esta grana toda de uma vez, isso é.

  • Rick

    Eu comprei um kindle DX uns 3 meses atrás. Não baixo nada wireless porque não funciona aqui no Brasil. Neste modelo nunca irá funcionar provavelmente. Porém, saibam que o modelo que vai sair no Brasil não lé PDFs! Coisa que o DX faz.

    Eu baixo versões PDF de livros no notebook e copio no kindle via usb. Vocês não terão essa opção. Terão que comprar da Amazon mesmo.

    Quanto a achar caro e etc.

    Não tem mais volta turminha, livro de papel vai minguar… Vai ser coisa de colecionador. Pode ser caro hoje, mas algumas pessoas loucas como eu vão comprar. rs. Em breve vai ser como tudo na vida, começa com 1000 e vai pra 500 meses depois.

    Os e-readers modernos tem tela que imita papel, não emitem luz. Assim é mais agradável ler.

    Ainda não é o que eu quero deles, mas esperem 2 anos e verão que coisas maravilhosas estão pra sair. Eu vi algumas coisas de laborátorio como e-ink color e touchscreen.

    Não tem mais volta…

  • Alexandre

    @Rick:

    Faz uma penca de anos que estão anunciando a morte do livro em papel, coisa que jamais acontecerá. O livro em papel só tem duas desvantagem: o peso e o tamanho. No resto, é perfeito:
    1. não precisa de bateria ou energia elétrica para funcionar. Você pode levá-los para viagens, para onde quiser, e ele sempre estará pronto para ser usado; jamais, em momento algum, você ficará impossibilitado de lê-lo por falta de energia. Pode ser lido com a simples luz de uma vela, uma fogueira, ou até mesmo de um luar.
    2. Não dá pau, jamais! Não dá tilt, não para de funcionar nunca e você jamais precisará se preocupar com garantia ou assistência técnica.
    3. Inicia em menos de 1 segundo, tempo necessário para virar a página. Para marcar algum ponto, não é preciso depois acessar marcadores, procurar qual marcador se quer (e não há limites para marcas); enfie o que tiver à mão dentro do livro, na página desejada, e pronto!
    4. Foi viajar e o carregador ficou, ou não é compatível com a tomada do seu hotel? Volte ao ponto 1: esqueça preocupação com bateria e, principalmente, com carregadores.
    5. Deixou cair no chão? Ó Deus, deve ter estragado, quebrado a tela, no mínimo! Nada disso! Jogue seu livro do vigésimo andar e desça de elevador para pegá-lo e continuar a ler de onde parou! Sem estresse!
    6. Cuidados ao acondicioná-lo na mala ou na mochila? Que nada, jogue o livro lá dentro e não estragará botão algum, nem a tela, nem nada… No máximo umas páginas amassadas!
    Bem, dava pra ficar uma semana falando como é perfeito esse instrumento. Ele jamais será substituído. Palavra de um apaixonado por gadgets (acesso esse blog diariamente) mas enlouquecido pelas virtudes do livro no velho e bom papel.

  • O bom livro é eterno, mas revistas e jornais… Jogo tudo fora em troca do formato digital =)

  • mz-rio

    obrigada, Nagano, por tirar minha dúvida;
    eu já tenho um netbook – eeePC-1000H – é ótimo
    e, bem lembrado, dá pra ler ebook tb.
    valeu, tb, Roger.

  • mz-rio

    Achei, Nagano! relendo meus rss estrelados, acho q era ISSO q eu tinha em mente, qdo escrevi perguntando sobre o Kindle:

    Classmate PC Tablet (!!! tablet!)
    http://zumo.com.br/2009/06/29/desafiando-a-gravidade-com-o-classmate-pc-tablet/

    sim, pq ainda acho pesado meu netbook – e esse, seria quase um kindle.

    ah, vou aguardar mais notícias sobre ele – tb fiquei encantada com
    esse:Sharp NetWalker PC-Z1 http://zumo.com.br/2009/09/09/gadget-do-dia-sharp-netwalker-pc-z1/ – mas não é tablet.

    Abs!

  • De acordo com a Lei Nº 10.753, de 30 de outubro de 2003, o Kindle não é considerado livro. Veja o que diz o artigo 2º:

    Art. 2° Considera-se livro, para efeitos desta Lei, a publicação de textos escritos em fichas ou folhas, não periódica, grampeada, colada ou costurada, em volume cartonado, encadernado ou em brochura, em capas avulsas, em qualquer formato e acabamento.

    Parágrafo único. São equiparados a livro:

    I – fascículos, publicações de qualquer natureza que representem parte de livro;
    II – materiais avulsos relacionados com livro, impressos em papel ou em material similar;
    III – roteiros de leitura para controle e estudo de literatura ou de obras didáticas;
    IV – álbuns para colorir, pintar, recortar ou armar;
    V – Atlas geográficos, históricos, anatômicos, mapas e cartogramas;
    VI – textos derivados de livro ou originais, produzidos por editores, mediante contrato de edição celebrado com o autor, com a utilização de qualquer suporte;
    VII – livros em meio digital, magnético e ótico, para uso exclusivo de pessoas com deficiência visual;
    VIII – livros impressos no Sistema Braille.

    Art. 3° É livro brasileiro o publicado por editora sediada no Brasil, em qualquer idioma, bem como o impresso ou fixado em qualquer suporte no exterior por editor sediado no Brasil.

    Art. 4° É livre a entrada no país de livros em língua estrangeira ou portuguesa, sendo isentos de imposto de importação ou de qualquer taxa, independente de licença alfandegária prévia.

    Quem comprar o Kindle, vai pagar muito imposto.

    • @frederico o kindle não existia qdo essa lei foi criada, né?

  • Henrique Martin,

    Essa é a lei em vigor. Até o presente momento quem compete criar leis, ou seja, legislar, não fez menção ao kindle. Ao fiscal da receita não compete criar leis nem ficar achando ou não achando que o kindle é livro. O auditor, como funcionário do Executivo, faz cumprir o que é determinado pelo Legislativo. O auditor também não pode interpretar leis para entender o kindle como livro. Interpretação de leis é de competência de juiz.

    Se você comprar o Kindle, o funcionário da alfândega verá que o eletrônico não apresenta características de livro de acordo com a lei.

    Sugiro você se candidatar a deputado federal, elaborar projeto de lei que diz que o kindle é livro ou que dê isenção de imposto ao kindle, e tente votar entre os deputados e senadores. Depois disso, isenção zero para o kindle.

  • Pingback: Kindle for PC (Windows) anunciado » WinAjuda()

  • Pingback: Kindle for PC (Windows) anunciado « Verdes Trigos()

  • Pingback: Zumo Blog: Tecnologia. Opinião. Inteligência. » Review: Amazon Kindle 6″ Global Wireless (parte 1/3: intro & outros)()

  • Pingback: Amazon libera venda do Kindle Touch 3G para o Brasil()